home sobre mim sobre o blog mídia kit

o dia que eu achei que meu coração ia parar


Ontem eu estava sozinha em casa. Voltei mais cedo do happy hour da agência, que estava comemorando a chegada de um novo cliente, porque ainda tinha outras coisas de trabalho para terminar. Paolo na pelada com os amigos, não ouviu o celular tocar quando eu liguei desesperada.

Comecei a ter uma taquicardia muito forte. Eu, asmática de criança e ansiosa de nascença, conheço bem uma boa taquicardia. E essa era das fortes. Tentei respirar fundo, respirar leve, mas nada estava adiantando. Com a notícia que eu recebi semana passada, de que sou fortemente alérgica a muito mais coisas do que eu esperava, achei que estava tendo um choque anafilático ou coisa do tipo.

Na mesma hora senti a garganta fechar e comecei a tremer muito. Muito mesmo. Tanto que eu não sei como consegui pegar o carro e sair de casa dirigindo até o hospital. Instinto de sobrevivência, talvez. Larguei o carro em qualquer lugar do estacionamento e entrei na emergência perdida, pelo lado errado, entrando e saindo de corredores até achar a recepção.

Minha boca tremia tanto que eu mal conseguia falar. Só consegui pedir “por favor, eu estou passando mal, me ajude”, e a moça pegou meu documento e me encaminhou para um cardiologista. Eu me debatia na cama de tanto tremer, parecia que estava tendo uma convulsão. É terrível não ter controle dos seus músculos, enquanto eles teimam em se debater.

Eu conseguia sentir as terminações nervosas em todo o meu corpo. Pareciam pequenos pontos que ardiam a cada tremida do meu músculo. E a água derramava enquanto eu tentava molhar a minha garganta seca. Me colocaram no soro e me deram um comprimido para pressão, que estava um pouco alta.

Os espasmos aumentaram e eles resolveram me dar o bom e velho rivotril, pra ver se eu me acalmava. E os tremiliques foram diminuindo até que estava difícil manter o olho aberto. E enquanto eu estava ali, sozinha, numa cama de hospital, eu pensei na minha vida inteira. Como naqueles filmes que quando você vê a luz, um filme da sua vida passa na sua cabeça.

Eu não vi a luz e espero que não tenha chegado nem preto dela, mas a sensação foi tão ruim que eu comecei a repensar uma série de conceitos. Se eu estava me preocupando com o que realmente importava. Com eu estava distribuindo os pesos das minhas angústias.

Eu, que sempre fui uma cadela alfa, coloquei o rabinho entre as pernas e me entreguei ao estresse. Exatamente isso. O médico disse que eu tive uma descarga nervosa, ou um xilique, como diria a querida Nenê de A Grande Família. E eu fiquei pensando que eu dou importância demais a certas coisas e a certas pessoas.

Tenho cereza que esse hábito vai ser muito difícil de mudar. Muito mesmo. Porque eu sou assim, nervosa, agoniada, angustiada ansiosa. Mas eu não quero passar por isso de novo. Não quero sentir meu coração querer sair do peito sem ser por uma paixão. Não quero me tremer sem ser de frio ou de prazer. Não quero chorar sem que o motivo realmente mereça minhas lágrimas. Não quero valorizar as pessoas mais do que a mim mesma. Preciso pensar mais no meu coração, e não só nas pessoas que eu deixei morar dentro dele.

Desejo um dia calmo e cheio de hamornia para todos. Porque é o que eu desejo para mim mesma também.


39 comentários sobre o assunto

e há de ter.

