home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre recife

cais do sertão


cais do sertao 1cais do sertao 20cais do sertao 17cais do sertao 5cais do sertao 18cais do sertao 14cais do sertao 6cais do sertao 4cais do sertao 2cais do sertao 3cais do sertao 7cais do sertao 8cais do sertao 13cais do sertao 9cais do sertao 10cais do sertao 11cais do sertao 12cais do sertao 15cais do sertao 19cais do sertao 16Depois que eu fiquei totalmente encantada com o Paço do Frevo, eu estava devendo uma visita ao Cais do Sertão, e ainda bem que eu tratei de ir logo. Gente, que lugar INCRÍVEL! É uma experiência que todo mundo deve viver, sério. A começar pela recepção. Pessoas simpáticas e instruídas a orientar todos os visitantes sobre o lugar, os territórios das exposições, tudo. Depois, quando você entra dá de cara com um lugar lindo, enorme e com tantas coisa bonita que você fica querendo olhar tudo ao mesmo tempo. No meio de todo o espaço tem a representação do Rio São Francisco, com água e peixes de verdade <3 Coisa fofa e que deixa o ambiente ainda mais agradável.

Pelo espaço podemos ver reproduções de roupas, acessórios, casas, ferramentas, tudo que envolve o cotidiano dos sertanejos e vaqueiros. É uma riqueza de história e cultura impressionante. Ao longo de todo o espaço podemos interagir com projeções, totens touch screen, áudios, vídeos, tudo. Essas coisas que prendem a nossa atenção e deixam a experiência da visita ainda mais viva, sabe? Pronto. A parte que tem a história de Luiz Gonzaga em áudio, vídeo e peças histórias é muito interessante e vale a pena ir olhando e ouvindo devagarzinho, uma a uma. Você se emociona, gargalha e aprende um bocado.

É impossível tentar descrever tudo que você encontra por lá, só no primeiro piso. Mas outra coisa que me encantou também foi o Túnel do Capeta, esse corredor cheio de espelhos e projeções que fica xingando você o tempo inteiro. São vozes sussurradas que profanam “capiroto, coiso ruim, cafuçú..” entre outros elogios do nível hehehe :P

O primeiro andar é super divertido! Tem a exposição da discografia quase completa de Luiz Gonzaga, além de salas áudio. Tem umas de karaokê, onde você seleciona a música e sai cantando, e depois escuta o resultado (ou não, como eu que não quis nem ouvir hehehe). Tem outras de mixagem, que você fica controlando os canais de som das músicas que você escolhe. E tem também a sala dos instrumentos, onde ficam lá à disposição instrumentos diversos para as pessoas interagirem. Mamãe mesmo tirou um som no violão, acompanhada por um dos monitores no pandeiro, que eu uso pra encerrar esse post. :) Porque eu acho que não preciso dizer mais nada além de: façam essa visita e vivam essa experiência. É obrigatória pra quem é de Pernambuco, pra quem visita Recife, pra todo mundo. :)


travessia de barquinho e almoço na casa de banhos


travessia de barquinhotravessia de barquinhotravessia de barquinhotravessia de barquinhotravessia de barquinhotravessia de barquinhotravessia de barquinhocasa de banhoscasa de banhoscasa de banhoscasa de banhoscasa de banhoscasa de banhoscasa de banhoscasa de banhosAtravessar de barquinho do Marco Zero até a Praça das Esculturas de Brennand ou até a Casa de Banhos é simplesmente uma delícia. É um passeio curto, mas só de estar perto da água, com vento no rosto e vendo o Recife de outra perspectiva vale a pena. E faz a gente pensar em como seria (será, tenho fé) gostoso ter o rio navegável e usado como meio de transporte no dia a dia. Mas enquanto isso não acontece, a gente usa de transporte de luxo nas sextas-feiras de almoço feliz na Casa de Banhos (ou Bar do Dique, como era conhecido antes) :)

A travessia é rápida (o tempo de algumas fotos pro Instagram e só) e não tem perigo. Não entendo como tem tanta gente que tem medo.. Tudo bem que o barco é um tanto rústico hahaha E que se a maré estiver muito mexida você pode terminar se molhando um pouco. Mas poxa, vai por mim que vale a pena. O preço depende da cara do freguês, claro. Tem quem cobre 5 reais ida e volta, e 5 reais cada trecho… Ou seja, não esqueçam de negociar. O moço que tá aí na foto é Yvison e ele é de confiança, faz um preço maneiro pra galera e ainda combina hora de buscar na volta.

Chegando na Casa de Banhos é só alegria. Cerveja gelada, atendimento gentil e comida da boa. Nesse dia das fotos terminou que a gente não pediu nenhum prato de verdade, só petiscos, por motivos de: cerveja. Mas a comida é toda uma delícia. Peixada, pirão, tudo. Os petiscos são ótimos também, caldinho, marisco ao coco, camarão ao alho e óleo, bolinho de charque, frango com cebola na chapa, tudo uma delícia. A única coisa que não rolou nesse dia foi a agulhinha frita, tristeza. O mais caro da conta tava seco e borrachudo… Mas eu tenho fé que foi só nesse dia e não vou guardar rancor.

