home sobre mim sobre o blog mídia kit

um pulinho no parque nacional de itatiaia


cachoeira veu da noiva 2O fim de semana que passei em Penedo com papai foi super rápido… No domingo estávamos todos cansados da caminhada no Vale do Alcantilado, meu irmão já tava preferido piscina em casa a sair pra ver a rua, Angélica tava com dor pra fazer qualquer caminhada, e eu e papai estávamos mais com preguiça mesmo eheheh :P Mas como o domingo era meu último dia por lá, já que ia na segunda de manhã pro Rio, resolvemos ir no Parque Nacional do Itatiaia.

Papai disse que há 20 anos eu fui uma criança feliz por aí, pela mata, mas claro que não me lembrava de nada hahaha :P Aí entramos com a promessa de ir só até onde desse pra ir de carro, tinha ninguém muito afim de caminhar. Mas seguimos a dica do moço na portaria: subam direto até o acesso das cachoeiras e depois voltem visitando os lugares. Então fizemos. Quando chegamos no estacionamento, tinha uma placa apontando uma escada e dizendo que tinha uma cachoeira, e eu apenas fui descendo :P Chegando lá…cachoeira da maromba cachoeira da maromba 2Minha gente, que coisa linda! O Poção da Maromba é uma super piscina transparente com uma cachoeira e esse visual incrível das plantas e do céu azul. Fiquei arrasada de não estar de biquíni :( Mas valeu contemplar :) Saindo de lá, tinha a placa pra subir até a cachoeira Véu da Noiva, e eu já tava animada pra fazer a trilha. O cansaço já tinha passado só de ver essa beleza toda. Então mesmo sem estar com os calçados adequados, eu e papai seguimos pela trilha da Véu da Noiva e foi a melhor coisa que poderíamos ter feito no dia.

cachoeira veu da noiva 3A trilha é tranquila, e apesar de não ter a estrutura tão preparada quanto as do Vale do Alcantilado, foi bem tranquilo de chegar. E dava pra ver também gente de todas as idades indo e vindo. Ao chegar no pé da cachoeira, só conseguia me concentrar nos respingos de água em mim. Depois de tirar as selfies com papai (aí gosta de selfie, viu hahaha <3) fiquei um tempo de olho fechado apenas sentindo o respingar da água como quem faz uma oração de agradecimento.cachoeira veu da noiva 4 cachoeira veu da noivaMinha gente, é sério. Eu saí da cachoeira parecia que eu tinha tomado muito café, comido muito açúcar, não sei. Eu estava quicando! Cheeeeia de energia, feliz, saltitando, andando de braços abertos, rindo alto, impressionante. A bateria recarregou no topo, sabe? Foi intenso. Essa cachoeira tem algo de especial, sério mesmo. Ela não tem acesso pra banho, mas tenho certeza que se tivesse seria um banho mágico. Porque a energia dela é coisa séria.

Saindo de lá paramos num hotel que tem lá em cima pra tomar uma cervejinha contemplando a vista panorâmica do parque e seguimos direto pra buscar meu irmão pra almoçar, já quase no fim da tarde.parque nacional de itatiaia 2O Parque Nacional do Itatiaia tem muuuuuitas outras atrações. É o tipo de lugar pra ir passar o dia inteiro, e depois voltar, e voltar. Fiquei devendo conhecer muita coisa, mas saí com a sensação de que tive tudo que precisava e merecia para aquele dia. Foi mágico.

E entre tanta beleza, até as borboletas de lá, que tem de todos os tamanhos e cores, são amigas. Tem coisa mais massa? :) Espero não precisar esperar mais 20 anos pra voltar lá de novo hahaha :Pparque nacional itatiaia


a culpa nunca será nossa


Me culpei por não conseguir escrever nada sobre o assunto

Me culpei por mal conseguir falar sobre o assunto

Me culpei por mal discutir sobre isso com meu namorado, com meus amigos homens

Me culpei por ter postado comida ao invés de textão

Me culpei por ter apetite, até que passou

Agradeci por meu Facebook estar fora do ar, e me culpei por isso

Me culpei por rir de um seriado

Me culpei por ter vontade de transar

Me culpei por não ser da corrente feminista que acredita que somos todas irmãs

Me culpei por chorar repentinamente enquanto tentava trabalhar

Me culpei por conseguir trabalhar, até que não consegui mais

Me culpei por ter conseguido dormir sem pesadelos

Me culpei por ter desejado que ela não tivesse sobrevivido pra não ter que carregar esse peso pro resto da vida

Me culpei por querer que cada um dos 33 tivesse uma morte lenta e dolorosa

Me culpei por querer que esse episódio estivesse nos livros de história

Me culpei por pensar que precisa acontecer esse tipo de coisa pra algo poder mudar de verdade

Me culpei por gostar de homem

Me culpei por acreditar em homens que tentam ser melhores

Me culpei por pensar que eram monstros e era loucura, até entender que são homens sãos em sua consciência agindo por escolha

Me culpei por nunca ter sofrido um abuso sexual físico

Me culpei por não saber que tenho amigas que foram estupradas

Me culpei por não saber o que dizer pra elas quando soube

Me culpei por não achar que meu choro era legítimo

Me culpei por não sair respondendo comentários machistas nos posts sobre o assunto

Me culpei porque sou mulher e desde sempre aprendemos que a culpa é nossa. Da nossa roupa, das nossas escolhas, das nossas companhias, da nossa atitude, da nossa falta de atitude.

