home sobre mim sobre o blog mídia kit

o que eu aprendi em 1 ano como freelancer


Se eu não tivesse virado freelancer no mês do meu aniversário, acho que eu nem teria noção do tempo que passou, sabia? E logo eu, que nunca havia me imaginado como trabalhadora autônoma, já não consigo mais me imaginar diferente. Engraçado como as coisas mudam de perspectiva na nossa vida quando a mudança vem de dentro.freelancer

Em um ano como freelancer eu aprendi algumas coisas bem interessantes:

Organização é importante sim, mas não é a coisa mais importante da sua vida de freelancer. Tudo que eu vejo sobre trabalho independente, todo mundo fala que é organização ou morte. Eu sou bem desorganizada, de verdade. Tento listas, tabelas, quadros, alertas, agendas, diferentes metodologias, e confesso que fracassei em todas. Atualmente eu vivo com o Google Calendar como melhor amigo, onde coloco todos os meus compromissos lá. Mas aí é mais porque eu sou desmemoriada mesmo. Sobre organização de trabalho, percebi que me encontro no meu caos, faço várias coisas ao mesmo tempo, procrastino de um lado, corro do outro, e assim é o meu estilo. Acho que importante mesmo é você testar os métodos e encontrar o seu, e se ele for caótico tudo bem também. O importante é você estar confortável e produtivo com ele.

É possível trabalhar com o que amamos. Quando virei freela, decidi seguir meu propósito de vida: só vender o peixe que eu compro. Escolher os clientes, trabalhar apenas com aquilo que realmente acredito, fazer o que amo. Isso inclui fechar algumas portas, mas posso garantir que outras se abrem quando a roda gira. É importante manter o foco, sabe? Abrir o coração pra isso e trabalhar com a sua verdade. Isso preenche o coração e vemos que é possível sim trabalhar com amor. E só assim é possível.

– Aprendi que não é feio ganhar dinheiro com o que e de quem amamos. Também não é feio trabalhar de graça. Também não é feio fazer permuta. Aprendi mesmo que a parte monetária é uma consequência. Devemos, claro, cobrar o justo por nosso trabalho, por nosso tempo, por nosso conhecimento. O justo é o suficiente pra nos deixar confortáveis, e a medida do nosso conforto quem sabe somos nós. Então os valores são variáveis, mas devemos sempre lembrar da ética do mercado e não prejudicar os outros com nossa política de preços. Sejamos justos com a gente e com aqueles ao nosso redor também. Mas trabalhar de graça pra quem precisa, ou pra quem você quiser, é um gesto louvável. E fazer permuta é uma grande descoberta. Isso eleva o valor do nosso trabalho a um novo patamar. O monetário vira secundário e percebemos que precisamos do trabalho dos outros, e os outros precisam da gente, e isso é o que importa na hora da troca. E terminamos por encontrar pessoas maravilhosas nesse caminho além da conta bancária.

– Aprendi que as vacas magras passam. E as vacas gordas também. Por isso, devemos estar preparados. Acho que a parte mais difícil pra vida de freela é essa incerteza financeira no fim do mês. Afinal, temos contas pra pagar e uma vida no mundo capitalista pra viver. Então guardar dinheiro é super importante. Guardar pro futuro distante, e guardar pro futuro próximo também. Então, indico ter três bolsos: uma previdência privada, pra onde você pode direcionar 20% (ou mais) de tudo que você recebe, uma poupança longo prazo, pra onde você pode guardar uma grana estipulada por mês, para algum projeto de longo prazo (viagem, mudança, carro, apê), e uma poupança urgente, pra você meter a mão quando a coisa apertar.

– Aprendi que trabalhar em casa é massa, mas é massa também trabalhar em outros lugares. Seja em uma cafeteria, ou em um coworking, ou na praia, ou na praça. Ter opções é a grande vibe. Pra você saber escolher quando quer trabalhar sozinho, isolado, acompanhado, no caos. Tudo depende do dia e do trabalho que você quer fazer, e como você quer fazer. É muito fácil se acomodar em casa, e do nada a produtividade começar a cair e você nem perceber. Por isso, botar uma roupa e sair pra trabalhar em outro ambiente faz bem, demais.

