home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre música

quero morar no instituto candela


Sabe aqueles lugares que você visita e quer morar lá pra sempre? Pronto. É o Instituto Candela. Eu poderia dizer que é uma escola de fotografia, mas não é só isso. É tanta coisa que eu acho que esse vídeo feito por uma das alunas no Candela conseguiu explicar melhor o que é esse lugar que, mais do que essa casa, é um lugar na nossa vida. Instituto Candela 6Eu quero morar no Candela e nem é só porque é essa casa maravilhosa numa rua sem saída e super tranquila da Zona Norte.Instituto Candela 4Ou porque o número 111 da rua Gil Carneiro da Cunha tem esse quê ~cabalístico~.Instituto Candela 8Ou só porque o jardim é assim lindo e aconchegante.Instituto Candela 7Ou porque as acerolas de lá parecem mais maçãs.Instituto Candela 9É um pouco porque pessoas boas são bem vindas.Instituto Candela 10Instituto Candela 11 Instituto Candela 12 Instituto Candela 13E um muito porque eu moraria só na varanda, que é maravilhosa e tem plantas, e luz, e cheiros, e vida.Instituto Candela 14 Instituto Candela 17 Instituto Candela 16Quero morar no Candela porque o som é de vinil e dos cliques das câmeras.Instituto Candela 15E porque é lindo mesmo.Instituto Candela 18E porque a sala de aula é também sala de estar e sala de tevê.Instituto Candela 19E porque os quadros são lindos e bagunçados de forma organizada, do jeito que eu gosto.Instituto Candela 20E também porque tem Nina que faz careta e dá beijo na tia Anna Terra.Instituto Candela 2Como não querer morar numa casa que tem esses azulejos cor de rosa na cozinha, com um lixeiro amarelo?Instituto Candela 3 Instituto Candela 5E tem uma sala de jogos, onde esse alvo de dardos significa muito pra mim. Foi onde eu tive uma das reuniões mais produtivas da minha vida, jogando dardos e conversando por quase 2 horas e terminando isso com a ementa completa de um curso que eu vou dar no CandelaInstituto CandelaEita, eu falei de curso, né? Pois é, o Candela tem vários cursos com a fotografia no centro. Desde introdução até temas mais específicos e business pra fotógrafos. Tudo bem que estamos falando de curso de fotografia, mas não tem ninguém que, quando perguntado sobre o que aprendeu no curso, diz que aprendeu a fazer boas fotos. Todos falam da experiência das aulas, das conversas, das vivências e, como consequência, como seu olhar pra vida e para os registros dela melhoraram. Porque foto não é o que você vê, é o que você sente, né? Pelo menos é o que eu penso, e o que eu sinto.

Então eu que nem sou dona da casa, posso dizer que o Candela tá de portas abertas pra receber todo mundo que vier pro bem. Porque eles são assim mesmo, portas e corações abertos. E tenho certeza que eu não vou ser a única que vai querer morar aqui pra sempre. Basta entrar, conversar com Ivan, Samara e Nina, ouvir a anteninha do vinil tocando e comer uma acerola-maçã do pé pra saber do que eu tô falando.

Então aproveita que o curso de Introdução à Fotografia vai começar agora dia 1 de julho, com turmas de manhã, de noite e no fim de semana. Vê lá no Facebook e no Instagram que tem tudo direitinho. E pode falar com eles, que eles respondem com tanto carinho que dá vontade de ficar batendo papo. :)


nostalgia musical pra ver e pra ouvir


backstreet boysEu tive várias fases na vida, de estilo, “tribos”, músicas e tudo mais. E uma delas foi ao som de Backstreet Boys no início dos anos 90. Não era só mais uma boyband pra mim, até porque eu nem gostava das outras. Eu gostava deles, achava um máximo aqueles meninos com roupas de street dance cantando e dançando ao mesmo tempo. Enquanto metade das minhas amigas queria o galego e a outra metade queria o moreno, eu queria o ruivinho, coisas de criança, né? Mas hoje posso dizer que não errei nas apostas, Brian é sem dúvidas do BSB mais gato e mais gente boa hahaha :P

E rolou o show deles aqui em Recife final de semana passado. Eu nem tinha pensado em ir, com outras prioridades de grana não era muito nisso que eu consideraria investir uns 200 conto só de ingresso. Mas aí eu fui convidada pelo pessoal da Brasil Kirin pro camarote da Devassa e pensei: CLARO! E quando contei a novidade pro meu namorado, já pensando que ele ia rir e dizer “massa, bom show” e eu ia levar uma amiga como acompanhante, ele disse que queria ir e eu pensei que não podia ser melhor!

