algumas verdades sobre a ressaca

Um post bem com cara de segunda-feira, né? Pois bem. Tudo nessa vida tem um motivo, e a razão deste post aparecer hoje foi a minha ressaca do sábado. Na sexta-feira fui assistir o show de Los Hermanos, que foi incrível e vai render outro post, e depois fomos para a festa de aniversário dos queridos Eden e Buchecha. Segundo Paolo, teve um pequeno problema no show, que foi a cerveja de graça no camarote, mas eu defendo que foi a cerveja quente.

Cheguei em casa me sentindo ótima, super jovem porque há tempos eu não saia pra me divertir tanto, beber tanto, dançar tanto e chegar em casa com o dia amanhecendo. Mas a verdade é que eu acordei no sábado certa de que eu já não tenho mais idade pra isso.

(Um parênteses para explicar que quando falo idade, não estou dizendo dos meus 24 anos, estou dizendo idade de espírito. O meu pai mesmo, é bem mais jovem do que eu. Tenham certeza.)

Continuando, no sábado eu acordei mal. Primeiro que acordei já correndo para o banheiro, colocar a alma pra fora. E durante umas 3 ou 4 horas eu fiquei na cama, deitada, imóvel, sem conseguir dormir e só levantando para ir botar as tripas pra fora. Além disso, umas 50 facas estavam sendo enfiadas na minha cabeça ao mesmo tempo, me causando uma dor dilacerante. Eu não podia tomar remédio, porque estava com o estômago vazio, que ficava ainda mais vazio a cada ida ao banheiro. Não conseguia comer nada, apenas beber água, muita água. Uma ressaca pesadíssima, como eu nunca tive. Acho, sinceramente, que foi uma indisposição minha mesmo, ou algum problema com cerveja quente, porque o estrago foi muito grande para a quantidade que eu bebi.

Então, entre uma conversada com “raul” e outra, acordei Paolo e pedi pra ele abrir um e-mail que eu tinha enviado para ele, com algumas coisas sobre ressaca. Foi a única coisa que me veio na cabeça, e ainda bem que funcionou :P Então trago para vocês alguma verdades sobre a tal ressaca, que todo mundo que bebe já teve uma grande o suficiente para virar história. Ou post :P

No e-mail não tem o autor dessas informações, mas fazem o maior sentido :)

O que acontece com o corpo?
Conhece a história do ‘bateu, levou’? Ressaca é isso. Uma resposta do organismo a uma agressão que sofreu. Funciona assim: o corpo gasta glicose para metabolizar o álcool. Glicose é açúcar, açúcar é energia. Resultado: A gente fica fraco e sonolento. O excesso de álcool também inflama o aparelho digestivo, faz a cabeça doer, provoca náuseas, vômitos e aumenta a sensibilidade à luz. Enfim, ressaca só não dá pereba.

Por que a dor de cabeça é insuportável?

O álcool desidrata o corpo, do dedão do pé ao cérebro. Da seguinte maneira: o etanol inibe a produção do hormônio antidiurético, e a gente faz muito mais xixi. Engoliu cuspe, pronto: é hora de ir ao banheiro. Portanto, a cabeça dói porque os neurônios sentem sede, literalmente.

Por que a ressaca só aparece no dia seguinte?
Porque é durante o sono que o corpo trabalha para absorver todo aquele álcool que foi colocado para dentro. De manhã, com o serviço feito, é hora de disparar os sintomas desagradáveis.

Beber de barriga vazia é pior?
Muito pior. Ter comida na pança significa que o etanol não estará sozinho na corrida da digestão. O organismo vai dividir as energias entre as duas tarefas, e isso tornará mais lenta a entrada do álcool na corrente sanguínea.

Mas comer o que ?

De preferência, alimentos ricos em sal e gordura. Castanha, amendoim, queijo e, para extrapolar, salaminho. O sal e a gordura estimulam a secreção de substâncias estomacais que protegem o estômago do álcool.

Tomar uma colher de azeite antes de enfiar o pé na jaca, ajuda ?

