home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre carnaval

como fazer uma tiara de flores


tiara de flores 2 tiara de flores 1 tiara de flores 9 tiara de flores 7 tiara de flores 8 tiara de flores 6 tiara de flores 3 tiara de flores 4 tiara de flores 5Eu adoro tiara de flores, acho uma lindeza só. Tenho vontade de usar todos os dias, de todas as cores e modelos. :) E com o carnaval batendo na porta, muita gente que não usa na vida real tem a oportunidade de usar, né? Então eu nem vou dizer que é um “passo-a-passo” de uma tiara de flores para o carnaval, porque é pra vida, né?

Eu estava numa feirinha de carnaval num shopping essa semana e, provando uma tiara linda com um arranjo de flores enorme, comentei que queria usar tiaras assim todos os dias. E uma mulher que estava passando fez “Então use, minha filha! Não tem que se preocupar com o que vão dizer ou pensar não. Se você gosta, use. Tenha personalidade!”, e saiu. Apenas deixou o recado e foi embora, e isso ficou martelando na minha cabeça.

Então vim pra casa e resolvi fazer minha coroa de flores, que vou usar quando quiser. Tipo hoje mesmo! :)

Existem várias formas e técnicas para fazer essas tiaras. Eu comprei uma que é só coroa, e que é toda feita com cola quente. Mas eu não queria uma que fosse toda coroa, sabe? Queria uma que fosse versátil assim, e desse pra usar de tiara e de coroa, e que fosse mais confortável de usar. Então peguei um cordão trançado que eu tinha, e que já usei muito como coroa sozinho, e resolvi que ia aplicar nele as flores.

Os passos são simples. Peguei as flores artificiais, cortei pra tirar as flores e tirei o miolo de cada uma delas. Antes de aplicar é bom medir na cabeça para ver de onde até onde você vai querer aplicar as flores. Como eu queria que fosse também tiara, não apliquei em toda a corda, mas você pode fazer isso se preferir. Vai do gosto do freguês. :)

Depois é só pegar a agulha, passar na flor e fixar na cordinha. Como a minha corda é trançada, fica até fácil de enfiar a agulha. Mas você pode fazer com fita de cetim, de tecido, de sisal, como preferir. Flores ficam lindas de todo jeito. Então fui colocando uma a uma, umas mais abertas, outras mais fechadas pra dar volume.

Ficou uma graça, né? E você pode brincar com flores de diferentes cores, tamanhos, montar seus arranjos, colocar as folhas, decorar do jeito que quiser. Fica lindo de todo jeito. Pra usar no carnaval e na vida real hehehe :)

Espero que gostem. :D


desse carnaval eu quero o brilho


Desse carnaval eu quero o brilho

Da minha roupa colorida se esfregando no sobe e desce das ladeiras

Da minha maquiagem purpurinada

Dos olhares bêbados que cruzam as esquinas

 

Desse carnaval eu quero o brilho

Do sol quemando o juízo

Refletindo na tuba da orquestra

E nos corpos molhados do banho de mangueira

 

Desse carnaval eu quero o brilho

Dos fogos do homem da meia noite

Da explosão de papel picado

Das gotas de chuva espalhando as luzes

 

Desse carnaval eu quero o brilho

Das garrafas de batida

Das latinhas pra sacudir

Eu já falei papel picado?

 

Desse carnaval eu quero o brilho

Dos nossos corpos suados

Dos beijos molhados

Daqueles abraços safados

 

Porque o brilho do carnaval está mesmo no amor

No amor de carnaval que dura o ano inteiro

E quando fevereiro chega, ele ferve. E freva.

Junto.

 

Desse carnaval eu quero o brilho.

E fecha o olho que eu vou soprar.

eu quero brilho

Feliz carnaval!


paço do frevo


paço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevoAqui em Recife a gente tem ativismo pra tudo. Ecochatos, ciclonazis, carrocratas, entre tantos outros. Acho que eu tô criando uma nova onda de ativismo e virando frevocrata. Gente, eu tô evangelizando todo mundo que eu encontro a visitar o Paço do Frevo, sério. Acho que tá ficando chato já, mas qual ativismo radical não é, né? hahaha :P

É brincadeira mas é sério :P VISITEM O PAÇO DO FREVO. É um prédio lindo, todo dedicado a história do frevo, que se confunde com a história do próprio carnaval. É um banho de cultura. O único problema é que você sai de lá com uma vontade urgente de carnaval. Tipo, URGENTE. Você sai querendo ir pra Olinda, pro Recife Antigo, dançar, pular, correr atrás de bloco, cheirar lança-perfume, tomar batida, subir e descer ladeira, já pode ser carnaval de novo? PORFAVÔ?

O Paço do Frevo é lindo, isso dá pra ver pelas fotos né. E olhe que nem são fotos com essa qualidade toda, de celular mesmo, mas dá pra traduzir um pouco do que vocês vão ver por lá. No térreo fica uma exposição que conta, ano a ano, a história do frevo, do carnaval, dos blocos. Tem também drops da história do Brasil e do mundo pra contextualizar. Dica: vão com tempo pra ir lendo quadrinho por quadrinho, vale a pena. Ah se os livros de história fossem assim tão legais.. hahaha :) No térreo ainda tem um centro de documentação, com computadores para pesquisa e tudo mais. Organizado, pra quem quiser e precisar se aprofundar na história.

