home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre caranguejo

já que é pra trintar, trintei.


trintinha 145Eu estava ansiosa pelo meu aniversário de 30 anos como eu acho que nunca fiquei. Não sei bem porque, mas senti que realmente era uma festa de ano novo. E foi por isso que resolvi fazer uma festa mesmo. Aproveitei que meu irmão tá no Brasil e meu pai arrastou a família pra Recife pra comemorar comigo. Então pela primeira vez em alguns bons anos, reunimos novamente meu pai, minha mãe e meus irmãos no mesmo balaio. Tinha mesmo que comemorar.trintinha 11

Fiz a festa no quintal da Casa 57, um espaço massa onde tem o Café e Atelier da Gordinha e a loja da Vitalina. A casa é linda e acomodou carinhosamente todos os convidados. Para o dia, fiz uma decoração simples. Como fiz tudo praticamente sozinha, não tive tempo livre pra fazer muito mais do que isso hehehe :P Escolhi o vermelho de amor e da luta pra ser a cor da festa, e a partir daí fui juntando umas coisas.trintinha 2 trintinha 3 trintinha 5trintinha 10trintinha 1

No teto, pendurei 30 estrelas, essas que ensinei como é que faz nesse post aqui. Na entrada fiz uma cortina de corações, que são super fáceis de fazer também. A dica tá aqui. Além disso, pintei alguns cartazes com frases que eu compartilho da ideologia, e deixei pendurados pra quem quisesse pegar pra tirar foto. Nas mesinhas eu fiz um arranjo super simples com o origami de coração que eu sempre faço, e inclusive é a inspiração da marca e identidade visual do blog, espetei em palitos de churrasco e coloquei em potes de palmito com sal grosso e brilho vermelho.trintinha 6trintinha 4trintinha 16

Sim sim, além do vermelho, o “open bar de brilho” era o ponto forte da decoração, afinal, foi o que decorou a parte mais bonita da festa: os convidados. <3 Coloquei à disposição da galera brilhos de várias cores, tipos, formatos, espelhinho e gloss pra aplicar. Foi tão lindo ver todo mundo brilhando! As pessoas ficaram radiantes, feito eu estava.trintinha 8

A festinha também foi “open bar de caranguejo”, então foi uma mistura de brilho com lambuzado em todo mundo hahah :) São duas coisas que eu aaaaaamo de paixão, brilho e caranguejo, então fiz questão de dividir com esse povo bom que eu tenho por perto. Mamãe ainda fez um caldinho de feijoada delicioso pra dar a sustança na turma, e o café da Gordinha estava vendendo as bebidas e as comidas deliciosas dela. Pense que ficou todo mundo super bem servido.trintinha 13 trintinha 12 trintinha 9O som da festa estava suuuuper elogiado, o tempo inteiro. Teve DJ Fininho (meu amor <3) e DJ Galego dos Coelhos. Teve duelo dos dois, deve som de vinil, de iPad, de computador, teve tudo. Além disso, tinha Ianah Maia fazendo flash day de tatuagens, com desenhos lindos a R$200. Ela tatuou 6 pessoas e eternizou o dia da festa na pele. Belle Souza da Hair Instiga também tava cortando cabelos por lá, deixando o povo ainda mais bonito. Pese numas atrações rochedos que eu consegui reunir! trintinha 14 trintinha 7O dia estava lindo, o céu estava claro, sem uma nuvem. A noite caiu gostosa com uma lua belíssima bem acima das nossas cabeças. Foi tudo tão incrível que eu não consigo parar de agradecer por esse dia. Teve skype com amiga em Barcelona, teve presente de amiga de São Miguel do Gostoso, teve gente se fazendo presente mesmo à distância. E eu posso garantir que recebi todas as good vibes enviadas. Ainda tive a sorte de ter fotos dos convidados, que levaram câmeras pra ajudar a registrar esse momento incrível. Então aqui tem fotos de Julia, Yanna, Malu e minhas. :)

Ah, de presente para os convidados, eu pedi 1kg de ração para cachorro adulto, que eu vou doar para uma moça que cuida de uns cachorros resgatados lá em Camaragibe. Ano passado fiz isso também, e vi o quanto ajuda. Esse ano foram arrecadados 52kg de ração, e isso me deixou ainda mais feliz do que eu achei que poderia ficar. Meu coração está gordo de amor, e eu sou só gratidão.