O lugar tem um pier e uma vista linda, e pra quem não curte a ideia de atravessar de barquinho também tem como chegar lá de carro por Brasília Teimosa. Passa pelo Bar do Peixe e segue até esse quebra mar onde fica o restaurante. Então não tem desculpa. É um lugar que eu adoro ir, indicar pra galera e sempre que tem gente de fora na cidade eu gosto de levar pra conhecer. Então aproveita que tá chegando a sexta-feira de almoço feliz e o fim de semana e vai fazer esse passeio. Mas vai por mim e atravessa de barquinho que é muito mais legal. :D

Ah, e como não podia faltar, fecho o post com fotos do instagram e das companhias maravilhosas que fizeram a travessia comigo por esses dias. <3
travessia de barquinhotravessia de barquinhotravessia de barquinhotravessia de barquinho


eu morri a color run recife


the color run recifethe color run recifeOntem eu morri a The Color Run Recife, já que correr não seria o verbo mais adequado hahaha :) Eu nem tenho muitas fotos pra compartilhar por aqui, essas duas aí de cima eu roubei da página oficial da The Color Run Brasil no Facebook. Confesso que a corrida é mais bonita e colorida assim, nas fotos da internet hahaha :) Mas foi super divertida e valeu muito a pena :Dthe color run recifethe color run recifethe color run recifethe color run recifethe color run recifethe color run recifethe color run recifethe color run recifeComo eu sempre digo, parece que o meu corpo não foi feito pra correr. Sério. Eu vejo tanta gente correndo e parecendo que nem tá fazendo esforço nenhum… Mas eu não consigo, simplesmente morro. As vezes canso, as vezes dói o estômago, as vezes o joelho, as vezes simplesmente falta força. Então por mais que eu goste de correr, eu sempre tenho que intercalar com alguma caminhada pra funcionar. E assim, eu geralmente treino de noite, e confesso que debaixo do sol, em Recife, faz toda a diferença.

No final de 2011 eu morri a São Silvestre e contei aqui no blog como foi a experiência. Mas é totalmente diferente dessa que eu tive no final de semana. A verdade é que a The Color Run é mais um evento de festa, confraternização, cores, carinho e amigos, do que uma corrida de verdade. E foi ótimo mesmo assim. Eu comecei a correr com o celular na mão, achando que eu ia tirar mil fotos hahaha :) Mas nem rolou, eu tava afim de correr mesmo. Acho que foi por isso que eu cheguei no fim da corrida quase sem tinta. Quem se sujava mais era quem parava nas estações de cor mesmo, por onde eu sempre passei correndo hahaha :)

A largada demorou um pouco e a gente começou debaixo de um sol quente e abafado depois das 9h. Mas quem se importa, né? Fomos indo. A maioria andando, alguns correndo, crianças, cadeirantes, até cachorro tinha no meio. Foi uma festa. Foram 5km realmente felizes. Você via amigos se abraçando, rindo, posando pra foto, desfilando hahaha :) Família brincando com suas crianças, crianças colorindo os pais e jogando cores e mais cores pra cima. Foi lindo de ver.

Encontrei amigos, dei risadas, me sujei de tinta, corri debaixo do sol, suei, fiz tudo que tinha direito. Então morrer a The Color Run valeu super a pena. Claro que no final a sede tava grande e tudo que eu queria era um bom e gelado copo de cerveja, e foi exatamente isso que a gente foi fazer. Amigos coloridos, cansados e suados, deixando as digitais coloridas nos copos de cerveja dos bares do Recife Antigo. Tem jeito melhor de curtir o domingo? :)

Então fica a dica, se a The Color Run for pra sua cidade e você estiver afim de ir pra um evento divertido, colorido e feliz, não perca. Se quiser ir pra um evento de corrida se superar, medir tempo e se exercitar, é melhor esperar a próxima corrida ;)

Que o dia seja assim, feliz e colorido :D


mercado das flores


Todos os dias para vir trabalhar, eu passo na frente do Mercado das Flores. Na verdade, eu passo por trás, e por isso nunca tinha visto essas coisas lindas que tem por lá. Sempre passei e vi meia dúzia de flores do campo e nunca me interessei em parar pra ver, mas depois que vi o post da Ju no Pitadinha sobre o mercado, me animei pra ir. Mas foi só hoje, numa sexta-feira ensolarada, que eu vim com um vestidinho leve e colorido, que eu precisava ver e mostrar algumas cores e tinha acompanhia das minhas amadas Lu e Carol, que fui para fazer os devidos registros. E aqui estão.

Uma das coisas que mais me chamou a atenção foram as flores secas. Quando vi esses bouquetzinhos pendurados de cabeça para baixo lembrei da casa do fotógrafo Mike Mabes, onde uma das coisas que mais me chamou a atenção foram as rosas secas. Claro que eu já decidi que vou ter flores secas penduradas de cabeça para baixo em algum lugar da minha humilde decoração de casa, mas eu mesma foi ressecá-las. Até porque, é só deixar de cabeça pra baixo e priu, esperar. Fica tão lindo, né? Tão poético… :)

Se você é do Recife e gosta de flores, não deixe de ir ao mercado. Eles abrem no sábado e no domingo também, então é só escolher um dia bem ensolarado (que daqui até abril não vai ser difícil) e ir contemplar as cores das flores, conversar com as pessoas, e comprar, claro. Ele fica no Recife Antigo, e eu selecionei ele nesse mapa aqui.

Bom fim de semana a todos :)




© 2017 - ideias de fim de semana