– Aprendi que posso trabalhar com muito mais coisas do que imaginava. Tenho o meu foco: estratégia de comunicação digital. Mas se tenho experiência montando núcleos digitais em agências, porque não? E se fiz um curso onde aprendi a implementar o modelo canvas de negócios, porque não? E se gosto compartilhar meus conhecimentos, porque não dar aula? E se eu gosto de ajudar pequenos empreendedores, porque não ter um modelo de consultoria mais barato e direcionado? E se eu gosto de blogs, porque não ter um modelo de suporte direcionado? E se eu gosto de fazer trabalho voluntário, porque não? São tantas frentes que aparecem que nem imaginamos. Mas elas aparecem, e nós podemos escolher que caminhos seguir. Ou criar outros. É massa nos descobrir diferente a cada job.

– Aprendi que somos espelhos, e que tudo que acontece na nossa vida é a volta do que emanamos. Que temos que ter muita responsabilidade sobre os nossos pensamentos, desejos. Que é fácil se perder numa vibe de preocupação e medo, e isso nos puxar pra baixo. E que quando começamos a nos direcionar para pensamentos mais otimistas, abrimos o nosso coração, nossa mente e agimos com a verdade interior, as coisas começam a acontecer. O universo está sempre a nosso favor, precisamos fazer com que nossa mente também esteja.

– Aprendi que a independência é leveza e peso ao mesmo tempo. Que estamos livres para fazer o que quisermos, mas temos um peso de autorresponsabilidade ainda maior. E esse é o nosso equilíbrio.

– Aprendi que não precisamos ter um emprego, mas que precisamos ter trabalho. E que trabalho gera trabalho. E que devemos cuidar do nosso ciclo para saber a hora de parar e a hora de recomeçar.

– Aprendi que tirar férias é bem difícil. Na verdade, ainda não aprendi a tirar férias. Quem sabe isso não se dê com mais um tempo de aprendizado, né?

Acho que aprendi bastante coisa, outras que talvez já nem consiga parar pra entender que é reflexo do meu trabalho mais livre. Mas posso dizer que a vida de freelancer é uma delícia, quando seguimos um propósito de vida e usamos isso a nosso favor. O caminho é nosso, devemos mantê-lo florido sempre. Seguir plantando mesmo quando ele já parecer arborizado o suficiente. A chave é acreditar, e seguir acreditando.

E vocês, o que podem compartilhar sobre suas vidas e estilos profissionais? Vamos conversar? :)


já que é pra trintar, trintei.


trintinha 145Eu estava ansiosa pelo meu aniversário de 30 anos como eu acho que nunca fiquei. Não sei bem porque, mas senti que realmente era uma festa de ano novo. E foi por isso que resolvi fazer uma festa mesmo. Aproveitei que meu irmão tá no Brasil e meu pai arrastou a família pra Recife pra comemorar comigo. Então pela primeira vez em alguns bons anos, reunimos novamente meu pai, minha mãe e meus irmãos no mesmo balaio. Tinha mesmo que comemorar.trintinha 11

Fiz a festa no quintal da Casa 57, um espaço massa onde tem o Café e Atelier da Gordinha e a loja da Vitalina. A casa é linda e acomodou carinhosamente todos os convidados. Para o dia, fiz uma decoração simples. Como fiz tudo praticamente sozinha, não tive tempo livre pra fazer muito mais do que isso hehehe :P Escolhi o vermelho de amor e da luta pra ser a cor da festa, e a partir daí fui juntando umas coisas.trintinha 2 trintinha 3 trintinha 5trintinha 10trintinha 1

No teto, pendurei 30 estrelas, essas que ensinei como é que faz nesse post aqui. Na entrada fiz uma cortina de corações, que são super fáceis de fazer também. A dica tá aqui. Além disso, pintei alguns cartazes com frases que eu compartilho da ideologia, e deixei pendurados pra quem quisesse pegar pra tirar foto. Nas mesinhas eu fiz um arranjo super simples com o origami de coração que eu sempre faço, e inclusive é a inspiração da marca e identidade visual do blog, espetei em palitos de churrasco e coloquei em potes de palmito com sal grosso e brilho vermelho.trintinha 6trintinha 4trintinha 16

Sim sim, além do vermelho, o “open bar de brilho” era o ponto forte da decoração, afinal, foi o que decorou a parte mais bonita da festa: os convidados. <3 Coloquei à disposição da galera brilhos de várias cores, tipos, formatos, espelhinho e gloss pra aplicar. Foi tão lindo ver todo mundo brilhando! As pessoas ficaram radiantes, feito eu estava.trintinha 8

