home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre pernambuco

cais do sertão


cais do sertao 1cais do sertao 20cais do sertao 17cais do sertao 5cais do sertao 18cais do sertao 14cais do sertao 6cais do sertao 4cais do sertao 2cais do sertao 3cais do sertao 7cais do sertao 8cais do sertao 13cais do sertao 9cais do sertao 10cais do sertao 11cais do sertao 12cais do sertao 15cais do sertao 19cais do sertao 16Depois que eu fiquei totalmente encantada com o Paço do Frevo, eu estava devendo uma visita ao Cais do Sertão, e ainda bem que eu tratei de ir logo. Gente, que lugar INCRÍVEL! É uma experiência que todo mundo deve viver, sério. A começar pela recepção. Pessoas simpáticas e instruídas a orientar todos os visitantes sobre o lugar, os territórios das exposições, tudo. Depois, quando você entra dá de cara com um lugar lindo, enorme e com tantas coisa bonita que você fica querendo olhar tudo ao mesmo tempo. No meio de todo o espaço tem a representação do Rio São Francisco, com água e peixes de verdade <3 Coisa fofa e que deixa o ambiente ainda mais agradável.

Pelo espaço podemos ver reproduções de roupas, acessórios, casas, ferramentas, tudo que envolve o cotidiano dos sertanejos e vaqueiros. É uma riqueza de história e cultura impressionante. Ao longo de todo o espaço podemos interagir com projeções, totens touch screen, áudios, vídeos, tudo. Essas coisas que prendem a nossa atenção e deixam a experiência da visita ainda mais viva, sabe? Pronto. A parte que tem a história de Luiz Gonzaga em áudio, vídeo e peças histórias é muito interessante e vale a pena ir olhando e ouvindo devagarzinho, uma a uma. Você se emociona, gargalha e aprende um bocado.

É impossível tentar descrever tudo que você encontra por lá, só no primeiro piso. Mas outra coisa que me encantou também foi o Túnel do Capeta, esse corredor cheio de espelhos e projeções que fica xingando você o tempo inteiro. São vozes sussurradas que profanam “capiroto, coiso ruim, cafuçú..” entre outros elogios do nível hehehe :P

O primeiro andar é super divertido! Tem a exposição da discografia quase completa de Luiz Gonzaga, além de salas áudio. Tem umas de karaokê, onde você seleciona a música e sai cantando, e depois escuta o resultado (ou não, como eu que não quis nem ouvir hehehe). Tem outras de mixagem, que você fica controlando os canais de som das músicas que você escolhe. E tem também a sala dos instrumentos, onde ficam lá à disposição instrumentos diversos para as pessoas interagirem. Mamãe mesmo tirou um som no violão, acompanhada por um dos monitores no pandeiro, que eu uso pra encerrar esse post. :) Porque eu acho que não preciso dizer mais nada além de: façam essa visita e vivam essa experiência. É obrigatória pra quem é de Pernambuco, pra quem visita Recife, pra todo mundo. :)


chez toi: rachel korman


Na semana passada recebi um e-mail bem legal da Manoella Valadares, dizendo que tinha conhecido e gostado do ideias, e me apresentando um projeto seu. Ela é uma jornalista pernambucana que se mudou com o marido, Edson Rosas que é publicitário, para Lisboa atrás de uma vida mais tranquila.

Lá eles criaram o blog Estectorama, que se resume como “nice web images” mas que traz uma gama de excelentes referências de fotografia, moda, arte e tudo mais. Dentro do Estectorama eles desenvolveram o projeto Chez Toi, que consiste em fotografar as casas das pessoas em busca de traduzir a sua personalidade.

Nas palavras da própria Manoella “O chez toi não é sobre decoração. É sobre a relação das pessoas com os espaços onde vivem. As casas revelam mais das pessoas do que roupas. Nossa intenção não é revelar por completo a intimidade dos fotografados. Na verdade é um passeio atento aos detalhes sutis que revelam um pouco da personalidade dos donos e donas de casa.”

Não é encantador? As fotografias são de Isabela Cunha, uma fotógrafa também pernambucana que morava em Lisboa, e os textos são da Manoella. Já foram publicados ensaios em Lisboa, Londres e hoje será lançado um de Bruxelas, que eu estou super curiosa pra ver :)

A casa que eu escolhi para ilustrar esse post é da artista visual Rachel Korman, meio mineira, meio polonesa, meio carioca e que mora em Lisboa. A gente pode ver que tem partes dela espalhadas por toda a casa, em pequenas figuras, pequenos objetos, até nos imãs de geladeira. Tudo tem um pouco da Korman e uma beleza única.

Eu amei a “não televisão”, a varanda com plantinhas, os quadros, os rabiscos de pássaros na parede, tudo parece que tem tanta história. E tem. Por isso que é tão lindo :)

Manoella e Edson, parabéns pela escolha da vida mais tranquila, pelo Espectorama e pelo Chez Toi. Tenho certeza que será um projeto muito lindo e que todos vão ficar curiosos para saber onde e como será a próxima edição. Boa sorte!



© 2017 - ideias de fim de semana