home sobre mim sobre o blog mídia kit

o privilégio de trabalhar com o que se acredita


A gente escuta muito por aí que temos que trabalhar com o que gostamos. Que se amamos o trabalho, não vamos trabalhar nenhum dia da vida. Mas eu diria que é mais do que isso. Mais do que trabalhar com o que gostamos, temos que trabalhar para quem acreditamos. Há algum tempo eu venho sentindo uma inquietação no meu peito que eu não sabia bem a que atribuir. Mas aí eu fiz o curso de Empreendedorismo Criativo da Perestroika e percebi que o nome disso era “falta de propósito”. Eu estava trabalhando com o que eu gosto, com comunicação, com estratégia e conteúdo digital, com falar para pessoas, com pessoas. Mas eu não estava totalmente trabalhando para o que ou para quem eu acreditava.

Quem é publicitário sabe muito bem que na maioria das vezes nas agências nós estamos fazendo campanhas para roupas que não usaríamos, para comidas que não comeríamos, para políticos que não votaríamos e por aí vai. Algumas vezes até conseguimos trabalhar para aquilo que nós acreditamos, mas aí é meio que sorte, que cai no colo. Afinal, não podemos escolher pra quem vamos trabalhar, certo? Errado. Erradíssimo.

Eu não sou uma pessoa com uma carreira lá muito grande, tenho nem 10 anos de labuta ainda. Mas nesse meio tempo eu estagiei em gráfica, em marketing de shopping, fui redatora em algumas agências de publicidade, estive a frente núcleos digitais em outras agências grandes e abri a minha própria agência digital. E foi dando pequenos passos nesse caminho que fui conhecendo melhor a profissão, as pessoas e, principalmente, conhecendo a mim mesma. E foi daí que começou a surgir uma sensação de “desencaixe” e eu entrei numa crise de que eu não tinha um propósito, e que trabalhar só pelo dinheiro era tão demodê quanto falar que alguma coisa é demodê. Aí há pouco tempo que eu dei o passo mais importante da minha vida profissional: larguei tudo e fui em busca do meu propósito de vida.

Isso mesmo. Saí da sociedade que eu tinha e fui em busca de trabalhar com o que eu gosto para pessoas e empresas que eu acredito, em busca de cuidar mais da minha casa e dos meus animais, em busca de tocar um projeto que tem o meu propósito de ajudar as pessoas e de fazer uma diferença positiva na vida delas. Dá medo? Pra cacete. Mas se não desse medo não era um passo pra fora da minha zona de conforto. Não era um passo a frente. Se não desse medo não era nem um passo, era um arrasto como algumas vezes estamos na vida, sendo levados pela maré. Ainda está tudo novo pra mim, mas posso dizer que nunca estive num momento profissional tão bom. Trabalhando mais do que nunca, mas mais feliz do que nunca. Porque eu tive o privilégio de escolher clientes que eu acredito no trabalho que eles desenvolvem.

Amanhã as coisas podem apertar demais e eu tenha que trabalhar pra outras coisas e outros clientes que não façam meus olhos brilhar? Sim, não afastei essa chance em hipótese em alguma. Afinal, como eu disse, é tudo novo e eu não sei o dia de amanhã. Mas eu posso dizer que é possível trabalhar com o que se gosta, para o que se acredita. E é possível fazer a diferença no mundo, começando pelo seu trabalho. E é possível ganhar dinheiro com isso. Mas isso é uma consequência, e nunca o objetivo. Ah, e é possível fazer tudo isso conciliando com uma praia no meio da semana, com uma feira no mercado público de manhã, com um cinema no meio da tarde. Porque pode ter madrugadas de trabalho, domingos de trabalho, horas de almoço de trabalho, que quando colocamos na ponta do lápis percebemos que ainda estamos ganhando. Porque investir na nossa vida também tem que estar nas nossas contas.

Então fica aqui a minha humilde mensagem pra vocês: busquem um propósito para a vida de vocês e reflitam isso no trabalho que escolherem desenvolver. Sejam pessoas boas e ajudem outras pessoas. Façam a diferença no mundo, começando por sua própria casa. Tenham mais tempo pra viver, porque a vida é hoje e o hoje passa muito rápido. Sejam felizes, sempre.

<3


meu instagram viu – junho/15


O mês de junho é o meu mês, e nele aconteceram várias cosias importantes e que mudaram um pouco a minha vida e a minha percepção das coisas. Aqui nem tem tantas delas, porque muitas são só na cabeça e no coração, e nem passam pela lente da câmera. Mas tem uns momentos legais e que super valeram o registro. :Dmeu instagram viu 10Meu Instagram Viu o show de Backstreet Boys que foi um dos melhores da minha vida. Fui por acaso, sem expectativa e me surpreendi muito! Eles cantam mesmo! Eles dançam mesmo! E deu pra sentir que eles fizeram o show com vontade e alegria, sabe? Foi arretado.meu instagram viu 9Meu Instagram Viu o conhecimento das ruas aqui em Casa Amarela. O amor é importante, porra.meu instagram viu 8Meu Instagram Viu Chica sorrir para a foto na rede do Olodum. meu instagram viu 7Meu Instagram Viu como tomar picolé em casa pode não ser tão fácil quanto parece.meu instagram viu 6Meu Instagram Viu meu sorriso frouxo num clique de Ivan Alecrim lá no Instituto Candela.meu instagram viu 5Meu Instagram Viu a igreja do batman aqui em Recife.meu instagram viu 4Meu Instagram Viu o clima junino chegar pro café da manhã, com queijo coalho assado e goiabada. Pense numa mistura boa!meu instagram viu 3Meu Instagram Viu quando eu comecei a colorir meu livro de mandalas mágias e ó, adorei.meu instagram viu 2Meu Instagram Viu quando eu levei Chica pra trabalhar lá no Candela, mesmo que na foto só dê pra ver uma mancha preta com língua. :Pmeu instagram viuMeu Instagram Viu o banzo desses irmãos num dia de chuva.meu instagram viu 11Meu Instagram viu quando Malu fez o meu aniversário ficar ainda mais especial, ficando comigo o dia todo, da praia ao bar. <3

Para acompanhar todos os posts do meu Instagram, segue aqui: Terrinha.