A festinha também foi “open bar de caranguejo”, então foi uma mistura de brilho com lambuzado em todo mundo hahah :) São duas coisas que eu aaaaaamo de paixão, brilho e caranguejo, então fiz questão de dividir com esse povo bom que eu tenho por perto. Mamãe ainda fez um caldinho de feijoada delicioso pra dar a sustança na turma, e o café da Gordinha estava vendendo as bebidas e as comidas deliciosas dela. Pense que ficou todo mundo super bem servido.trintinha 13 trintinha 12 trintinha 9O som da festa estava suuuuper elogiado, o tempo inteiro. Teve DJ Fininho (meu amor <3) e DJ Galego dos Coelhos. Teve duelo dos dois, deve som de vinil, de iPad, de computador, teve tudo. Além disso, tinha Ianah Maia fazendo flash day de tatuagens, com desenhos lindos a R$200. Ela tatuou 6 pessoas e eternizou o dia da festa na pele. Belle Souza da Hair Instiga também tava cortando cabelos por lá, deixando o povo ainda mais bonito. Pese numas atrações rochedos que eu consegui reunir! trintinha 14 trintinha 7O dia estava lindo, o céu estava claro, sem uma nuvem. A noite caiu gostosa com uma lua belíssima bem acima das nossas cabeças. Foi tudo tão incrível que eu não consigo parar de agradecer por esse dia. Teve skype com amiga em Barcelona, teve presente de amiga de São Miguel do Gostoso, teve gente se fazendo presente mesmo à distância. E eu posso garantir que recebi todas as good vibes enviadas. Ainda tive a sorte de ter fotos dos convidados, que levaram câmeras pra ajudar a registrar esse momento incrível. Então aqui tem fotos de Julia, Yanna, Malu e minhas. :)

Ah, de presente para os convidados, eu pedi 1kg de ração para cachorro adulto, que eu vou doar para uma moça que cuida de uns cachorros resgatados lá em Camaragibe. Ano passado fiz isso também, e vi o quanto ajuda. Esse ano foram arrecadados 52kg de ração, e isso me deixou ainda mais feliz do que eu achei que poderia ficar. Meu coração está gordo de amor, e eu sou só gratidão.

Obrigada 30, você chegou me fazendo muito bem. Estou me sentindo linda, e a parte mais bonita tá brilhando aqui dentro do peito. Vamos celebrar a vida!trintinha 15


estrelinhas de papel passo a passo


estrelas de papel 8No mês passado, o casamento das minhas amadas Letícia e Inge foi todo lindo, e me lembro de uma coisa ter chamado bastante minha atenção: umas estrelas de papel que tinham gliter dentro! A ideia foi de Julia, arquiteta cheia do bom gosto, e quando eu estava pensando em algumas coisas simples e baratas pra decoração do meu aniversário, me lembrei dela. Só que ao invés de colocar brilho dentro, eu queria colocar na decoração, sabe? Então pedi pra ela o molde e comecei a produção.

Você pode baixar o molde aqui!

estrelas de papelO primeiro passo é imprimir o molde num papel A3, pra ficar com um tamanho assim maiorzinho. Eu escolhi trabalhar com um papel de gramatura maior pra ficar firme, então usei esse que acho que é papel guache. 
estrelas de papel 2Quando recortei a forma, vi que na primeira dobra ia precisar fazer uns ajustes no molde, então repara onde tá marcado aí em cima e como fica depois. É só um recortezinho simples pra ajustar melhor na hora de dobrar.estrelas de papel 3 estrelas de papel 4Depois, com a ajuda de uma régua, vai fazendo os vincos onde o molde mostra. É bom fazer dobrando para os dois lados, pra ajudar na hora dela virar estrela mesmo, sabe?

estrelas de papel 5Na hora de colar onde o molde indica, tem outro pulo do gato. Se você colar por cima de onde está dobrado, vai dificultar na hora de virar estrela. Então, sugiro mais uma aparadinha conforme mostra aqui em cima, pra deixar bem certinho nas arestas. Aí é só colar aí nessas 3 abas. Eu usei cola quente, mas acho que uma cola líquida de rápida secagem é mais indicada porque facilita a dobra. A aba arredondada fica aberta justamente porque essa estrela é como se fosse uma caixinha, sabe? Então você pode também usar pra colocar doces ou o que quiser pra sua festinha. :)

estrelas de papel 6 estrelas de papel 11Depois de colar, resolvi aplicar gliter em algumas delas, pra dar um efeito de contraste entre algumas brilhosas e outras opacas. Pra isso, usei um verniz em spray e gliter de artesanato por cima. Depois coloca o spray de novo pra segurar mais um pouco o brilho e pronto. :) É só dobrar como todas as outras.