Azeite também é gordura, portanto ajuda. Então pegue a sua colher de azeite, despeje-a num prato, adicione sal e mergulhe pedaços de pão na mistura. Isso mesmo, igualzinho ao que você faz com o couvert do restaurante.

Ressaca de vinho é a pior de todas. Confere?

Não. As bebidas com teor alcoólico maior e destilados (uísque, vodca, pinga) – é que provocam maior estrago. Elas são absorvidas mais rapidamente pelo corpo. Por dedução  lógica, os fermentados (vinho, cerveja) fazem menos mal, certo? Cuidado: tudo gira em torno da quantidade.

Então, o que eu faço para acordar legal no outro dia?
O truque é simples e eficiente: intercale um copo d’água entre dois de bebida. A água é o verdadeiro santo remédio anti-ressaca. Ela reidrata, dilui o álcool e facilita o trabalho dos rins e do fígado. Sem dizer que também empanturra. Numa pança cheia d’água cabe menos pinga. Trocar a água por suco ou refrigerante também pode. Essas bebidas são ricas em carboidratos, que viram energia e ajudam a metabolizar o álcool.

O que é melhor comer quando se está de ressaca?
Alimentos de fácil digestão para não estressar ainda mais o organismo, já detonado pelo esforço de processar o álcool. Os campeões: frutas, para reidratar e repor as vitaminas, e pão, batata e massas, para obter glicose rapidamente e fornecer energia ao corpo.

Correr para a academia e malhar feito um louco ajuda?

O pobre-diabo do manguaceiro não tem forças nem para ir ao banheiro, quem dera para correr na esteira. E, para fazer exercício, o corpo precisa de glicose – a mesma que está sendo usada na recuperação pós-pé na jaca. Vai querer dividir?

O que eu faço pro meu quarto parar de rodar ?
Repouso. Mantenha a luz apagada, cortinas fechadas e fique deitado. A ressaca aumenta a sensibilidade à luz. Aproveite o momento introspectivo para fazer a mais clássica das promessas: ‘Nunca mais vou botar uma gota de álcool na boca’.

Foto: Jim Patterson

.

um presente simples para uma amiga especial

É isso que acontece quando você precisa dar um presente para alguém especial, e na metade do mês está mais sem dinheiro do que antes de receber o salário. Então a gente faz o que pode né, porque o que importa é o carinho que se coloca no que se está fazendo.

Todo mundo sabe que Carol é uma GRANDE amiga minha (sem gracinha com o seu tamanho diminuto, ok?). Aquela amiga que você escolhe pra ser família, sabe? Que é pra quem você vai chorar, e a quem você consola. Aquela que você cuida como se fosse uma filha, briga como se fosse uma irmã, e pede força como se fosse uma mãe. Porque amiga que é amiga é assim, uma família inteira numa só pessoa, que a gente escolhe pra fazer parte da árvore genealógica do nosso coração.

E a minha pequena-grande amiga está fazendo aniversário amanhã, e tirando suas merecidas férias. Vai passar um mês longe de mim (como proceder?) e perto da mamãe, da irmã, da titia. Justo, justíssimo. E sabendo dessa viagem, que começará HOJE, preparei um presentinho simples, barato, mas cheio de amor. Carol é ilustradora e escreve melhor do que muito redator por aí. Outro detalhe da sua pessoa, é que ela é desorganizada e desmemoriada. Então, pensando em tudo isso, resolvi escolher como presente para ela um moleskine genérico, já que o original não coube no orçamento, para que ela usasse como diário de viagem, escrevendo, desenhando e anotando tudo que se passa em solo europeu, debaixo do seu salto doze. Isso vai ajudá-la a não esquecer instantaneamente das histórias, e ela ainda terá um lindo caderno cheio de boas lembranças para guardar pra sempre. Acho que foi uma boa escolha :)

E como eu não ia simplesmente entregar ele naquela embalagem horrível da Livraria Saraiva, fui personalizar uma caixinha pra ela. Fazer qualquer tipo de “arte” pra presentear Carol é um desafio, já que ela tem o dom dos trabalhos manuais e faz qualquer coisa com muito primor, então eu tive que caprichar. Usei o que eu tinha em casa, e terminei gostando do resultado :) Se eu tivesse grana, o presente era essa caixa de Godiva devidamente recheada com seus incríveis chocolates finos, mas a verdade é que eu ganhei os chocolates do meu sogro há quase 1 ano e guardei a caixa. Sim, eu guardo caixas, vidros, embalagens e fitas dos presentes.

