home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre natureza

inhotim – nenhuma foto traduz


inhotim 1 inhotim 10 inhotim 8 inhotim 13 inhotim 2 inhotim 7 inhotim 5 inhotim 4 inhotim 3 inhotim 9 inhotim 6Na semana passada eu fui conhecer Belo Horizonte. Eu, com toda uma família mineira e visitando Juiz de Fora desde que eu me entendo por gente, nunca tinha saído dali pra conhecer a capital. Então peguei uns dias e fui. Eu já sabia que ia me apaixonar, afinal, uma cidade que é conhecida por seu mercado, botecos, cervejas e petiscos só poderia inspirar meu amor eterno. E inspirou. E eu já saí de lá querendo voltar.

Mas como o blog não é um sanduíche pra eu deixar a melhor parte para o final, vou começar pela parte mais gostosa: Inhotim! Gente, eu nem consigo descrever esse lugar. Primeiro eu fiquei feliz de que a melhor parte de BH fica, na verdade, em Brumadinho a 55km de distância. Eu achava que essas coisas só aconteciam em Recife. “Vai conhecer Recife? Não pode deixar de ir em Olinda e Porto de Galinhas!”, sabe? Pronto. Não desmerecendo o resto da cidade, de nenhuma das duas, mas é que Inhotim é simplesmente sensacional.

Infelizmente tive pouco tempo por lá, só uma tarde… E isso não dá pra conhecer nem metade do lugar! O que deixa ainda mais vontade de voltar, e logo. Eu não tenho nem uma palavra que consiga descrever o que é Inhotim. É tipo um centro de arte contemporânea dentro de um jardim botânico. Tem jardins incríveis, um lago maravilhoso que espelha tudo ao redor. É realmente um lugar pra você ir com calma pra respirar aquele ar, com fôlego pra fazer os caminhos andando e com tempo pra olhar as galerias, as instalações, as lojas de presente <3 Sim sim, eu sou uma vítima assumida dos souvenirs e adoro isso.

Bem, o que eu posso dizer mais sobre Inhotim… Primeiro, tenha no mínimo um dia inteiro pra ir lá, já que fecha às 16h30. Se tiver 2 ou 3 dias inteiros, vai valer a pena. Não se preocupe com a comida, faça lanches e seja feliz. Tem um restaurante buffet a 60 reais por cabeça e um self service que estava impossivelmente lotado, então eu e meu bem ficamos tranquilos com kibes e salgados na lanchonete. Entre em todas as galerias que você conseguir, é um banho de arte. Fotos, pinturas, projeções, intervenções artísticas, tudo vale a visita. Você sai de lá mais preenchido, sabe como é? Um banho de arte mesmo.

Eu não consegui ver muitas exposições, já que o tempo estava curto e os caminhos são longos, mas posso dizer que a subida de 550m até o Sonic Pavilion vale a pena. Você escutar o barulho do centro da Terra é assustador e encantador ao mesmo tempo. A galeria Miguel Rio Branco também é linda. Uma estrutura enferrujada agressiva no meio da beleza da “floresta”. As exposições de fotos e também de projeções em telas de voil são lindas, fortes e vale um olhar bem detalhado.

A galeria True Rouge é o tipo de instalação que deixa você hipnotizado. Você anda ao redor dela, olhando os tons de vermelho, os elementos, os líquidos, e pensando em mil significados pra tudo aquilo. Eu adorei. E tem uma lanchonete bem do lado, o que permite que, além de entrar pra ver, a gente possa comer olhando pra lá. Mas confesso que a vista pro lago é mais bonita <3 Ah, uma das obras cartão postal de lá também é a De Lama Lâmina, que deixou Victor encantado. É grandiosa, forte, robusta.

O que deixa o lugar ainda mais encantador é que enquanto você vai andando pelos caminhos repletos de árvores, bambus e diferentes espécies de plantas, você vai se deparando com instalações artísticas variadas. Tipo as paredes super coloridas da intervenção da Cor Penetrável, o estranho Boxhead, as obras sem título e cheias de pose de Edgard de Souza, a gigante Inmensa, entre tantas outras coisas. Não adianta eu falar tudo aqui, não adianta eu mostrar todas as fotos, não adianta. Inhotim é um lugar pra se visitar, se viver, se respirar, ter a experiência inesquecível desse lugar.

E quando a companhia é boa, tudo fica melhor ainda. <3

inhotim 12 inhotim 11


festival de rosas na bulgária


Há muito tempo atrás eu postei aqui os campos de tulipa da Holanda. Gente, que coisa tão linda… Tão colorida, tão delicada. Eu acho as flores uma coisa tão sutil e bonita de se ver, sabe? Acho que dar flores é um gesto enorme de carinho. Quando eu vejo campos de flores assim eu fico querendo apenas ir e sair andando aí pelo meio. Vendo as cores, o cheiro, a delicadeza da textura, tudo.