estrelas de papel 7 estrelas de papel 9Tem que dar uma apertadinha nas arestas pra ela ir se “inflando” assim. Fica uma graça, né? :) Como meu objetivo foi usar na decoração, peguei uma linha e agulha de costura mesmo, passei em uma das pontas dela e usei pra pendurar no teto. Fiz esse teste no teto da minha sala e adorei! Vou utilizar como móbile na decoração, achei lindo.

estrelas de papel 10


um pulinho no parque nacional de itatiaia


cachoeira veu da noiva 2O fim de semana que passei em Penedo com papai foi super rápido… No domingo estávamos todos cansados da caminhada no Vale do Alcantilado, meu irmão já tava preferido piscina em casa a sair pra ver a rua, Angélica tava com dor pra fazer qualquer caminhada, e eu e papai estávamos mais com preguiça mesmo eheheh :P Mas como o domingo era meu último dia por lá, já que ia na segunda de manhã pro Rio, resolvemos ir no Parque Nacional do Itatiaia.

Papai disse que há 20 anos eu fui uma criança feliz por aí, pela mata, mas claro que não me lembrava de nada hahaha :P Aí entramos com a promessa de ir só até onde desse pra ir de carro, tinha ninguém muito afim de caminhar. Mas seguimos a dica do moço na portaria: subam direto até o acesso das cachoeiras e depois voltem visitando os lugares. Então fizemos. Quando chegamos no estacionamento, tinha uma placa apontando uma escada e dizendo que tinha uma cachoeira, e eu apenas fui descendo :P Chegando lá…cachoeira da maromba cachoeira da maromba 2Minha gente, que coisa linda! O Poção da Maromba é uma super piscina transparente com uma cachoeira e esse visual incrível das plantas e do céu azul. Fiquei arrasada de não estar de biquíni :( Mas valeu contemplar :) Saindo de lá, tinha a placa pra subir até a cachoeira Véu da Noiva, e eu já tava animada pra fazer a trilha. O cansaço já tinha passado só de ver essa beleza toda. Então mesmo sem estar com os calçados adequados, eu e papai seguimos pela trilha da Véu da Noiva e foi a melhor coisa que poderíamos ter feito no dia.

cachoeira veu da noiva 3A trilha é tranquila, e apesar de não ter a estrutura tão preparada quanto as do Vale do Alcantilado, foi bem tranquilo de chegar. E dava pra ver também gente de todas as idades indo e vindo. Ao chegar no pé da cachoeira, só conseguia me concentrar nos respingos de água em mim. Depois de tirar as selfies com papai (aí gosta de selfie, viu hahaha <3) fiquei um tempo de olho fechado apenas sentindo o respingar da água como quem faz uma oração de agradecimento.cachoeira veu da noiva 4 cachoeira veu da noivaMinha gente, é sério. Eu saí da cachoeira parecia que eu tinha tomado muito café, comido muito açúcar, não sei. Eu estava quicando! Cheeeeia de energia, feliz, saltitando, andando de braços abertos, rindo alto, impressionante. A bateria recarregou no topo, sabe? Foi intenso. Essa cachoeira tem algo de especial, sério mesmo. Ela não tem acesso pra banho, mas tenho certeza que se tivesse seria um banho mágico. Porque a energia dela é coisa séria.

Saindo de lá paramos num hotel que tem lá em cima pra tomar uma cervejinha contemplando a vista panorâmica do parque e seguimos direto pra buscar meu irmão pra almoçar, já quase no fim da tarde.parque nacional de itatiaia 2O Parque Nacional do Itatiaia tem muuuuuitas outras atrações. É o tipo de lugar pra ir passar o dia inteiro, e depois voltar, e voltar. Fiquei devendo conhecer muita coisa, mas saí com a sensação de que tive tudo que precisava e merecia para aquele dia. Foi mágico.

E entre tanta beleza, até as borboletas de lá, que tem de todos os tamanhos e cores, são amigas. Tem coisa mais massa? :) Espero não precisar esperar mais 20 anos pra voltar lá de novo hahaha :Pparque nacional itatiaia



© 2016 - ideias de fim de semana