home sobre mim sobre o blog mídia kit

o que eu aprendi em 1 ano como freelancer


Se eu não tivesse virado freelancer no mês do meu aniversário, acho que eu nem teria noção do tempo que passou, sabia? E logo eu, que nunca havia me imaginado como trabalhadora autônoma, já não consigo mais me imaginar diferente. Engraçado como as coisas mudam de perspectiva na nossa vida quando a mudança vem de dentro.freelancer

Em um ano como freelancer eu aprendi algumas coisas bem interessantes:

Organização é importante sim, mas não é a coisa mais importante da sua vida de freelancer. Tudo que eu vejo sobre trabalho independente, todo mundo fala que é organização ou morte. Eu sou bem desorganizada, de verdade. Tento listas, tabelas, quadros, alertas, agendas, diferentes metodologias, e confesso que fracassei em todas. Atualmente eu vivo com o Google Calendar como melhor amigo, onde coloco todos os meus compromissos lá. Mas aí é mais porque eu sou desmemoriada mesmo. Sobre organização de trabalho, percebi que me encontro no meu caos, faço várias coisas ao mesmo tempo, procrastino de um lado, corro do outro, e assim é o meu estilo. Acho que importante mesmo é você testar os métodos e encontrar o seu, e se ele for caótico tudo bem também. O importante é você estar confortável e produtivo com ele.

É possível trabalhar com o que amamos. Quando virei freela, decidi seguir meu propósito de vida: só vender o peixe que eu compro. Escolher os clientes, trabalhar apenas com aquilo que realmente acredito, fazer o que amo. Isso inclui fechar algumas portas, mas posso garantir que outras se abrem quando a roda gira. É importante manter o foco, sabe? Abrir o coração pra isso e trabalhar com a sua verdade. Isso preenche o coração e vemos que é possível sim trabalhar com amor. E só assim é possível.

– Aprendi que não é feio ganhar dinheiro com o que e de quem amamos. Também não é feio trabalhar de graça. Também não é feio fazer permuta. Aprendi mesmo que a parte monetária é uma consequência. Devemos, claro, cobrar o justo por nosso trabalho, por nosso tempo, por nosso conhecimento. O justo é o suficiente pra nos deixar confortáveis, e a medida do nosso conforto quem sabe somos nós. Então os valores são variáveis, mas devemos sempre lembrar da ética do mercado e não prejudicar os outros com nossa política de preços. Sejamos justos com a gente e com aqueles ao nosso redor também. Mas trabalhar de graça pra quem precisa, ou pra quem você quiser, é um gesto louvável. E fazer permuta é uma grande descoberta. Isso eleva o valor do nosso trabalho a um novo patamar. O monetário vira secundário e percebemos que precisamos do trabalho dos outros, e os outros precisam da gente, e isso é o que importa na hora da troca. E terminamos por encontrar pessoas maravilhosas nesse caminho além da conta bancária.

– Aprendi que as vacas magras passam. E as vacas gordas também. Por isso, devemos estar preparados. Acho que a parte mais difícil pra vida de freela é essa incerteza financeira no fim do mês. Afinal, temos contas pra pagar e uma vida no mundo capitalista pra viver. Então guardar dinheiro é super importante. Guardar pro futuro distante, e guardar pro futuro próximo também. Então, indico ter três bolsos: uma previdência privada, pra onde você pode direcionar 20% (ou mais) de tudo que você recebe, uma poupança longo prazo, pra onde você pode guardar uma grana estipulada por mês, para algum projeto de longo prazo (viagem, mudança, carro, apê), e uma poupança urgente, pra você meter a mão quando a coisa apertar.

– Aprendi que trabalhar em casa é massa, mas é massa também trabalhar em outros lugares. Seja em uma cafeteria, ou em um coworking, ou na praia, ou na praça. Ter opções é a grande vibe. Pra você saber escolher quando quer trabalhar sozinho, isolado, acompanhado, no caos. Tudo depende do dia e do trabalho que você quer fazer, e como você quer fazer. É muito fácil se acomodar em casa, e do nada a produtividade começar a cair e você nem perceber. Por isso, botar uma roupa e sair pra trabalhar em outro ambiente faz bem, demais.

– Aprendi que posso trabalhar com muito mais coisas do que imaginava. Tenho o meu foco: estratégia de comunicação digital. Mas se tenho experiência montando núcleos digitais em agências, porque não? E se fiz um curso onde aprendi a implementar o modelo canvas de negócios, porque não? E se gosto compartilhar meus conhecimentos, porque não dar aula? E se eu gosto de ajudar pequenos empreendedores, porque não ter um modelo de consultoria mais barato e direcionado? E se eu gosto de blogs, porque não ter um modelo de suporte direcionado? E se eu gosto de fazer trabalho voluntário, porque não? São tantas frentes que aparecem que nem imaginamos. Mas elas aparecem, e nós podemos escolher que caminhos seguir. Ou criar outros. É massa nos descobrir diferente a cada job.

– Aprendi que somos espelhos, e que tudo que acontece na nossa vida é a volta do que emanamos. Que temos que ter muita responsabilidade sobre os nossos pensamentos, desejos. Que é fácil se perder numa vibe de preocupação e medo, e isso nos puxar pra baixo. E que quando começamos a nos direcionar para pensamentos mais otimistas, abrimos o nosso coração, nossa mente e agimos com a verdade interior, as coisas começam a acontecer. O universo está sempre a nosso favor, precisamos fazer com que nossa mente também esteja.