Obrigada 30, você chegou me fazendo muito bem. Estou me sentindo linda, e a parte mais bonita tá brilhando aqui dentro do peito. Vamos celebrar a vida!trintinha 15


algumas impressões de aracaju


aracajuaracajuaracajuaracajuaracajuaracajuaracajuVamos falar um pouco da cidade de Aracaju. Pouco mesmo, porque nem deu pra conhecer muito. Pegamos dois dias com muita chuva e pouca coragem de sair, então terminamos sem conhecer muita coisa nem fazer muitos programas. Mas deu pra ter algumas impressões da cidade.

# Os caranguejos

Eu sou uma pessoa incrivelmente apaixonada por caranguejo. Sério, gente. Desde pequena que mamãe me leva pra comer e esse é um dos grandes prazeres da minha vida. Sou daquelas que come tudo quebrando no dente, patinha por patinha, patola por patola, e que comemora quando a cabeça está bem gorda e amarela, pra comer de colher. E, por prazer dessa vida, encontrei uma pessoa que também tem essa paixão pelos bichinhos que andam de lado. Então eu e meu lindo simplesmente detonamos vários caranguejos, sempre, quase todo final de semana. E quando se fala em Aracaju já se pensa: caranguejos. Pelo menos é o que eu sempre penso e o que todo mundo me disse, quando eu falei que ia pra lá. Então, dada a fama do lugar e a coincidência de irmos no começo dos meses sem R do ano, ou seja, quando eles começam a ficar gordos e deliciosos, a expectativa era grande. Acho que passei uma semana falando dos tais caranguejos e que eu não tinha dúvida de que ia comer milhares e que seriam os melhores caranguejos da minha vida. E, tenho que dizer, que foi triste. :( Pois é, acho que não demos muita sorte.

Fomos no Amanda, o mais indicado por todos como o melhor caranguejo da cidade. Pedimos logo 6 pensando que ia ser só a entrada. O caranguejo veio grande, bonito, como dá pra ver na foto. Mas poxa, não tava gostoso. Uma decepção. Pior que muita gente já tinha me falado desse bar, e até um casal que é de Aracaju que estava comendo por lá no dia disse que não era assim, que estava ruim mesmo. Sem gosto, meio seco e com a carne que não desgrudava da casca nem pagando o dobro. Tudo bem que as cabeças estavam gordas e suculentas, mas não foi aquele prazer de comer as patinhas e as patolas, sabe? Uma pena. Mas então fomos ao Cariri, o que parece ser o mais conhecido da Passarela do Caranguejo por seu forró pé de serra, sua decoração temática e suas comidas gostosas. Arriscamos pedir mais alguns carangas e veio melhor do que os anteriores mas, ainda assim, não estava o melhor do mundo. Tomamos uma Germaninha gostosa pra animar, com umbu-cajá azedinho, e seguimos em frente :) Talvez o problema tenha sido a minha expectativa, ou o fato de ter um caranguejo delicioso na esquina de casa. Mas a verdade é que os bichanos eram mais bonitos do que gostosos.

# Praia de Atalaia

A praia de Atalaia é a mais famosa de Aracaju, pelo que eu pude ver. Todo lugar indicava ela, principalmente a parte na frente da Passarela do Caranguejo, que é onde ficam os bares e restaurantes, e também a Praça dos Arcos, esses azuis, que são cartão postal da cidade. Tudo bem que a gente não deu muita sorte com o tempo, e na sexta-feira choveu boa parte do dia, só abrindo o tempo no final da tarde. No sábado choveu mais cedo, mas perto da hora do almoço já dava pra pegar uma praia. E eu, seca por um bronze e um calorzinho, fiz meu lindo andar a imeeeensa faixa de areia pra achar um lugar pra gente ficar. Sério, gente. Pense numa quantidade enorme de areia pra chegar até a água. Parece que não chega nunca :P

