home sobre mim sobre o blog mídia kit

o cardápio do aniversário


Sabe aquela história de “a gente faz o aniversário mas quem ganha o presente é você”? Pronto, com a minha mãe é assim. Ela faz aniversário e leva eu, Malu e Paolo para passar um delicioso fim de semana em Serra Negra. E ainda leva a gente pra almoçar na Parador Ayatana, esse lugar que de tão lindo vai ter um post só dele amanhã :P

A cozinha do Ayatana é comandada por três jovens moças lá de Serra Negra. Que, por sua vez, são comandadas por Cristina, a dona, decoradora, arquiteta e chef gourmet do Ayatana. Que além de tudo é uma simpatia em pessoa.

Para começar o almoço de aniversário, uma salada individual deliciosa (sim, essa flor é comestível). Para o prato principal, eu e Malu fomos de filé alto na pedra com uma massa al funghi. Já minha mãe e Paolo dividiram esse lindo baião de dois. E estava tudo uma delícia. O filé estava do jeito que eu gosto. Bem mal passado, sangrando, e terminando o seu preparo ali na mesa, na pedra quente. Tão suculento que só de escrever minha boca encheu d’água.

A sobremesa já estava inclusa nos pratos, e foi surpreendente. Não só pelo bolo surpresa com velinhas para minha mãe, mas pelo sabor que as frutas tinham. Abacaxi e banana assados e temperados com curry. Putz, curry! Nunca pensei que ele ficasse bom em algo doce… Claro que foi só um pouco. O suficiente para ficar com aquela cara de ingrediente secreto, que todo mundo sente mas ninguém sabe o que é.

E acredite, a gastronomia de lá é só um detalhe perto do que é esse spa/pousada. :)

Veja mais fotos aqui no novo Flickr do Ideias :D


hoje é o dia da minha estrela


Eu já escrevi muito sobre a minha mãe, e para minha mãe. Já escrevi poemas, textos, histórias e até piadas, pra ver se ela não chorava dessa vez. Escrevi e-mails, mensagens, cartas, cartões, bilhetes. Já fiz post falando do seu nome e do meu. Escrevi em fotos, na parede, no espelho e no bafo do vapor no banheiro. Eu já escrevi muito para ela.

Já escrevi tanto que hoje me faltam palavras.

Eu queria saber escrever sobre a força e a garra da minha mãe sem precisar chorar. Falar da saudade e do amor sem esse soluço. É que é difícil falar da minha estrela sem chorar. Minha estrela porque, como eu sempre digo, está sempre iluminando o meu caminho. Nem que seja para me mostrar que é melhor não ir por lá.

Minha estrela porque é nela que eu penso quando eu fecho os olhos e quero fazer um pedido. Porque é para ela, e por ela, que eu rezo. Minha estrela porque é só eu olhar para cima que eu vou ver, sempre.

Minha mãe me ensinou a vida, muitas vezes sozinha. E me ensinou que eu devo ser forte, independente e honesta. Minha mãe me ensinou a gostar de boteco, a dirigir e a não ter frescura. E me ensinou a gostar de música boa, de comida boa e de homem bom.

Até hoje eu aprendo com a minha mãe, que não perde o ritmo de trabalho e ainda educa uma adolescente. Sozinha. Minha mãe trabalha desde sempre, e parece que não vai parar nunca. Mas sempre teve um tempo pra mim, filha única até os nove anos. E sempre tem tempo pra Malu, minha irmã caçula, aborrecente de quinze.

Porque minha mãe é foda. PHoda, sabe. Porque não importa se ela dirige 50km para ir e voltar do trabalho e acumula umas 3 ou 4 horas de trânsito por dia. Ela sempre tem tempo para ser mãe. Porque ela é uma mãezona. Daquelas.

Daquelas que merece fazer aniversário no dia 7 de dezembro, e viver em Recife para todo dia 8 ser feriado. E daquelas que merece sombra e água fresca, a sorte de um amor tranquilo, ser feliz e mais nada, e todos esses clichês.

Porque, afinal, ela é uma estrela. E não pode perder seu brilho por nada.

Parabéns Mamis. E mantenha este sorriso lindo como cartão de visita, é lindo :)

Eu te amo muito.

Fotos do nosso fim de semana em Serra Negra. Linda, hein?


frutas e verduras orgânicas


Esse fim de semana eu fui para Serra Negra, interior de Pernambuco, para comemorar o aniversário da minha mãe que é amanhã. Foi ótimo e vai render uma semana inteira de posts :P Eu vou começar pelo final, porque só passamos em Seu Biró na volta. Mas achei oportuno começar a semana de forma saudável.

Essa será mais uma semana que eu vou investir em comidas leves. Claro que eu não estou me privando tanto assim, e que no fim de semana eu atolei o pé… Mas a gente vai fazendo o que pode, né? :P

Na semana passada eu li lá no Pitadinha um post muito bom e bem completo sobre alimentos orgânicos. Eles são muito mais que comida sem agrotóxico, e a Pérola do Pé na Cozinha explicou tudo muito bem. Vale a pena ler :) Isso me motivou ainda mais a deixar minha semana light ainda mais saudável. Eu gosto de pedir orgânicos no site Comadre Fulozinha, que entrega em Recife, mas como só entrega na sexta-feira e eu perdi o prazo de pedir, foi o momento ideal para conhecer Seu Biró.