NÃO É NOSSA CULPA.

A culpa nunca é da vítima. NUNCA. A cultura do estupro está dentro das nossas casas, na nossa família, na nossa escola, na nossa educação. Ela está presente naquelas cantadas nas ruas, naquele compartilhamento de vídeo íntimo no whatsapp, naquela piada que você diz ser só uma piada, naquela frase que você solta sem perceber que está diminuindo a mulher, está nos portais de notícia que descredibilizam o assédio, está na sua fala quando você diz que estamos exagerando, está no seu silêncio quando vê um amigo passando dos limites e não faz nada, está na sua vergonha em dizer que isso está errado e sair de careta. A cultura do estupro está nas suas mãos.

Uma mulher é estuprada a cada 3 horas no Brasil! O Caso dos 30, como está sendo chamado, foi um dos 8 casos do dia. UM.

Espero, de coração, que este caso seja um DIVISOR DE ÁGUAS. Que algo realmente mude na sociedade, na cabeça das pessoas. Que mesmo com tanta coisa ruim rondando sobre isso, que ele traga união feminina, que leve a consciência feminista para os homens, para as famílias, para as escolas. Que não seja esquecido. Que continue incomodando. Que continue doendo. Porque, só assim, vamos lembrar que a mudança está nas nossas mãos.

VAMOS SER A MUDANÇA. Pela menina de 17 anos estuprada por 33 homens, e por todas as outras mulheres. Crianças, idosas, de todas as idades, cores, credos. PELAS MULHERES.

Por favor. Por amor.


xerém (canjiquinha) com galinha guisada


canjiquinha com galinha guisada 2 canjiquinha com galinha guisada canjiquinha com galinha guisada 3Alguns chamam de confort food, eu chamo de comida que cura bads hahaha :P Mamãe fazia galinha guisada com xerém pra mim quando eu tava triste, e era a marmita mais feliz da vida. <3 Aí no fim de semana que passei em Penedo, comi canjiquinha com linguiça e me deu uma saudade imensa do xerém de mamãe. E mesmo que eu não esteja em nenhuma bad (ainda bem haha), eu fiz feira e comprei tudo que precisava pra cozinhar xerém pela primeira vez na vida.

Eu já gostava de fazer galinha guisada. Gostava tanto, que enjoei da minha ahahaha :P Aí fazia muito tempo que eu não ia esquentar o bucho no fogão pra fazer esse prato. Mas hoje foi aquela vontade que não tinha pra onde. Então deixei minha galinha cozinhando e fui pesquisar como cozinhar a canjiquinha. Descobri que tem várias formas de fazer, algumas pessoas deixam de molho, outras fazem na pressão, outras cozinham junto com as carnes, outras separado. Aí resolvi fazer a minha receita e, para a alegria da nação e da noite de chuva, ficou uma delícia. Então achei por bem compartilhar com vocês.

Para a galinha guisada, primeiro preparei 4 sobrecoxas sem pele, lavando bem, tirando o excesso de gordura na faca e depois escaldando com água quente. Então escorri e temperei com 1 limão espremidosal marinho e lemon peper, aí deixei descansar nessa mistura enquanto fazia os outros preparativos. Em uma panela grande coloquei um fio de azeiteuma cebola cortada em rodelasmeio pimentão vermelho cortado em pedaços grandes alho picado, então por cima desses ingredientes coloquei as sobrecoxas e cobri com uma lata de tomate pelado cortado em pedaços e completei com a medida de uma lata e meia de água. Reforcei o tempero com cominho, pimenta do reino, açafrão da terra páprica picante. Fechei a panela e deixei cozinhando em fogo baixo.

Enquanto isso, lavei mais ou menos 200g de xerém e deixei de molho em água temperada com um pouco do caldo do frango já fervido e sal marinho. Deixei o frango fervendo em fogo baixo e o xerém de molho por uns 40 minutos, então adicionei uma cenoura cortada em rodelas, escorri o xerém e misturei ao frango. Coloquei mais água pra cobrir toda a mistura e deixei ferver um pouco com a panela fechada. Depois de um tempo comecei a mexer pra não grudar no fundo, adicionando água quando precisava. O ponto é quando a canjiquinha tiver ainda durinha, quase al dente, porque ela vai continuar cozinhando quando desligar o fogo.

