home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre bagunça

uma casa em tóquio


casa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquiocasa em toquioEu acho que nunca postei uma casa no Japão por aqui… Não que eu me lembre. E quando eu vi essa casinha em Tóquio lá no The Selby, o que eu achei mais legal é que ela é uma casa multicultural. O espaço é algo bem japonês, eu diria hahaha :P Pequeno, apertadinho. E também tem outras coisas bem da cultura japa na decoração. Mas dá pra ver referências de vários lugares, momentos da história, da arte. Achei inspirador.

Eu sei que muita gente vai dizer que é bagunçado, apertado, que ia morrer de nervoso, que pra limpar deve ser terrível, que “oh meu deus eu morreria aí dentro dessa casa horrorosa”, mas eu achei super legal. Um espaço tão pequeno e que ganhou cara de um lar super confortável justo por esse seu pequeno caos.

Coisas espalhadas, penduradas, coladas, amontoadas. É isso que eu acho que dá personalidade a um ambiente. E poxa, ela consegue ter várias plantinhas, veja só. Dizem que pra ter um jardim ou uma horta a gente precisa de espaço, mas essas fotos mostram justo o contrário, né. Ela tem mais vida aí nesses vasos do que se pode encontrar em grandes casas e apartamentos.

Eu tentei fazer uma seleção das fotos, mas confesso que foi difícil escolher. Porque mesmo sendo um ambiente tão pequeno, o The Selby conseguiu registrar muita coisa, e tem muuuito mais fotos lá no post que vale o clique.

Então fica aqui a minha inspiração para o começo da semana. Uma bagunça apertada e simpática. :)


tempos de mudança. de novo.


mudançamudançamudançamudançamudançamudançaSim, sim. Parece que foi ontem que eu me mudei da zona sul aqui pra zona norte, perto do trabalho. Que troquei as duas horas de trânsito pelos 50 passos e pela qualidade de vida de almoçar em casa. Mas tão rápido quanto passou esse 1 ano que morei aqui do lado da agência, foi o tempo que eu tive pra sair do apartamento. Pois é. Com o final do contrato o proprietário fez um aumento abusivo de preço que praticamente me expulsou de lá, e em duas semanas eu e Manoel tivemos que encontrar um apartamento, agilizar os documentos e realizar a mudança. Sim, foi tudo muito rápido.

Foi quando tivemos a oportunidade de ver o boom imobiliário que Recife sofreu. E quando eu achava que por ter mais apartamentos, tudo poderia estar mais barato… Doce ilusão. Em 2013 parece que tudo está mais caro do que merece ser. Apartamentos velhos, pequenos e feios com preços abusivos. Além da correria, foi um verdadeiro trabalho de garimpo.

Garimpamos os jornais, ligamos pra uma média de 30 a 40 números por dia, andamos por todas as ruas da zona norte do Recife e, aos 45 do segundo tempo, encontramos duas opções. Andamos até o final com as duas e depois de correr, cansar, se desesperar e achar que tudo ia dar errado, ainda tivemos o luxo de pode escolher. E escolhemos. :)

Pegamos a chave do apartamento na sexta-feira e nos mudamos no sábado. Sim, foi tudo em cima da hora, mas deu tudo certo, como Manoel sempre disse que daria mesmo em meio aos meus ataque histéricos de desespero. E agora somos moradores de Casa Amarela. :D

Quem fez a nossa mudança foi Manoel com mais 4 amigos num caminhão emprestado. Ainda bem que não choveu, porque era um caminhãozinho pequeno, desses abertos, sabe? Mas tenho que dizer que foi uma experiência 1000x melhor do que a que eu tive da outra vez, pagando mais de 700 conto pra um bando de incompetentes oportunistas. Dessa vez demos duas viagens com o caminhão e pronto. Em 5 horas tudo estava dentro da nossa nova casa, sem maiores transtornos. E nem acabamos com a grade de cerveja que compramos pra ser o combustível. :)

Agora nós moramos um pouco mais distante do meu trabalho, um pouco mais perto do dele. Mas com certeza seremos muito mais felizes. Eu acredito muito na energia das pessoas e dos lugares, sabe? E essa foi a maior mudança. Parece que no outro prédio todo mundo era frio, chato, briguento. Era um clima meio pesado e as coisas pareciam não dar muito certo por lá. Mas ao chegar nesse prédio deu pra sentir a diferença. As pessoas sorriem, são simpáticas, contam histórias. Até Chica já fez um amigo. Sim, sim. Tem um Westie lindo e pimpão que mora no apartamento da frente. Ele já foi lá em casa, se conheceram e tudo mais. Os pais dele são super legais e parece que temos tudo pra sermos uma família feliz por lá. :D

Agora é terminar de desbravar a selva de caixas, conseguir se organizar e abrir as portas pra receber a família, os amigos e também pra tirar umas fotos e trazer pra cá. Porque até agora é só isso que eu tenho pra mostrar hahaha :P Caixas, bagunça, Chica na varanda, sofá sendo montado e a vista cheia de verde. Então se eu sumir (ainda mais) do blog por uns tempos, é isso. Tempos de mudança. :)

20130318-223814.jpg


uma casa cheia de brebotes


uma casa cheia de brebotesuma casa cheia de brebotesuma casa cheia de brebotesuma casa cheia de brebotesuma casa cheia de brebotesuma casa cheia de brebotesuma casa cheia de brebotesuma casa cheia de brebotesEu adoro um brebote, uma lembrancinha, um souvenir, um negocinho aqui, outro ali. Acho que é por isso que quando vejo uma decoração assim, bem cheia de coisas, eu super me identifico :P Eu não sou a pessoa mais organizada do mundo, então essa baguncinha de coisas faz eu me sentir em casa. Coisinhas estrategicamente espalhadas pela casa, cada uma com uma história, uma lembrança, um significado. Acho que uma casa cheia de coisas tem mais vida, mais história e mais alma que as outras.

Eu sei, é super chato pra limpar, pra organizar e tudo isso. Mas ainda assim é o tipo de decoração que eu gosto. Essa casa fica em São Paulo e é um loft que surgiu da união de três quitinetes. Pelo que eu entendi no post do Quarto & Sala, quem mora aí é Lídia (que eu não entendi se é atriz ou artista plástica), junto com sua bebê e sua cachorra.

São 100m2 em um único vão, com sala, quarto e cozinha. A falta de paredes deixa tudo maior, mais amplo, mais iluminado. E mesmo que a casa seja cheia de coisas, ela continua espaçosa e livre. Eu gostei, de verdade. Gostei dos quadros, das estantes repletas de coisas, dos pequenos objetos, dos penduricalhos, da mistura de culturas e religiões, tudojuntomisturado.

Eu sei que esse tipo de ambiente não agrada muita gente, mas eu gosto e tinha que compartilhar :)

Boa semana!



© 2016 - ideias de fim de semana