home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre bike

entrei no mundinho da bicicleta


michoneEu não sou cicloativista. Eu não sou contra carros. Eu não levanto partidos. Eu tenho carro, e vou continuar tendo. Dito isso, começo uma declaração livre de qualquer bandeira, beleza? É apenas um relato de uma pessoa que, mesmo sabendo o que ia encontrar num trânsito “compartilhado”, se chocou.

Não é de hoje que as atitudes dos seres humanos impressionam com sua desumanidade, né? Mas eu nem vou entrar nos méritos dos grandes casos. O que mais me choca no dia a dia é a falta de educação, de gentileza, de bom senso. Eu morava há quase 20km do meu trabalho e pegava entre 1 e 2 horas por dia de trânsito, todos os dias. E eu sei os efeitos que isso causa nas pessoas. Nervosismo, cansaço, estresse. E quem sofre geralmente são as pessoas ao seu redor. Outros motoristas, motociclistas, ciclistas, pedestres. O trânsito é um show de horrores todos os dias.

Hoje foi o primeiro dia que eu vim trabalhar de bicicleta. Eu estou morando agora a pouco mais de 3km do trabalho e o percurso é relativamente tranquilo. Eu não passei a vir de bike pro trabalho pelos movimentos de tirar um carro da rua nem nada disso. Desculpa decepcionar. Minha decisão de pedalar como meio de transporte é mais egoísta do que isso. Eu não quero demorar 30, 40, 50 minutos dentro do carro no trânsito pra percorrer 3km. Simples assim. E eu me aproveito desses movimentos pró-ciclísticos que estão acontecendo e entro numa onda onde pessoas estão querendo mais espaço nas ruas, mais ciclivias, ciclofaixas, mais respeito.

Mas tenho que dizer que ainda falta MUITO. Na verdade, quando eu fui pra parte prática da coisa, de colocar o capacetinho, a mochilinha e jogar a bike na rua, eu achei que nada tinha sido feito. Realmente. As pessoas não respeitam e pior, elas querem agredir as pessoas das bicicletas. Gratuitamente. Talvez esses movimentos muito calorosos dos ciclistas esteja até atrapalhando, sabe. Acho que isso está incomodando as pessoas. E eu mesma me sinto incomodada com tanta rebelião. Eu tenho carro, não vou deixar de ter e eu não sou uma pessoa ruim por conta disso. Parece que agora quem tem carro é do mal. E não é isso. Mas parece que pra defender um lado as pessoas precisam denegrir outro, e eu acho que é nisso que os cicloativistas estão errando. E talvez seja isso que esteja incomodando.

Uma situação pequena e simples que aconteceu no trânsito hoje foi o que me motivou a escrever esse texto. Eu estava no cantinho da rua, num trecho sem ciclovaixa. Foi na subida da ponte que, meu deus, como cansa. Não bastasse minha inexperiência, medo e insegurança de estar sozinha de bicicleta por ali, encontrei uma pessoa de má fé. Uma feladaputa mesmo. O trânsito estava completamente parado. Eu estava em pé em cima da bike. Os carros andavam de centímetro em centímetro. E eu acompanhando no meu cantinho. Mas a cada centímetro que o trânsito se movimentava, a mulher do carro da frente olhava no retrovisor e se aproximava mais do meio fio. E cada vez mais. Sério, eu vi a hora dela raspar o pneu na muretinha na ponte. E tudo porque? Porque ela viu que tinha um ciclista esperando a chance de passar ao lado dela, ultrapassar um pedaço do trânsito e seguir o seu caminho.

Na boa, o que leva a pessoa a fazer isso? A ser assim? O que essas pessoas pensam? É muita maldade no coração do ser humano, viu. Então acho que antes da gente pensar nas pessoas como pedestres, ciclistas, motoristas ou motociclistas. A gente tem que lembrar que pessoas são pessoas. Seres humanos. Alguns bons, outros ruins. Não é porque tá no carro que é ruim, porque tá na bike que é legal. Existem pessoas boas e runis de todos os lados. E a gente tem que lidar com elas o tempo todo. Seja na família, no trabalho, na sala de aula ou no trânsito.

Então eu só queria deixar uma mensagem pra começar a semana. Vamos ser pessoas melhores, gente. Em pequenos atos. Em pequenas coisas. Seja lá qual for o meio de transporte que você use. Vamos ser mais gentis, mais felizes, mais humildes. Porque se tem uma coisa certa nessa vida, é que gentileza gera gentileza. E eu quero seguir gerando esse sentimento o quanto eu puder.

Bom dia e boa semana, gente.



© 2016 - ideias de fim de semana