Então fomos lá e chegamos exatamente na hora de começar. Foram duas horas de show com esses caras dançando, cantando de verdade, conversando com a platéia, tocando, tudo! Gente, foi um show INCRÍVEL! Eu fiquei muito feliz o tempo inteiro, não só pelas músicas e pela nostalgia feliz que elas trazem pro meu coraçãozinho, mas por tudo estar sendo mil vezes melhor do que eu imaginava. Foi uma experiência maravilhosa e sem dúvidas um dos melhores shows da minha vida. Sem medo e nem vergonha de dizer. Backstreet’s back alright!

Kurt Cobain File Photos nirvanaOutro momento de nostalgia musical que tivesse esses dias foi assistir ao documentário Kurt Cobain: Montage of Heck. Eu fui muito apaixonada por Nirvana na minha adolescência. Até hoje eu guardo algumas revistas, black book e tenho um poster enorme de Kurt no meu escritório. Nirvana sem dúvidas foi o som de uma geração, mesmo que Kurt tenha morrido quando eu tinha só 7 anos e eu tenha começado a ouvir com uns 11 ou 12, era a voz da minha geração. Meus amigos ouviam, tocavam suas músicas nas bandas de garagem e até quando rolava luau só no violão, ia de Legião Urbana a Nirvana rapidamente. E eu sempre digo que não gosto das músicas só pelas letras ou pela melodia, as músicas mexem com meus sentimentos de memórias, recordações de momentos, de pessoas e isso vale muito mais do que qualquer acorde. Então Nirvana é isso, mexe com meu coraçãozinho e me resgata pra uma das melhores épocas da minha vida.

E o filme Montage of Heck é obrigatório pra quem é fã ou pra quem gostou da banda. Conta muito do que já sabíamos sobre a história dele na família, com Courtney Love, com a heroína. Com cenas da infância dele, áudios originais, trechos dos diários, vídeos dos shows históricos, vídeos caseiros dele com a filha, é tudo incrível. É como se a família permitisse abrir as portas da vida dele e nos convidasse pra entrar e dar uma olhada em como tudo. Mostrar como foi caótico, alucinante, difícil e como as coisas aconteceram se atropelando. É maravilhoso.

Então deixo aqui o meu convite para que vocês escutem músicas que fizeram parte da sua infância, adolescência e que marcaram momentos importantes da sua vida. É um resgate que faz um bem danado pra gente. E pode chorar, sempre pode chorar. :)


a casa do cachorro preto


a casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoa casa do cachorro pretoA Casa do Cachorro Preto é o tipo de espaço que Recife/Olinda estava precisando há um tempo. Um lugar totalmente dedicado a arte e cultura, que só tem gente boa envolvida. O espaço completou 2 anos agora, e muita coisa massa já rolou por lá. Exposições de artistas locais estão sempre acontecendo na galeria, que tem ambientes que são totalmente personalizados de acordo com quem está expondo. Eu já visitei várias exposições lá, e é massa ver como o espaço fica com a cara do artista. Ao final da galeria tem a lojinha permanente, que tem produtos que são frutos das exposições que passaram por lá. Posters, reproduções, camisas, quadros, imãs, itens de tabacaria, livros e mais num monte de coisa que vale ir lá ver e comprar. :)

Além da galeria, A Casa do Cachorro Preto tem o espaço de bar e música. O quintal da casa é o palco para bandas, DJs, audição de discos, exibição de filmes, festas e tudo mais. O bar funciona sempre com cerveja gelada e pronto. Precisa mais de quê? :) É um ambiente gostoso de frequentar, com aquele clima de olinda, cheio de gente bonita, elegante e sincera. hahaha :)

Parabéns pra Raoni Assis e toda a turma envolvida n’A Casa do Cachorro Preto por oferecer tanta coisa boa num espaço tão massa. Que venham novas exposições, novos projetos e vida longa ao black dog. :) Confiram a programação lá na página A Casa do Cachorro Preto. As fotos do post são de Victor Jucá, e lá na fanpage dele também tem um monte de outras fotos de exposições e eventos que já rolaram. Vale dar uma olhada e sentir o clima. ;)

Pronto, agora já tem a programação do fim de semana :Da casa do cachorro pretoServiço:

Rua 13 de Maio, nº 99 – Olinda

Telefone:  081 3493-2443

Aberto de quinta a domingo, a partir das 16h.


