minhas etiquetas de bagagem

Há pouco mais de três semanas, eu pedi essas etiquetas de bagagem no site da KLM, por dica da minha amiga viajante Rapha. Era uma promoção para um número limitado de pessoas, e eu fui correndo participar, afinal, viajar pra mim é uma questão de saúde. A maioria das fotos que eu tentei subir deu erro, e essa foi a que pegou.

Fiquei super feliz quando vi a correspondência da KLM. Tanto porque eu queria muito essas etiquetas, quanto por estar planejando uma viagem e encarar isso como um sinal hahaha :P Eu nunca viajei de KLM, mas só tenho boas referências da empresa. Quem sabe não conheço no ano que vem? ;)

marmita do dia: couscous com preguiça

Eu gosto de cozinhar quando estou feliz. Gosto de cozinhar bebericando alguma coisa, ouvindo uma música, conversando com o amor ou os amigos, depende da situação. Gosto de cozinhar experimentando, sem preguiça, disposta. Mas ontem não foi um dia legal. Parece que bateu uma TPM fora de hora, e minha inquietação foi fora do comum. Como diz minha mãe em momentos de estresse: tava com vontade de correr na rua e me rasgar todinha.

Quando eu saí da agência as coisas começaram a melhorar. Peguei uma carona que eu não esperava, pra me deixar na parada de ônibus. O ônibus parou, mesmo com muita má vontade, fora da parada para que eu subisse. Eu fui sentada, e ele estava bem mais vazio do que eu esperava encontrar. Logo em seguida, coisa de duas ou três paradas depois que eu subi, Paolo me liga dizendo que está no trânsito, todo atrasado e acaba de desistir de ir pra aula de francês. O que fazemos? Paramos na Go! Temakeria pra terminar com nossos cupons do Peixe Urbano, comer bem, dar risadas juntos e relaxar.

As coisas estavam melhorando tanto que resolvi parar no supermercado pra comprar umas cervejinhas pra animar na cozinha. Mas o problema foi que eu demorei pra resolver cozinhar, e a preguiça bateu de novo. Com alguns pedaços de galinha descongelados e temperados, resolvi assar uma parte, e cozinhar outra para desfiar. Muita gente só compra peito de frango pra desfiar, mas gosto de fazer com coxa e sobrecoxa, que fica muito mais saboroso.

Com as sobrecoxas desfiadas grosseiramente, hidratei um pouco de couscous marroquino (ou grãos de sêmola, como preferir) numa água que fervi temperada com pimenta, sal, curry e páprica. Coloquei ainda um pouco do caldo que eu tinha cozinhado a galinha, pra dar um sabor especial. A proporção que eu fiz é de 3 copos de água pra 2 e meio de couscous, tá?

Enquanto hidratava, fiz um belo refogado de cebola, alho, pimentão vermelho e tomate, depois joguei o frango e temperei com pimenta, sal, uma pitada de cominho, outra de canela, outra de cúrcuma e uma reforçada no curry, sem exagerar. Então pronto, foi só misturar o couscous devidamente hidratado, mexer bem, mesmo depois que desligar o fogo, e finalizar com salsa e orégano. Um prato simples, rápido, leve, gostoso e que só precisa de uma saladinha pra ficar uma excelente refeição completa. Pode ser ainda um acompanhamento, mas eu fiz de prato único mesmo, por motivos já explicados :P

Couscous marroquino <3 Eu já tinha falado dele nesse post aqui, mas as fotos são tão ruins… A gente ainda não tinha a câmera de hoje :P

mesinha de cabeceira completa e simples

Quando eu vi essa mesinha de cabeceira no blog As peripércias da Eva, eu fiquei encantada. É um móvel simples, ideal para pequenos espaços, e que resolve tudo que uma mesinha de cabeceira precisa, ao menos pra mim. Espaço para guardar os livros que eu leio antes de dormir, o controle da televisão, o meu copo dágua e o celular. Além de ter espaço pra decorar com uma luminária, uma foto ou umas velinhas. Legal, né? Quero fazer pra mim :D

três pequenos andares de pura elegância

Eu gosto de postar aqui no Ideias coisas que nós, meros mortais, podemos usar como inspiração. Coisas acessíveis e com cara de casa, não com casa com cara de revista. Mesmo que algumas casas sejam caríssimas, dá pra se inspirar com os tons, as texturas, os materiais, a organização, as misturas. Mesmo se for essa casa em estilo loft triplex, em São Paulo, claramente projetada com tudo do bom e do melhor, dá pra se inspirar sem querer cortar os pulsos. Não, dá? Vi esse post na Casa da Valentina e adorei :)