No primeiro andar não tem exposição, mas tem escola de música. São diversos instrumentos e, pelo que eu entendi, diferentes professores em diferentes horários. Hoje, temos aulas como os maestros Spock, Édson Rodrigues, Nenéu Liberalquino e Clóvis Pereira, cada um com um foco diferente. Vale visitar pra conferir preços, horários e datas.

No segundo andar tem o espaço para outras aulas de música, aulas de dança e para exposição temporária. A exposição que está atualmente é a São José, territórios do frevo. É uma exposição multimídia, onde você entra pisando no mapa do Bairro do Recife e pode assistir a vídeos que falam sobre o bairro de São José, o Pátio de São Pedro. E ainda tem a representação do Pátio com as barracas de frutas e tudo mais. É uma imersão. :)

E o terceiro, último e mais lindo andar, é onde fica a exposição permanente. Antes de entrar na sala mais linda, tem duas salas menores, uma de cada lado, que trazem projeções sobre a história do frevo e umas peças importantes, como a antiga sombrinha de frevo e o belo clarinete. Depois, é hora de entrar no salão dos estandartes.

Gente, é lindo. É de ficar encantado só de pisar. Eu sugiro começar pelo começo, pela rampa que traz o glossário do carnaval. É esse mural com várias palavras que trazem o significado atrás, e você pode ir mexendo de um por um. Desculpem a matutice, mas eu acho massa pequenas coisas que você interage assim, dá vontade de ir vendo um por um. :)

Depois você entra no piso dos estandartes, onde vai vendo como são lindos, bem trabalhados e cheios de histórias os estandartes de cada bloco tradicional. As paredes trazem coleções de fotos lindas, que não tem como a gente não se identificar. Por mais antigas que sejam, você se vê ali. Naquele apertado, naquele suor, com a latinha na mão, nas fantasias, nos espetinhos de salsichão. Dá vontade de ir vendo uma por uma, mas são tantas que eu tenho a impressão de que se eu for 20x eu vou ver fotos diferentes em cada uma das visitas.

Nas janelas temos trechos de músicas que você vai lendo e cantarolando mentalmente. E as que a gente não conhece vai lendo como um poema mesmo, que é o que é, afinal. Lá de cima dá pra ver o mar, os prédios do recife antigo, as árvores da Praça do Arsenal, é lindo. E ainda tem um espaço com pufes pra gente apenas relaxar enquanto toma um banho com aquelas cores e aquelas histórias de carnaval. Então, já pode ser fevereiro de novo?

Então é isso, eu já falei que vocês PRECISAM CONHECER o Paço do Frevo, né? Então é isso. Ele fica na Praça do Arsenal da Marinha, no Recife Antigo. Se liga no horário de funcionamento: Fechado às segundas. Terças, quartas e sextas, das 9h às 18h. Quintas, das 9h  às 21h, e sábados e domingos das 12h às 19h. A entrada é de grátis nas terças e nos outros dias é R$6 a inteira e R$3 a meia. Vale cada centavo. E aí, já estão se organizando pra ir tipo, AGORA? :)


saudades do carnaval


carnavalcarnavalcarnavalcarnavalcarnavalcarnavalcarnavalcarnavalCarnaval é assim mesmo. Todo ano tem, parece que é sempre a mesma coisa mas, na verdade, não cansa de ser melhor. Ano após ano. Todo ano tem calor, cerveja quente, suor, canseira e uma boa e velha gripe na quarta-feira de cinzas. Mas é cada vez melhor.

Eu sempre digo que não é à toa que o carnaval tem só 4 dias. Mesmo que ele comece muito antes e venha terminar muito depois, o carnaval tem 4 dias. E se tivesse mais, eu não sei se estaria viva pra contar história. E se tivesse menos, não seria suficiente. É a dose certa, porque tudo em excesso faz mal, né. Até a alegria do carnaval.

E que venham as gripes, as ressacas acumuladas, a infecção intestinal e as dores musculares. Que apareçam as ronxas de pancadas que não lembramos, os brilhos em lugares que não colocamos e as memórias em forma de foto. Que venha a depressão pós carnaval, o feliz ano novo e o balanço dos dias que passaram. Porque por mais clichê que seja a piada de que o ano só começa depois do carnaval, ele de fato é um marco separador de águas. Existe uma vida antes e outra depois do carnaval. Que venha a saudade.

Porque tem gente que a gente só encontra no carnaval, e é uma alegria, uma festa. E tem gente que a gente encontra todo dia, mas que no carnaval é como se fosse diferente. Ah, e quem não é diferente no carnaval? Mais bonito, mais feliz, mais sem vergonha. Mais sincero, com menos medo, com mais amor. Todo mundo é alguém diferente no carnaval, seja pela fantasia, pela alma, pelo brilho. Seja por esse clima que só o carnaval sabe vestir.

Eu sou uma sortuda mesmo, de poder dividir meu carnaval com pessoas de uma energia tão boa. Fico agradecida por cada abraço suado, por cada sorriso que foi dado, por cada brilho trocado. Cada pessoa que eu encontrei, seja passando, seja curtindo junto, foi o que fez o meu carnaval ser lindo. E feliz. E inesquecível. E eu já tenho saudade de cada um. E uma saudade não é só das pessoas. É saudade da gente mesmo, porque agora eu só encontro esse meu eu carnavalesco no ano que vem, e eu já estou contando os dias.

E que venha o próximo carnaval.carnaval

 



© 2024 - ideias de fim de semana