Quando eu vi no 79ideias esse festival de rosas lá na Bulgária, achei por bem compartilhar aqui um pouco dessa leveza e beleza. Acho incrível quando a natureza faz parte das tradições do lugar, sabe? Homens, mulheres, crianças, idosos, todos iguais diante das flores, dos campos. Acho uma coisa belíssima. Espero que vocês sintam a mesma paz que eu senti quando olhei as fotos. :)

Que seja um lindo dia.festival de rosas na bulgariafestival de rosas na bulgariafestival de rosas na bulgariafestival de rosas na bulgariafestival de rosas na bulgariafestival de rosas na bulgaria


decoração com arte, cor e natureza


decoracaocorartenaturezadecoracaocorartenaturezadecoracaocorartenaturezadecoracaocorartenaturezadecoracaocorartenaturezadecoracaocorartenaturezadecoracaocorartenaturezadecoracaocorartenaturezaFazia tempo que eu não entrava no The Selby, que tem sempre fotos lindas de casas de verdade. Essas são as mais inspiradoras, né? Essas casas de verdade, onde você vê um pouco da bagunça, da vida, dos moradores. Que não é aquela casa de revista que podia muito bem ter sido feita num programa de 3D e colocada ali. Esse é o sentimento da casa deste casal de artistas na Nova Zelândia.

Quando eu fui fazer intercâmbio, antes de começar a faculdade, estava tudo certo para eu ir pra NZ, mas no fim das contas terminei indo pra Londres e até hoje morro de vontade de conhecer esse lugar. Deve ser incrível. E essa casa, tão no meio da natureza, me deixou ainda mais afim de viajar pra lá :)

A casa não precisava ter nada além dessa vista e de ser rodeada de plantas, né? Achei tão aconchegante… Mas além disso ela ainda é cheia de arte e cores espalhadas por todos os lados. Pinturas, quadros, acessórios, tudo recebe um tom mais vibrante. Sem medo de errar, de não combinar, simplesmente deixando a casa com a cara dos moradores. Tudo me pareceu lindo.

O espaço do lado de fora com essa horta só me faz pensar na qualidade de vida esse casal. Esculturas de madeira e pedra espalhadas por todos os lados, dá a sensação de ser uma casa que fica no meio de um jardim botânico ou do jardim de um museu. A casa dentro não pareceu ser tão grande, tem mais fotos dela aqui, mas me parece ter o tamanho ideal para o casal.

É uma casa simples, sem requinte, sem luxo, mas com muita vida. Ela é artista e ele é MC, então eles passam mais tempo em casa do que quem trabalha confinado num escritório como eu. E por isso a casa respira essa vida. Porque é onde eles devem passar uma boa parte do tempo, e não simplesmente ir para dormir ao fim do dia. É uma casa usada, todos os ambientes parecem ser usados todos os dias, cada cantinho tem alguma coisa que chama a atenção e que deve mudar de lugar com o passar do tempo.

Essa decoração me pareceu bem mutante. Eu, ao menos, a faria ser assim. Mudaria sempre os quadros de lugar, pintaria sempre uma parede diferente, sempre daria uma cara nova a um móvel usado. Ah, se eu tivesse o dom de ser artista… :)

 


uma casa natural


Antes de tudo eu queria dizer que fico muito triste quando passo um dia sem postar aqui no Ideias… Eu sinto que fico sem tempo pra mim mesma, sabe? Mas acontece, né? Ontem, quando Andrezza me mostrou esse link do Fubiz, dizendo que achava minha cara, eu pensei: salvou meu post do dia! Mas entre uma reunião e outra, eu não consegui parar pra trazer essa linda casa pra gente. Mas hoje está aqui, com todas as fotos que tem direito :)

nature-house7nature-housenature-housenature-housenature-housenature-housenature-house

Eu achei essa casa tão orgânica. Literalmente, né? Até porque esse é um dos modernos projetos eco friendly, que eu tenho fé que vai virar uma tendência acessível para todos.

Confesso que eu não sei se conseguiria conviver com alguns detalhes, como o piso de pedra em alguns ambientes. Pedra eu acho bonito na parede, no teto, sei lá. Mas no piso me parece tão frio e desconfortável. Mas tenho que dizer que pra foto fica lindo :P

Adorei as prateleiras para os livros, acho que foi a coisa que eu mais gostei na casa inteira :P Apesar dessa casa ficar numa pequena cidade na Espanha, a fachada dela tem um clima meio Toscana, que me encanta. Acho que esses dias enquanto penso tanto em viajar por precisar ver uma paisagem nova, fotografar um cenário diferente do meu dia, eu vejo que voltei a sentir saudades da Toscana. A saudade de um tempo que nunca existiu. Ainda.

A paleta de cores da casa me agrada muito. Tons pastéis e rústicos me deixam tão confortável. Mesmo que alguns móveis sejam fixos nas paredes e chão, me agrada essa integração. Parece que esses móveis são apenas parte da casa. É tudo o mesmo organismo, sabe? Uma coizasó :)

Os detalhes desta casa são lindos. As velas lá em cima, as portas de madeira, os toy arts. Tudo é tão harmônico que acho impossível não gostar.

E vocês, o que acharam?



© 2017 - ideias de fim de semana