home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre ano novo

dezembro sem carne


 

Eu resolvi me desafiar e ter uma última meta a cumprir antes de terminar o ano. Pois é, porque eu não consegui cumprir nenhuma daquelas que eu tracei pra 2014… E ainda mais: eu consegui fazer exatamente o contrário em algumas. Se a meta era emagrecer, engordei. Se a meta era juntar dinheiro, gastei. Se a meta era viajar,  fiquei. Claro que outras coisas muito boas aconteceram e que não estavam nos planos, como adotar um gato ou começar a namorar. Mas eu senti que precisava me desafiar por alguma coisa, sabe? Me colocar a prova mesmo. Então resolvi ficar sem comer carne vermelha por um mês. Eu sei que não é assim tão difícil, mas é no dia a dia que a gente encontra as maiores dificuldades. Meu vilão, por exemplo, é o esquecimento. Quando eu penso que estou sem comer carne vermelha eu penso em bife, churrasco (<3), espetinho, essas coisas DE CARNE, sabe? Mas existem as coisas COM CARNE que te pregam peça. Cachorro-quente, salsicha com cuscuz, escondidinho de charque… Especialmente quando elas estão na categoria “comida de bêbado”, que toda lembrança já é prejudicada.

Então tenho que confessar que até agora eu dei duas escorregadas. Uma num casamento, cheia de chopp na cabeça, na hora do cachorro-quente. Dei duas mordidas e “EITA!! NÃO TÔ COMENDO CARNE ALGUÉM PEGA POR FAVOOOOOR” como se além de tudo a carne tivesse virado tóxica, tamanho susto. E outra vez num café da manhã com ressaca, quando durante uma caminhada de volta pra casa eu não tive dúvidas e coloquei cuscuz, salsicha, ovo e queijo coalho no prato. O almoço perfeito da sustância. Esse eu lembrei na metade do prato, mas terminei de comer mesmo assim :(

Mas desde então estou forte no foco, inclusive diminuindo o consumo de carnes de mandeira geral, preferindo os legumes, queijo e soja, e dando preferência ao peixe quando rola. Inclusive, num dia de trabalho, calor e cansaço intenso, parei num bar que adoro, indiquei o cardápio, sonhei com o guisado de cabrito que tava pra chegar. Eu AMO bode/ cabrito/ carneiro. É minha carne preferida, de longe, muito muito muito. E quando o garçom colocou na mesa eu: PORRA. Não tô comendo carne… E fiquei firme no feijão com farofa de jerimum. Fui feliz.

E agora está aberta a temporada de churrascos, que vai coroar o meu sofrimento. Porque no dia-a-dia pra mim é super tranquilo ficar sem a carne. Mas no churrasco, meu amigo… Aí o buraco é mais embaixo. Ainda mais na praia. Ainda mais com cerveja. Ainda mais com os amigos. Ainda mais com isso tudo que culmina numa picanha sangrando com farofa e vinagrete. Mas eu serei forte, tenho fé. Rezem por mim hahaha :) E aproveito pra mostrar aqui algumas opções que estão em acompanhando esse tempo. Em casa e fora também :)

dezembro sem carne 6Linguine integral com molho de tomate, tomate seco, ricota e peito de peru (opcional), preparados pra um almoço com preguiça.
dezembro sem carne 7Essa conserva de abobrinha da Pitadinha, que salva um lanche. Uma salada. Uma vida. <3

dezembro sem carne 8Um bom prato de salada com grão de bico no self-service baratinho embaixo da agência. Um peito de frango ali, como quem não quer nada, sendo totalmente opcional.

dezembro sem carne 5  Um balde de salada com couscous marroquino e frango, com muita canela e um suco relaxante, lá no Sansa e com o desconto do ChefsClub.

dezembro sem carne 2Essa esfiha vegetariana do Snaubar, que é uma das melhores do cardápio e que eu pedia sempre, mesmo antes do #dezembrosemcarne. Porque também dá pra petiscar muito bem sem carne. ;)

dezembro sem carneUma lassanha de abobrinha com ricota que é a coisa mais simples de preparar: uma camada de molho de tomate, abobrinha fatiada por cima, uma fatia de peito de peru (opcional) e uma mistura de ricota esfarelada, creme de ricota, pimenta e alho. Aí repete essas camadas até finalizar com abobrinha e molho de tomate por cima. Coloquei queijo minas ralado pra fratinar e forno até cozinhar bem a abobrinha. Fica uma delícia.

dezembro sem carne 3Almoço sempre delicioso com soja, grão de bico e torta de legumes lá no O VegetarianoPor mim eu comia todos os dias lá sem enjoar, porque eu ainda tô pensando na “carne de cajú” e na torta de cacau de lá <3

dezembro sem carne 9Uma mistureba cheia de preguiça pra salvar o almoço, com penne integral, brócolis, ricota, milho e tomatinhos.

dezembro sem carne 12Uma fritada de abobrinha bem simples. É só ralar a abobrinha e refogar no azeite, temperar com vinagrete desidratado, alho em flocos, sal defumado e pimenta. Coloca numa travessa, cobre com 2 ovos batidos (uso só uma gema) temperados com açafrão e pimenta. Cobre com gergelim torrado e forno até dourar. E pronto. :)

dezembro sem carne 11 dezembro sem carne 10E a alegria de quem é vegetariano: um rodízio de sushi cheio de opções sem peixe. No Udon tem tofu, shitake, shimeji e legumes bombando no cardápio.