Agora o que mais me deixou intrigada foi a enorme quantidade de mesas, cadeiras e guarda-sóis que ficam lá na praia. Tipo, ficam pra sempre, sabe? Tem fiscalização e ninguém mete a mão, achei digno. Mas isso ajuda a dar um ar meio estranho a praia. Tipo, ela não é uma praia deserta, afinal, é cheia de mesas e cadeiras. Mas não tem ninguém. Nenhuma barraca aberta. Nobody. Então fica meio que com cara de praia fantasma, sabe? Como se tivesse alguma coisa lá que ninguém fosse e só a gente não soubesse o que é hahaha :P Mas eu fiquei foi com a impressão de que a gente estava no lugar errado da praia, só pode ser. Pra tanta gente falar bem ela não pode ser assim tão estranha, eu devo ter errado em alguma coisa :P

# Museu da Gente Sergipana

Vamos fazer uma pausa para dar uma salva de palmas ao Museu da Gente Sergipana. Clap! Clap! Clap! Gente, que lugar bacana. Feito pela mesma galera que fez o Museu da Língua Portuguesa de São Paulo, o Museu da Gente Sergipana é encantador. Todo interativo, faz a gente embarcar mesmo na cultura de Sergipe. Eu fico logo boba com qualquer coisa que envolva tecnologia, né? Tanto porque são ossos do meu ofício, quanto porque eu realmente adoro todas as possibilidades que o bom uso da tecnologia oferece. Principalmente pra uma coisa assim, voltada para a cultura local e pra educação. É realmente encantador. E quando a gente vê as crianças se divertindo com as interações, brincando com as coisas e, mesmo que nem percebam, aprendendo um bocado, é bem bacana. Também ver os adultos com cara de bobos vendo tudo aquilo funcionando e interagindo com você é massa :) Eu mesma fiquei boba. Adorei e super indico o lugar. Quem vai pra Aracaju TEM QUE ir ao Museu ;)

# Companhia

Porque a verdade é que não existe caranguejo ruim nem praia estranha quando a companhia é perfeita. E é sempre massa estar contigo, lindo. Sempre é. <3

aracaju


o melhor caranguejo da praia


Lembra do meu desejo? Pronto, Manel matou ele me dando a última agulhinha do dia por conta da casa. Fui feliz? :)Eu frequento a barraca de Manel, na praia de Piedade, há tanto tempo que eu nem sei te dizer. Eu ia muito pequena com minha mãe e minha madrinha, comer vários, vários e vários caranguejos. Mas porque o caranguejo de Manel é o melhor? Porque é feito com carinho, atenção e experiência. Ele tem o trabalho de “depilar” todas as patinhas, que são servidas cheias de pelos até em restauranets, deixando muito mais agradável na hora de quebrar pata por pata no dente. Sim, no dente :D

Muita gente diz que não come caranguejo porque o custo x benefício não vale a pena. Desculpa esfarrapada. Comer caranguejo é muito mais do que medir a quantidade de carne que vem em cada pedaço. É uma terapia. Uma saborosa terapia :) Ele pode ser feio, mas eu não tenho o menor problema em comer patinha por patinha, e depois mandar ver de colherzinha tudo que tem na cabeça :D Quando ele tá gordinho, é sem dúvidas a parte mais gostosa (babando).

Manel tem 40 anos de praia, e no alto dos seus 63 anos, esbanja saúde. O ponto dele fica próximo ao número 3200 da av. Bernardo Vieira de Melo, na altura do edf. Massapê. Sempre que eu vou lá a cerveja tá gelada, o caldinho de sururu tá no ponto e o caranguejo vem suculento. Pena que já entramos no mês “com erre”, que é quando os bichos estão emagrecendo… Mas tem nada não, eu como assim mesmo :P

A praia de Piedade pode não ser a melhor praia, e não é mesmo. Mas para ir em Manel, vale a pena :)

E as fotos do dia foram de Paolo, já que eu estava muito ocupada pegando sol :)



© 2016 - ideias de fim de semana