home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre brinde

um brinde à cerveja


eu amo cervejaeu amo cervejaeu amo cervejaeu amo cervejaEsse post tem a maior cara da sexta-feira, né? Mas tenho que dizer que a história dele é bem pessoal. Vou contar minha história com essa loira :)

Há uns 5 ou 6 anos atrás eu não bebia cerveja. Curtia vodka, licor, até uma boa cachaça tava valendo. Mas eu sempre tentei gostar de cerveja, me parecia tão mais prático e social. Todos os meus amigos bebiam cerveja, e eu vodka. Todos podiam comprar cerveja em qualquer lugar, e minha vodka sempre era um transtorno pra ter gelo e um acompanhamento tipo suco, refrigerante, energético ou halls (sim, halls).

Obs: Se você tem problemas com álcool, não continue lendo o post. Risco de apologia :P

Eu não sei exatamente quando comecei a tomar cerveja, mas hoje eu fico feliz em ter começado. De verdade. Sempre vi minha mãe trabalhar muito, feito doida mesmo, e na sexta-feira, no fim do expediente, abrir sua cerveja e relaxar. Eu já postei aqui meu sentimento aqui sobre a hora do café, e a hora da cerveja também tem seu significado.

Eu gosto de bebericar enquanto estou cozinhando, parece que o ritual fica mais completo, sabe? Quando é dia da pelada de Paolo e eu fico sozinha em casa, abro uma cerveja e vou pro computador fazer posts, ler posts, ver seriados, essas coisas. Quando eu bebo cerveja com os amigos é uma sensação de confraternização divertida, e quando é com as amigas é de uma intimidade e de uma semvergonhice que vou te contar, viu? :P

Eu bebo cerveja até nos momentos mais românticos, já que o vinho, a bebida mais romântica do mundo, eu ainda não aprendi a gostar.

Quando é com a minha mãe, na sexta-feira, é uma sensação de que o fim de semana está começando. É quando eu entendo o que a minha mãe que está sempre trabalhando, cuidando de casa, de filho, de cachorro e, quando sobra tempo, dela mesma, sente quando faz um brinde com uma gelada no fim do dia. É uma sensação de “eu mereço”, sabe? A cerveja virou uma recompensa que eu dou para mim mesma, após horas de trabalho e correria.

Uma recompensa que muitas vezes é usada como desculpa para experimentar vários tipos, e preços, de cerveja. Artesanais, de trigo, as mais claras, as mais escuras, mais turvas, as importadas. Estava falando isso ontem na agência: eu adoro conhecer lugares que oferecem cervejas diferentes. Sou geminiana gente, nunca consigo escolher. Dá vontade de pedir todas.

Ontem, depois de trabalhar, caminhar 4km arrependida de não ter ido pra academia na hora do almoço, passar no supermercado e no posto de gasolina, eu resolvi colocar uma cerveja pra gelar. Porque achei que eu merecia, já que ainda ia cozinhar minha marmita de amanhã e fazer um post pro Ideias :)

Claro que com moderação, mas as  vezes tudo que a gente precisa é abrir uma cerveja e pensar: eu mereço.

Bom fim de semana :)

 


sábado com uma pitadinha especial


Com o perdão do trocadilho do título, passei um sábado agradabilíssimo na casa da Ju, do Pitadinha, que sem dúvidas é muito especial mesmo :) Ela abriu as portas da sua casa, à beira do Rio Capibaribe, para mim, Cami do Na minha panela e Jinmi do Brebotes e foi divertidíssimo :D

Além de me fartar de comer todos os quitutes deliciosos que a Ju preparou com todo mimo possível, dei tanta risada, foi tanta história, que a gente não parou de falar e rir, falar e rir hahaha :P Eu ainda aluguei a Fernanda, filhota da Ju e do Filipe (que é tão fofo quanto a esposa), e me diverti horrores brincando com ela. Pensem numa bebê fofa, simpática e super gente boa, é a Fê :)

A casa da Ju é uma coisa maravilhosa. Com vista para as pontes do Recife, num apartamento bem antigo, enorme, de quartos enormes, de varanda enorme, de pé direito enorme, e com uma escada! Ah, como eu amo escadas <3 É ventilada, iluminada, com um piso de madeira aconchegante, é realmente o ambiente ideal para uma reunião de blogueirinhas luluzinhas hahaha :P

O cardápio foi chiquérrimo, e nós demos conta de comer quase tudo. Porque, afinal, esse era o único momento que a gente parar de falar e rir, era quando estávamos de boca cheia :P Os quitutes foram:

Muffin integral de queijo e espinafre (impressionantemente delicioso)
Sanduichinhos integrais com recheio de pasta de kani (hummm)
Brioches com mussarela fresca, tomate cereja e manjericão (delícia. eu tirava o manjericão porque sou fresca, mas tava realmente uma delícia.)
Pasta de grão de bico, ricota e hortelã (a melhor que já comi)
Belisquete de melão com presunto (pense numa mistura boa)
Creme de chocolate com café (morri)
Cupcakes de limão com pedaços de chocolate e cobertura de buttercream (<3)

Pena que a tarde passou tão rápido, mas foi bom porque ficou aquele gostinho de quero mais :) Agora, como eu já disse para as meninas, temos que marcar alguma coisa um dia inteiro, pra poder contar todas as histórias. Na verdade, nós precisaríamos de vários dias inteiros para contar a maioria das histórias, e nunca ia acabar hahaha É muita fofoca socialização de informações, como diz Ju :P Ah! E ainda teve presentinho para as convidadas, rapaz. Coisa outra fina. Posso adiantar que foi um conjuntinho de saleiro e pimenteiro lindo de viver, mas a foto dele só no próximo post :P

Meninas, amei <3

Vou terminar o post como terminou nosso sábado. Com uma noite linda, calma, iluminada e feliz :D

Update: a Ju fez um lindo post no Pitadinha sobre o nosso encontro, vejam aqui :)



© 2016 - ideias de fim de semana