E aqui estão os outros posts da série “Meu Instagram Viu” e até o mês que vem!


você sabe o que é dipped furniture?


Dipped Furniture 4Eu não sabia. Na verdade, sabia o que era mas não sabia que tinha nome, e muito menos que esse nome era dipped forniture, ou dip dye. Mas, na verdade, é essa técnica de colorir apenas uma parte de móveis ou objetos, destacando com uma cor um pedaço dele. Fica lindo, né? Eu vi lá no Follow The Colours e joguei logo no Pinterest pra ficar navegando pelas imagens inspiradoras.Dipped Furniture 9 Dipped Furniture 6 Dipped Furniture 1 Dipped Furniture 2 Dipped Furniture 7 Dipped Furniture 12 Dipped Furniture 14 Dipped Furniture 15 Dipped Furniture 22 Dipped Furniture 19Dipped Furniture 20E fazer é super fácil, né? Basta escolher qual móvel ou objeto da casa está precisando daquele “tchan”, escolher uma cor que combine com a sua decoração e botar a mão na massa. A dica, se for fazer alguma coisa mais marcada com linhas e tal, é usar uma fita crepe para marcar. Aí pinta por cima, espera secar e quanto tira tá lá, lindo e colorido bem certinho. E é bom que dá pra fazer em um monte de coisa! Nas portas, janelas, móveis, espelhos, quadros e até nos vasinhos pro jardim. Fica uma graça :)
Dipped Furniture 21Boa semana com muita inspiração e cor, gente. <3


mousse de milho verde com goiabada


mousse de milho verde com goiabada 2Eu saí do São João, mas o São João não saiu de mim! Eu acho que só não gosto ainda mais do São João porque não sei dançar, sabia? Porque ô época boa. Eu sou apaixonada pelas comidas juninas e tudo que envolve milho verde. Eu sou apaixonada por milho, sério. No sabugo, na lata, nas receitas, em tudo. E foi pensando em fazer uma receita diferente pra esse São João que eu pensei em um mousse de milho verde. Eu nunca tinha visto e nem comido, mas quando fui ver já tinha um monte de receita por aí hehehe Mas com goiabada junto posso garantir que não vi nenhuma, e nem sei porque… Pense numa combinação boa! Então que tal deixar o sabor do feriado mais gostoso do ano por mais tempo na mesa? :) E é super fácil, acompanha.mousse de milho verde com goiabadaO creme você faz inteiro no liquidificador. Primeiro bate 1 lata de milho verde escorrida junto com 1 lata de leite (usei a lata do milho de medida). Então deixa bater bem, tira tudo e peneira isso. Então pode voltar com esse creme pro liquidificador (lembra de passar uma água antes pra tirar as cascas que ficam lá, hein?) e misturar 1 lata de leite condensado1 caixinha de creme de leite. Bate por uns 2 minutos pra deixar tudo bem misturado, então mistura 2 pacotinhos de gelatina incolor e sem sabor, dissolvida como manda a embalagem. Então bate de novo só pra misturar e tá pronto. Então é a hora da queridinha da receita: a goiabada.mousse de milho verde com goiabada 8 mousse de milho verde com goiabada 7 mousse de milho verde com goiabada 9Corte e derreta junto com um pouco de água 500g de Goiabada Tambaú, mas tem que ficar mexendo sempre pra não queimar e nem grudar, tá? Pode adicionar água durante se precisar. Eu gostei de usar a goiabada dessa embalagem porque ela é mais fácil de cortar tanto para derreter quanto para fazer as bandeirinhas que vão decorar a sobremesa. :)mousse de milho verde com goiabada 6Aí você deixa esse creme de goiabada esfriar um pouco, lutando contra a vontade de ficar roubando um pouquinho e depois mais um pouquinho e depois mais um pouquinho…mousse de milho verde com goiabada 5Então é só montar nas taças, colocando a goiabada no fundo e depois, delicadamente, juntando o creme de milho. Joga devagar pra não misturar muito e ficar assim bem bonita, tá bom? Aí você leva a geladeira por 4 horas e depois é só decorar com as bandeirinhas de goiabada, que você pode fazer qualquer formato depois do São João. Corações, estrelinhas, letras, é só soltar a imaginação. <3mousse de milho verde com goiabada 4 mousse de milho verde com goiabada 3Fica lindo, né? E posso garantir que fica uma delícia! O creme de milho fica bem consistente e quando você chega na goiabada ela tá suuuuper cremosa. Coisa de louco. Vai gente, vai fazer que é coisa linda e deliciosa! :Dmousse de milho verde com goiabada 10

* Post em parceria com a Tambaú Alimentos



© 2016 - ideias de fim de semana