o loft perfeito onde eu não moraria

loft perfeito loft perfeito 2 loft perfeito 3 loft perfeito 4 loft perfeito 5 loft perfeito 6 loft perfeito 7Eu sou apaixonada por projetos de loft. Sempre espaçosos, pé direito alto, ambientes que se misturam, acho lindo. Quando mistura toques industriais com rústico então, ganha meu coraçãozinho. Esse que postei aqui há um bom tempo, é o tipo de lugar onde eu queria morar.

Mas esse daqui, que eu encontrei lá no Desire To Inspire, é o tipo de lugar que eu acho perfeito, lindo e maravilhoso, mas não consigo me imaginar morando. Acho lindo todos os ambientes juntos, mas não conseguiria morar assim eu acho… Fico pensando que preciso do meu quarto de porta fechada quando eu quiser, que não sei se teria sempre desprendimento pra um banho de banheira “no meio da casa”. Essas besteiras, sabe? Que, no fim das contas, são só grandes besteiras mesmo. Mas que eu acho que definem o seu estilo de vida no dia-a-dia.

Eu moraria linda num loft desse se tivesse um quarto e um banheiro separados hahah O resto pode juntar tudo que fica maravilhoso. Sala e cozinha foram feitas para serem um ambiente só, na minha opinião. Acho que tudo é um ambiente de estar e de receber pessoas. E se rolar de juntar a varanda então, fica tudo mais perfeito ainda.

Então pra inspiração do começo da semana, ficamos com esse loft perfeito onde eu não moraria, mas adoraria ser convidada por amigos para visitar. :P

corações na decoração

coracoes adesivos coracoes adesivos 3 coracoes adesivos 4 coracoes adesivos 2 coracoes adesivos 8 coracoes adesivos 6 coracoes adesivos 7Eu sou toda coração. E amo corações. Muito. Esses coraçõezinhos assim simples, aqueles desenhos de anatomia real, outros tipos de ilustração com coração, todo tipo. Amo muito. Tenho um tatuado no dedo, outro na panturrilha e quero vários. No meu corpo, na casa, onde mais couber. <3

No final do ano passado eu fui numa loja comprar outras coisas e vi esses adesivos de rolo, bem baratinhos. Sem pensar muito pedi um metro do vermelho e desde então ele está na gaveta, e eu pensando o que fazer com ele. Já fazia um tempo que eu queria dar mais uma cor no meu banheiro e na cozinha, mas a gente vai deixando passar, passar, né… Foi quando eu decidi que ia fazer corações pra encaixar nas quinas da cerâmica, já que ela é dessa grandona e qualquer coisa que fosse fazer ocupando tudo ia ficar ~muito demais~ pra mim.

O passo a passo não tem como ter mistério, né? A única dica nesse processo é que quando eu fui fazer o molde, deixei a ponta do coração formando um ângulo de 90º, pra encaixar direitinho nas quinas, sabe? Então é só cortar o papel já aproveitando a quina dele. E pode ser do tamanho que quiser, né? Claro. E da cor que quiser. E pode nem ser coração também.. hahaha :P Mas a verdade é que recortar adesivos e sair colando nas paredes, espelho e tudo mais, é uma delícia. Dá um toque de cor, uma animada, uma mudada. E se enjoar, tira. Sem dor, sem stress.

Esse baldinho que tá com as colheres de pau eu pendurei com um ganchinho também adesivo. Fica legal, né? Tenho no outro banheiro esse mesmo baldinho preso num gancho maior, vejam só, de coração, e que fica com escovas de cabelo. Adesivo é demais, né? Adoro. Prendo tudo com eles, e ainda decoro hahaha :)

Já vi gente aplicando bolinha, triângulos, estrelas, luas, tudo. Esse adesivo “alegria” mesmo eu ganhei da La Pomme e adoro também. Tenho até na parede da sala. Dá pra fazer um samba bom com isso de colar adesivo. Claro que se você não tiver um ajudante lindo assim como o meu que tá nas fotos, tudo pode desandar. Mas tenha fé que dá pra fazer de boa. :P Acho que daqui a pouco eu vou colar corações pela casa inteira socorro me segura, gente. hahaha :P

Ah, quem fizer mostra pra mim lá na fanpage do blog? Eu vou adorar ver. :D

móveis da cor da parede

parede vermelha parede amarela parede preta parede pastel parede azulVendo algumas coisas no Pinterest, comecei a reparar em alguns ambientes que tinham paredes coloridas e móveis da mesma cor. Achei interessante demais. Foi algo meio novo pra mim, que sou de usar contraste, colorido e tal. Mas foi um novo muito interessante e que eu fiquei querendo aplicar. Dá um ar tão moderno, né? Achei que fica super elegante. E o melhor, ele funciona em vários tipos de ambiente, estilos de decoração e tudo mais. Achei versátil, achei lindo, quero copiar.