No meu Instagram (@terrinha) eu tô postando umas fotos com a hashtag #dezembrosemcarne, então se alguém quiser acompanhar e dar essa força, vou adorar a companhia :D


feliz ano novo pra mim


Tem gente que ama aniversário, tem gente que odeia. Eu não sei de qual dos lados eu fico, na verdade. Acho que sou geminiana demais até pra isso. Eu tenho um inferno astral que costuma me botar pra chorar uns dias antes, e se vier junto com uma TPM daquelas então, fodeu. Ao mesmo tempo eu também não sou daquelas que ama fazer aniversário e trata isso como o melhor dia do ano. Eu acho que eu gosto mesmo é de uma boa farra cercada de gente querida, sabe? E o que são as festas de aniversário se não isso, né?

Eu encaro o aniversário como um ano novo de cada um. Aquele momento de virada só seu. E, assim como todo ano novo, é um momento de reflexão, balanço, análise. E, nossa, se eu for pensar em tudo que aconteceu na minha vida nesse meu último ano, eu posso dizer que foi um ano e tanto. E que eu tenho mesmo é que comemorar.

Eu diria que foi um ano de descobertas. Descobri pessoas que eu vou levar pra vida inteira. Dessas pessoas que você conhece e parece que sempre esteve por perto, sabe? Amigos incríveis. Descobri músicas novas e a minha incrível capacidade de me viciar em coisas que eu acabei de conhecer. Descobri receitas novas que eu repito sempre. Tenho descoberto um pouco a cada dia como é trabalhar pra uma empresa minha, construir meu pé de meia. Descobri que tem amor que a gente vai descobrindo a conta-gotas, e que é o melhor jeito de amar. Descobri que por mais que a gente mude e evolua, tem coisas aqui dentro que serão sempre iguais.

Todo dia eu descubro alguma coisa nova sobre mim. Não sei se sou eu mudando, ou me conhecendo, ou se eu sou demente mesmo pra passar 28 achando coisas diferentes na minha própria personalidade. Mas a verdade é que se descobrir é uma reflexão diária, e que a gente termina só fazendo o balanço em dias como o ano novo.

E acho que também é um momento pra gente agradecer pelas coisas boas, sabe? O que será da nossa vida, do nosso dia de amanhã, se não houver gratidão? Então eu queria muito agradecer aos amigos que estiveram comigo em momentos difíceis, e nos felizes também, nesse último ano. Não adianta dizer nome por nome, vocês sabem quem são e o quanto são importantes na minha vida. Agradecer a minha mãe por me mostrar cada dia a força que eu herdei dela. Agradecer ao meu pai por sempre me apoiar nas minhas decisões, mesmo nem sempre concordando com meus passos. Agradecer ao meu irmão e a minha irmã por me mostrarem o lado bom da saudade, e que o bom de ser a irmã mais velha e poder acompanhar os passos de cada um, desde sempre, pro orgulho do caminho ser dobrado. Agradecer a Chica por ser minha companheira de vida todos os dias. Agradecer aos meus sócios que embarcaram nessa aventura empreendedora comigo, pela paciência com as diferenças, pela força nas dificuldades e pelos motivos pra comemorar. Agradecer a você, meu bem, por me lembrar todos os dias que temos todo tempo do mundo.

Agradecer a cada pessoa que me acompanha um pouco e vive um pouco da minha vida junto comigo. Porque eu gosto de viver assim, livre e abertamente, compartilhando minhas alegrias e minhas angústias. E fico feliz quando, de alguma forma, me vejo ajudando alguém a se entender também. Obrigada mesmo.

E que venha mais um ano. :)

casamarela


vamos deixar ventar


cortina

O ano novo já me trouxe vida nova uma vez.

Já me trouxe roupa nova, casa nova, cara nova.

O ano novo já me trouxe um susto e um trabalho novo.

Já me trouxe saudade, ressaca e amnésia.

O ano novo já me trouxe novos amigos, novos amores.

Já me trouxe medo e decepção.

O ano novo já me trouxe dúvidas, certezas e decisões.

Já me trouxe de tudo.

 

E para este novo ano novo meu único desejo é que ele me traga.

Que trague fundo e me sopre ao vento como uma fumaça densa.

Porque existe muito mais caminhos na vida do que os nossos pés podem tocar.

E qualquer desejo de ano novo vai parecer pequeno para o que nós merecemos.

 

Então vamos deixar as janelas abertas e esperar ventar.

Feliz ano novo, de novo.




© 2021 - ideias de fim de semana