Minha mãe já falava em Seu Biró há muito tempo. Sempre que ela ia trabalhar no interior, uma paradinha em Seu Biró na volta é obrigatória. La é assim, se você vai levar alface, cebolinha, coentro, manjericão e folhas no geral, você pede e o filho dele vai lá na horta pegar pra você. Assim, na hora, batendo a terra da raiz. Se você quiser, ainda pode ir junto para escolher. Eu juro que eu só estou segurando dois pés de alface na foto. Deu pra entender? As folhas são lindas, enormes, limpas, e tem de todo tipo.

Seu Biró fica no km 49 da BR 232, sentido Recife. Lá eu comprei uma alface americana, uma roxa, tomate, cenoura e um queijo de bufala no ponto. Tudo para fazer meus mega saladões diários. Delícia :)


apertem os cintos: a marmita sumiu


Esse é só o post desabafo… Essa semana, como eu já falei aqui, eu me comprometi com Lu e Carol que faria uma semana de marmitas lights para as três. Elas me ajudavam, porque eu tinha o compromisso de fazer comida saudável todos os dias, e eu ajudava elas fazendo as comidas. Fui ao supermercado todos os dias da semana, sem excessão, para comprar verduras frescas, peixe fresco, e ingredientes especiais para variar nas saladas.

Foi cansativo e muito feliz ao mesmo tempo. Consegui fazer salada e pratos leves todos os dias da semana, e as meninas conseguiram gostar de todos. Como ontem eu estava muito cansada, deixei para preparar a última marmita da semana hoje de manhã. Comprei filés de tilápia fresquinhos e deixei que eles dormissem no tempero de limão, azeite, sal e pimenta. Hoje acordei mais cedo que o normal, e com a ajuda de Paolo fui fazer o saladão: alface, tomate, cenoura, milho verde, pimenta biquinho, tudo temperado com muito azeite, pimenta, orégano e um pouquinho de sal do himalaia.

Deixei um pimentão vermelho e outro amarelo queimar no fogão para tirar a pele e Lu comer sem nem perguntar o que era (ela não gosta de pimentão, só quando eu digo que é tomate). Enquanto isso, fervia uma água temperada para hidratar meu couscous marroquino. Enquando ele hidratava, preparei um refogadão de cebola e para fazer os filés de tilápia, a mesma receita da segunda-feira, mas com tomate pelado. Enquanto o peixe ficava na panela, fiz o refogado para o couscous e pronto. Estava tudo lindo, cheiroso, gostoso, fresquinho e esperando para ser devorado.

Deixei os potes de plástico abertos para a comida esfriar enquanto me preparava para sair de casa. Guardei tudo com cuidado, porque marmita não é bagunça, né? Sempre quero que tudo cheguei num estado mínimo de organização ao menos. Chegando na agência me sentei no chão da copa para organizar o pequeno frigobar e fazer caber os potes de saladão, couscous e peixe. Mexi umas coisas, tirei outras e pronto, coube tudo.

Às 11h50, com as meninas já mortas de fome, fui preparar nosso lugarzinho de almoço. Então vi que tinham limpado o frigobar, mas não era só isso. Estava lá meu pote de salada, o couscous, mas e o peixe? Procurei tudo, o que não é muita coisa numa copa apertada com um frigobar, e não encontrei. Pensei “será que a moça da limpeza jogou fora por engano?”, mas o pote plástico deveria estar lá, né? Mas não estava. Simplesmente sumiu. Puf. Mágica.

Na hora senti um misto de raiva, com frustração, com tristeza, e tudo isso fez minha fome sumir na hora. Pensei: puta falta de sacanagi, meo.Um “tapaué” com filés de tilápia frescos, com quantidade para servir 3 pessoas, ter simplesmente desaparecido? Eu não sei explicar, nem ninguém soube até agora. O que me restou foi comer uma salada de camarão no shopping, bancada pela agência, que ficou de encontrar uma explicação, ou um culpado.

Não é a primeira vez que somem coisas. Em todo lugar tem um rato de geladeira, né? Um que toma um iogurte, que come um biscoito, que toma um redbull… Mas roubar um pote de peixe é a primeira vez que eu vejo, sério mesmo. Então é isso, só queria desabafar e dizer que eu não consegui finalizar a minha semana de marmitas leves… Tinha até pensado em me pesar pra ver se fez algum efeito, qualquer 500g que fosse. Passar o cardápio completo e tal… Mas desanimei, desculpem.

Sei que a sexta-feira pede um post mais alegre, afinal, é sexta. Prometo tentar, mas hoje estou com a pauta cheia e não sei se consigo. Mas vou tentar daqui pro fim do dia.

Obrigada por “ouvirem” meu desabafo.



© 2017 - ideias de fim de semana