paço do frevo


paço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevopaço do frevoAqui em Recife a gente tem ativismo pra tudo. Ecochatos, ciclonazis, carrocratas, entre tantos outros. Acho que eu tô criando uma nova onda de ativismo e virando frevocrata. Gente, eu tô evangelizando todo mundo que eu encontro a visitar o Paço do Frevo, sério. Acho que tá ficando chato já, mas qual ativismo radical não é, né? hahaha :P

É brincadeira mas é sério :P VISITEM O PAÇO DO FREVO. É um prédio lindo, todo dedicado a história do frevo, que se confunde com a história do próprio carnaval. É um banho de cultura. O único problema é que você sai de lá com uma vontade urgente de carnaval. Tipo, URGENTE. Você sai querendo ir pra Olinda, pro Recife Antigo, dançar, pular, correr atrás de bloco, cheirar lança-perfume, tomar batida, subir e descer ladeira, já pode ser carnaval de novo? PORFAVÔ?

O Paço do Frevo é lindo, isso dá pra ver pelas fotos né. E olhe que nem são fotos com essa qualidade toda, de celular mesmo, mas dá pra traduzir um pouco do que vocês vão ver por lá. No térreo fica uma exposição que conta, ano a ano, a história do frevo, do carnaval, dos blocos. Tem também drops da história do Brasil e do mundo pra contextualizar. Dica: vão com tempo pra ir lendo quadrinho por quadrinho, vale a pena. Ah se os livros de história fossem assim tão legais.. hahaha :) No térreo ainda tem um centro de documentação, com computadores para pesquisa e tudo mais. Organizado, pra quem quiser e precisar se aprofundar na história.

No primeiro andar não tem exposição, mas tem escola de música. São diversos instrumentos e, pelo que eu entendi, diferentes professores em diferentes horários. Hoje, temos aulas como os maestros Spock, Édson Rodrigues, Nenéu Liberalquino e Clóvis Pereira, cada um com um foco diferente. Vale visitar pra conferir preços, horários e datas.

No segundo andar tem o espaço para outras aulas de música, aulas de dança e para exposição temporária. A exposição que está atualmente é a São José, territórios do frevo. É uma exposição multimídia, onde você entra pisando no mapa do Bairro do Recife e pode assistir a vídeos que falam sobre o bairro de São José, o Pátio de São Pedro. E ainda tem a representação do Pátio com as barracas de frutas e tudo mais. É uma imersão. :)

E o terceiro, último e mais lindo andar, é onde fica a exposição permanente. Antes de entrar na sala mais linda, tem duas salas menores, uma de cada lado, que trazem projeções sobre a história do frevo e umas peças importantes, como a antiga sombrinha de frevo e o belo clarinete. Depois, é hora de entrar no salão dos estandartes.

Gente, é lindo. É de ficar encantado só de pisar. Eu sugiro começar pelo começo, pela rampa que traz o glossário do carnaval. É esse mural com várias palavras que trazem o significado atrás, e você pode ir mexendo de um por um. Desculpem a matutice, mas eu acho massa pequenas coisas que você interage assim, dá vontade de ir vendo um por um. :)

Depois você entra no piso dos estandartes, onde vai vendo como são lindos, bem trabalhados e cheios de histórias os estandartes de cada bloco tradicional. As paredes trazem coleções de fotos lindas, que não tem como a gente não se identificar. Por mais antigas que sejam, você se vê ali. Naquele apertado, naquele suor, com a latinha na mão, nas fantasias, nos espetinhos de salsichão. Dá vontade de ir vendo uma por uma, mas são tantas que eu tenho a impressão de que se eu for 20x eu vou ver fotos diferentes em cada uma das visitas.

Nas janelas temos trechos de músicas que você vai lendo e cantarolando mentalmente. E as que a gente não conhece vai lendo como um poema mesmo, que é o que é, afinal. Lá de cima dá pra ver o mar, os prédios do recife antigo, as árvores da Praça do Arsenal, é lindo. E ainda tem um espaço com pufes pra gente apenas relaxar enquanto toma um banho com aquelas cores e aquelas histórias de carnaval. Então, já pode ser fevereiro de novo?

Então é isso, eu já falei que vocês PRECISAM CONHECER o Paço do Frevo, né? Então é isso. Ele fica na Praça do Arsenal da Marinha, no Recife Antigo. Se liga no horário de funcionamento: Fechado às segundas. Terças, quartas e sextas, das 9h às 18h. Quintas, das 9h  às 21h, e sábados e domingos das 12h às 19h. A entrada é de grátis nas terças e nos outros dias é R$6 a inteira e R$3 a meia. Vale cada centavo. E aí, já estão se organizando pra ir tipo, AGORA? :)



© 2017 - ideias de fim de semana