Aí é preparar a cumbuca (eu <3 comer em cumbuca), colocar a mistura e por cima espalhar uma salsa picadinha. É aquela comida com sustança e amor, sabe? Que vai encher o bucho e aquecer o coração, e mesmo que a gente esteja totalmente de boa, vamos ficar mais felizes. Garanto. <3


vale do alcantilado – visconde de mauá


Papai está morando em Penedo, no estado do Rio de Janeiro, e eu fui passar uns dias com ele por lá. Já tinha ouvido falar das cachoeiras da região, Itatiaia, Mauá, mas mesmo assim não sabia que era tão incrível. Fui num passeio despretensioso e surpreendente. Com a câmera numa mão e o celular na outra, eu não consegui nem de perto traduzir a beleza do lugar em um clique. Até porque às vezes eu só conseguia ficar parada contemplando aquela beleza toda, recebendo respingos de água no corpo e relaxando. É energizante!

vale-do-alcantilado 6Começamos pelo Vale do Alcantilado, um passeio em família para um ecoturismo de baixo impacto hehehe :P Digo isso porque a estrutura do lugar é incrível, e dá acesso a gente de todas as idades. São 9 cachoeiras num percurso de 1.5km (3km ida e volta), então mesmo que o acesso seja facilitado com escadas, corrimão, cordas e tudo mais, é bom estar com um calçado adequado pra esse tipo de passeio. Antes de começar, mandamos pra dentro um Feijão Amigo, que é um caldinho de feijão bem temperado e quentinho. Ideal pra dar uma forrada no estômago e uma aquecida pra começar a caminhada. vale do alcantilado terraEu fui de short, botinha um casaco, já que no dia da nossa caminhada o tempo estava meio fechado e frozinho. Mas quando começa o sobe e desce, esquenta logo e o casaco fica mais pra se proteger dos bichinhos hehe :P A trilha segue a ordem das seguintes atrações: Cachoeirinha, que é a mais indicada pra banho. É logo a primeira, a vontade era de pular logo assim que cheguei! Mas segui os conselhos de papai de deixar pro final, na volta. Depois, seguimos pra Poço da Areia, Poço das Raízes, Cachoeira do Açude, Cachoeira da Muralha, Mirante, Cachoeira do Lajeado, Cachoeira da Toca, Cachoeira da Gruta do Granito e por fim a Cachoeira do Alcantilado.

vale-do-alcantilado 2 vale-do-alcantilado 5 vale-do-alcantilado 7Lá todo lugar que a gente olha, é lindo. Tipo papel de parede de computador hahaha :P Mesmo que sejam só algumas pedras com plantas, é lindo e dá vontade de ficar muito tempo olhando. vale-do-alcantilado 8 vale-do-alcantilado 9 vale-do-alcantilado 10Tem mirante, tem totem de pedrinhas, tem água caindo por todo lugar, tem plantas de vários tipos, tem tanta coisa linda. O ar é lindo de respirar, sabe como é? Pois é.vale-do-alcantilado 11 vale-do-alcantilado 14 vale-do-alcantilado 13A última cachoeira é onde demoramos mais pra chegar. É uma trilha de 350m (parece pouco, né?) de subidas, escorregadas, gruta, toca, lodo, mais subidas. É cansativo, mas lá em cima é lindo. É essa última foto aí, a cachoeira que dá nome ao vale. Depois disso, a volta é até tranquila, e eu voltei super animada pra hora de entrar nas águas congelantes hehehe :Pvale-do-alcantilado 12 vale-do-alcantilado 4vale do alcantiladoMinha gente, que água CONGELANTE! Eu sabia que ia ser fria, mas a cada passo pra dentro da água eu sentia mais partes do meu corpo ficando dormentes. E quando eu mergulhei e molhei a cabeça, eu senti uma dificuldade instantânea de respirar! Como se todos os meus músculos da respiração se contraíssem e não tinha ar certo pra entrar. Mas passa rapidinho hehehe :P E já que eu estava dentro, eu tinha que entrar meeeesmo embaixo da queda d’água, né? Pareciam que estavam jogando pedras de gelo na minha cabeça, mas estava uma delícia até começar a doer hahaha Eu terminei saindo rápido, mas quando meu irmão animou entrar eu fui entrar com ele e levei uma super queda. Ralei o braço as costas ao pisar numa pedra solta logo na entrada da água. Então fica o alerta pra ter cuidado redobrado com as pedras dentro da água. :)

Falando assim, até parece que foi ruim, né? Mas tem nada mais energizante do que um banho de cachoeira. Eu, que sou acostumada com as águas quentes das praias do Nordeste, senti como se fosse a primeira vez que eu estivesse tomando banho de cachoeira, apesar de já ter tomado várias vezes em outros lugares. Mas como dizem que você nunca entra duas vezes no mesmo rio, porque quando você entra a água já é outra, então sinto que será sempre com uma primeira vez. Uma descoberta deliciosa a cada gota d’água. vale do alcantilado 16 vale do alcantilado 15 vale-do-alcantilado 3Por fim, a dica é parar na Pastelaria do Alcantilado que tem no final/ começo da caminhada pra reabastecer hehehe :P O pastel é uma delícia, a cerveja é gelada, podemos colher as laranjas do pé pra levar e ainda dá pra ficar olhando lindos passarinhos indo e vindo.

Sem dúvidas a visita a Visconde de Mauá e ao Vale do Alcantilado é inesquecível, e é o tipo de lugar que dá vontade de voltar, e voltar, e voltar. Então quem puder ir, vá. Quem puder voltar, volte. Que eu sigo daqui já com saudade desse dia incrível. :)



© 2016 - ideias de fim de semana