– Aprendi que a independência é leveza e peso ao mesmo tempo. Que estamos livres para fazer o que quisermos, mas temos um peso de autorresponsabilidade ainda maior. E esse é o nosso equilíbrio.

– Aprendi que não precisamos ter um emprego, mas que precisamos ter trabalho. E que trabalho gera trabalho. E que devemos cuidar do nosso ciclo para saber a hora de parar e a hora de recomeçar.

– Aprendi que tirar férias é bem difícil. Na verdade, ainda não aprendi a tirar férias. Quem sabe isso não se dê com mais um tempo de aprendizado, né?

Acho que aprendi bastante coisa, outras que talvez já nem consiga parar pra entender que é reflexo do meu trabalho mais livre. Mas posso dizer que a vida de freelancer é uma delícia, quando seguimos um propósito de vida e usamos isso a nosso favor. O caminho é nosso, devemos mantê-lo florido sempre. Seguir plantando mesmo quando ele já parecer arborizado o suficiente. A chave é acreditar, e seguir acreditando.

E vocês, o que podem compartilhar sobre suas vidas e estilos profissionais? Vamos conversar? :)


10 comentários sobre o assunto

A coisa mais sensata que li, sobre trabalhar em casa ♡

A sua frase ” O universo está sempre a nosso favor, precisamos fazer com que nossa mente também esteja” é muito sábia. Vou colocar no meu mural para reler sempre.

Acompanho seu blog há um tempo, e acredito que estejas ainda mais livre e feliz, do que antes. É sua essência brilhando :)

Beijos, Rafa!

Rafaela

    Obrigada pelo carinho, Rafa! Feliz que você continue por aqui. :D

    Anna Terra

Anna! Tava precisando de um texto desse viu? Obrigada por compartilhar. Realmente é necessário muito mais acreditar do que organização.

Tenho me dividido entre social media e costura e é sempre difícil saber a hora de parar um e partir para o outro. Descansar então, é um desafio. As vezes fico até às 22:00 na máquina e nem percebo. Ainda preciso sair mais de casa pra arejar as idéias, isso ainda não entrou na minha rotina, mas é um objetivo.
Trabalhar com que se gosta é incrível, isso dá um gás quando penso que algo não tá dando certo. É preciso paciência e perseverança, né? Beijos!

Gabi Medeiros

    Oh mulher, a vida dupla é ainda mais difícil! Mas oh, o coração vai abrindo caminho. E lembra que tudo também são fases, e que precisamos respeitar cada uma das etapas. Elas acontecem porque são importantes. Então não coloca o carro na frente dos bois. As coisas boas vão acontecer no seu tempo. <3

    Anna Terra

Anna, é realmente um privilégio podermos escolher com o que queremos trabalhar e termos a liberdade de fazê-lo a nosso modo. O mais importante de tudo isso e o que faz a roda girar é desenvolvermos nosso trabalho com amor, porque gostamos do que fazemos e por isso a responsa é muito maior em fazer dar certo.
O universo conspira a nosso favor, é verdade, desde que não fiquemos na contra-mão. Precisamos entender e respeitar o ciclo das coisas. Essa é a ideia. Tudo é fluxo e movimento. Trabalho e paciência, essa é a regra do jogo. :)

Michele

    É verdade, Michele! Bastante paciência. :)

    Anna Terra

Quando vejo você, ou leio algo a seu respeito vem em minha mente… Terrinha! Essa é a intimidade não autorizada de quem te acompanha a muito tempo e se acha no direito de assim titular. É o carinho de quem torce, acompanha e cresce junto com você. E depois de anos ainda fica besta em descobrir cada momento algo diferente sobre você. A minha terrinha é gigante, não cabe mais no meu espaço quase que secreto de mergulhar nessa Fortaleza que é Anna! Ana assim como eu cresceu… E virou o mundo inteiro!
Parabéns por compartilhar com a gente esses anos todos, beleza, idéias, força, atitude. Obrigada!

Patrícia Coutinho

    Poxa, que comentário tão lindo! Enche meu coração, sabia? Muito obrigada pelo carinho tão grande. É por ter gente boa como você, que me empurra pra frente, que eu sigo caminhando. Vamos juntas. :D

    Anna Terra

Oi Anna! Adoro sua escrita e seus insights! Te acompanho há bastante tempo e te parabenizo pelas mudanças. Guria também sou freela há uns anos, meio que por opção, meio que por necessidade, já que moro no litoral e aqui o campo de publicidade é digamos… lento. Me dedico muito ao crescimento humano e desenvolvimento espiritual e isso me mudou totalmente. Mas meu campo profissional está indeciso. Andava achando que era porque não sou organizada e dedicada o suficiente, mas lendo teu texto e juntando outras constatações vejo que não é bem isso. Meu jeito também é meio aos solavancos, casa, filho, marido, mãe idosa… mas o que pega mesmo é o momento onde constatei que realmente meu caminho mudou totalmente, mas ainda não sei para onde aponta. Amo a arte, mas minha visão mudou e as descobertas internas levam tempo, requerem coragem e ação massiva contra crenças e hábitos enraizados. Mas é isso aí, a vida é bela em sua imperfeição, perfeita em sua realidade, e para os corajosos que tentam vivê-la ao invés de sobrevivê-la. Grande abraço. Saudações carinhosas :)

Simoni

    Obrigada pela visita aqui e por compartilhar a tua experiência, Simoni! Espero que uma luz brilhe aí no teu caminho e te ajude a ver pra que lado seguir, e que todos os outros campos da vida consigam se alinhar pra fazer dar certo. Boa sorte, garota! :D

    Anna Terra

Deixe sua mensagem



© 2017 - ideias de fim de semana