E se você também gostou da ideia e tá pensando em fazer, deixo aqui um post do Homens da Casa, que além de mostrar o passo a passo de como pintar a parede e o móvel em fotos, tem um vídeo bem detalhado. Então agora é só escolher a cor, o ambiente e colocar em prática. :D

parede roxa

vamos falar sobre o dia da mulher

Eu nunca levantei bandeira do feminismo. Isso porque eu acho que esse termo carrega tudo de bom e tudo de mau ao mesmo tempo. Eu não me identifico com vários atos tachados de feministas, com vários pensamentos de ícones feministas, entre outras coisas. Acho um rótulo pesado, mas que tem ganhado bastante espaço nos últimos tempos. Ainda bem. Porque mesmo que eu não goste muito do termo, tenho que admitir que ele vem abrindo o caminho para discussões de gênero que são tão, mas tão importantes na nossa sociedade.

Quem me acompanha no Facebook volta e meia pode ver alguns posts meus (posto textão mermo) com desabafos sobre os assédios que eu (e todas as mulheres do mundo, isso, MUNDO) sofrem diariamente nas ruas. Há um tempo eu decidi que preciso fazer a minha parte diante desse cenário, e venho respondendo aos homens com o objetivo de constranger mesmo. Ouvir seus “fiu-fius” calada estava a ponto de me dar uma úlcera, então resolvi que ia falar. E falo mesmo. E falo sempre. Andando, pedalando, no ônibus, onde for. Respondo dizendo que isso é assédio e que um dia ele pode ser preso por isso, que mulheres não gostam desse tipo de “elogio”, que isso agride e incomoda. E as reações são as mais diversas. Aqueles que fingem que não falaram nada, aqueles que dizem que eu tô doida por não gostar de ser chamada de linda, aqueles que agressivam dizendo que “é gostosa mesmo e tem que ouvir”, entre outros mil. Mas uma coisa eu tenho certeza: eles não esquecem.

Dia desses voltava de uma farra de taxi, já de manhã, e reparei que o taxista buzinava para as mulheres que passavam na rua e dava aquela boa e velha SECADA. E isso foi me incomodando muito até que eu perguntei “porque o senhor buzina para as mulheres na rua?”, e esse homem gaguejou tanto pra dizer que conhecia aquela mulher, que era amiga dele, mas que ela nunca veria ele e porque o vidro era muito escuro, mas que depois ele ia dizer que buzinou e…. Pronto. Estava constrangido, envergonhado. E quando eu desci do taxi ainda disse “Não buzine mais para as mulheres não, isso é feio e elas não gostam”, e mesmo com ele repetindo “mas era amiga minha” eu só respondi mais “então guarde essa mensagem pra você” e fui embora. Ele vai parar de fazer? Provavelmente não. Mas ele vai lembrar disso, eu tenho certeza. E quanto mais mulheres responderem a ele, constrangerem ele, ele vai diminuir. Ao menos, tenho essa fé.

E eu sei o quanto pode ser perigoso reagir a um assédio. Mas sei também que é perigoso ouvir calada, porque isso dá cada vez mais poder a esse machismo violento. É de um assédio verbal que nascem outras formas de agressão, então perigoso mesmo é ficar calado. Não por você, mas por todas as mulheres. É assim que eu penso e é daí que eu tiro forças para falar, responder, agir.

De um tempo pra cá notícias, campanhas e projetos ao redor do mundo estão pipocando sobre o assédio verbal. O mais famoso deles aqui no Brasil, que vai virar um documentário depois de ser patrocinado pelo Catarse, é o Chega de Fiu-Fiu, que tem um material maravilhoso sobre o tema. Lá tratam de vários outros tipos de agressão, inclusive a virtual que também é sofrida por muitas mulheres, inclusive as que defendem ideias feministas. Teve até uma matéria sobre isso aqui.

Esse outro vídeo foi feito por uma ONG mostra como pode ser insuportável ser uma mulher nas ruas de Nova Iorque.

E ainda tem essa artista maravilhosa, Tatyana Fazlalizadeh, que colocou nas ruas a resposta das mulheres aos assédios dos homens, no projeto Stop Telling Women do Smile. Porque arte é sempre uma arma maravilhosa contra a violência.bk

Enfim, campanhas e projetos não faltam. O que eu queria mesmo era deixar a minha humilde mensagem e experiência. De uma ínfima parte do que representa a luta feminina (e não feminista) diária. Vamos responder. Vamos educar. Vamos envergonhar. Vamos gritar, se precisar. Mas não vamos ouvir caladas as agressões que sofremos todos os dias. Porque é de grão em grão que a gente chega lá.

Ah, e finalizo aqui o post com esse vídeo maravilhoso da ativista Maynara, do projeto Empodere Duas Mulheres, que faz um resgate do que é o Dia Internacional da Mulher. Que não é um dia para se comemorar, é um dia para se discutir e se questionar o papel da mulher na sociedade. Vamos lembrar de como esse dia nasceu e que ele não pode ser engolido por flores, chocolates e anúncios de marcas que querem transformar uma data tão importante na história, num dia a mais do calendário comercial.

E pro seu Dia da Mulher eu não desejo parabéns. Desejo sorte e força, porque é disso que precisamos.

Página 2 de 2381234567...203040...Última »