Eu tenho alguns papéis especiais perdidos nas gavetas do escritório, e fui buscar um legal para cobrir a tampa da caixa. Encontrei esse, que é totalmente feito de fibras naturais. Foi produzido pela Bruxaxá para um projeto da Chesf, que escolheu determinadas regiões de onde foram recolhidas folhas de plantas características para fazer os papéis. Mais natural e artesanal impossível :) Claro que eu fiz de tudo para que a caixa ficasse com um bom acabamento, então coloquei ela em cima do papel, fui fazendo os vincos para marcar, vi onde precisava cortar para o encaixe ficar ideal e saiu esse corte que dá pra ver direitinho na segunda foto. Para prender, eu usei fita dupla-face apenas nas laterais da tampa, pra não colocar em cima e correr o risco do papel ficar marcado. Coloquei fita também nas laterais no lado de dentro, para fixar o acabamento. Ficou bem feito :)

Com a sobra do papel eu fiz o cartão, que levou um lacinho e foi escrito à mão com o maior carinho. A cinta para o caderno eu fiz em papel tipo kraft, para deixar claro que o presente tem um objetivo que precisa ser cumprido :P Para deixar um cheirinho agradável, usei um pouco desse pot-pourri que eu tinha em casa, com lascas de madeira e algumas sementes. Para fechar a caixa, usei essa ráfia que veio forrando uma cesta que Paolo me deu no aniversário, e que eu guardei e já usei em várias outras “artes” :P Tudo nessa vida é reaproveitamento, né? Mas com bom gosto, por favor ;)

E assim ficou o meu humilde, porém querido, presente. Para minha nada humilde (porque quem vai pra zoropa nas férias não é humilde, fecha com a cara da sociedade) porém muito, mas muito querida amiga.

Boa viagem, e feliz aniversário \o/

jardim, a arte que fica do lado de fora do museu

Esse é o Festival Internacional de Jardins de Chaumont-sur-Loire, que veio da França direito para o Museu de Arte Moderna de São Paulo. A exposição fica até o dia 31 de dezembro, e mostra o trabalho de paisagistas nacionais e internacionais. Cada jardim possui uma área de 200 m² e um estilo diferente, que vai desde os famosos jardins orientais até aos lindos jardins da Toscana, sem barreiras. Eu, particularmente, já adoro um museu… E esse daí eu ficaria o dia inteiro andando entre os jardins, fotografando, meditando ou simplesmente respirando esse ar, que com certeza tem um sabor especial :)

Essas fotos e mais informações, lá na Casa & Jardim :)

embalagens que eu queria ver por aqui: massa

Faz tempo que eu não posto uma coleção de embalagens por aqui né? Para hoje eu escolhi outro tema que me atrái tanto na mesa, quanto no supermercado. Eu adoro experimentar tipos e marcas diferentes de massa. Se o básico da cozinha brasileira é arroz e feijão, lá em casa é massa. Vai ver que o sangue italiano do meu marido Paolo tem sua parcela de culpa :P Então fui lá no The Dieline catar essas lindas imagens de vários tipos de massa, especialmente para vocês. Ah como eu queria encontrar essas embalagens enquanto eu estou cumprindo o dever mensal de fazer as compras… Eu sei que se eu encontrasse todas elas seria um tiro no bolso e outro na balança, mas eu queria mesmo assim :P

Outras embalagens que eu queria ver por aqui:

Café | Chocolate | Bebidas