<3

=*

dani

Engraçado essa coisa de blog… tu falando da tua vida e eu aqui aflita lendo tudo como se fosse tua melhor amiga!!! kkkkk Meu chefe perguntou: “O que foi Calíope?”… aí eu: “Foi a Anna Terra que passou mal, mas ela já está melhor…” (Como se fosse íntima de anos neh?! hsuahsua) … Tah, mas relevando minha “doidice”, ainda bem

Calíope

Engraçada essa coisa de blog… você falando da sua vida e eu aqui, que nem te conheço pessoalmente aflita lendo tudo como se fosse sua melhor amiga! rsrsrs

“Meu Chefe: – O que foi Calíope?
Eu: Nada não, a Anna Terra passou mal mas já está melhor… ufa!
Meu Chefe: Hum, e ela é o que sua?
Eu: oO hsuahsuahsua Sei lá…”

Mas brincadeiras a parte, ainda bem que não foi nada sério mesmo!
Tudo de bom pra você!! E muita paz e tranquilidade… Bjus

Calíope

kkkkkk Eu mandei dois comentários sem querer… leva em consideração só o segundo tah! O primeiro eu mandei sem querer… apertei o ENTER sem querer! ^^

Bjus

Calíope

Nossa Terrinha, que m.. heim?!! ainda bem que tudo não passou de um susto. Dias calmas e de paz pra todos nós.

Alejandra Mendoza

Ai, que sufoco!!! Realmente a gente se estressa, dá valor demais a coisas desnecessárias e qndo vamos ver, o corpo pede pausa!
Se cuida!!!
Beijos

Telma Maciel

Querida e como você esta agora?

Sherol Vinhas

Já tive algo muito parecido com isso; a sensação é péssima mesmo. Que bom que já passou. Fica bem. :)

:*

lila

nossa… que coisa! Melhoras pra você!

vanessa

Aninha, nos últimos dias eu tenho dito que estou toda “mazelada”. O fato é que tem me acontecido um monte de coisas, como aquele acidente com o copo quebrado (que você viu o braço enfaixado) e até uma pressão bem alta, coisa que nunca tive. Há alguns anos eu tive tudo isso em doses ainda mais fortes (inclua no pacote a distração, que pode ter sido a causa do acidente na cozinha e dificuldade para dormir…sono acumulado só causa problemas, você sabe). Ainda tenho médicos pra ir, exames pra fazer mas provavelmente agora, como da outra vez, a causa é uma só: estresse acumulado, necessidade de descansar, tirar um tempo para mim mesma e relaxar…então verifica se esse siricotico no coração que você teve também não é isso, tá? Como você, meu nome do meio é “ansiedade” e eu ainda não sei como farei pra mudar isso. Tudo que sei é que tenho que mudar. Vamos conversar pra ver se a gente tem alguma ideia pra dar uma pra outra?
Se cuida!
:*

Claudia Giane

“Preciso pensar mais no meu coração, e não só nas pessoas que eu deixei morar dentro dele.”

O coração da gente merece um cuidado que só a gente pode dar. Amigos contribuem, amores contribuem (ou não), mas nós é que precisamos ter controle dele.

Fiquei muito preocupada com teu post gatam. E vc bem podia ter me ligado que eu ia te socorrer correndo. Mas sei perfeitamente que teu coração turbulento só precisa de uma coisa: da sua mente em paz.

te amo muitoooo e por favor, me chama quando precisar que eu fique agoniada agora! :)

<3

Carol Burgo

Menina, que sufoco!! Eu fiquei logo angustiada por você. Eu como geminiana, sei bem o que é ansiedade, estresse, agonia. Nossa! Parece que a gente tem que passar por isso para entender certas coisas, né? Espero que esteja tudo bem com você e te desejo um dia bem tranquilo, de muita harmonia também :)

Fabiana

Melhoras!
Não deixa o mundo te engolir não.
Também sou asmática e tento não me aperrear.
Desejo tudo de bom.

Roseanne

pois, anna, é isso que a claudia falou. sou muito ansiosa, mas acho que com o tempo e a idade a gente vai aprendendo a lidar com a ansiedade de forma que possamos viver bem. exercício físico, ioga e terapia ajudam, mas mais importante é descobrir aonde está o calo, aquela coisinha que só de bater incomoda. no dia que descobrimos onde está nosso calo, é mais fácil de lidar com ele e evitar que o sapato incomode.

já tive todo tipo de reação relacionada a estresse: caspa, gastrite e refluxo, urticária, labirintite, crises de pânico e desmaios. trust me, você não está só. pessoas ansiosas costumam somatizar as coisas e a gente acaba achando que tá doente ou que vai morrer. o importante realmente é descobrir o que tá te deixando assim e lidar com isso da forma correta. espero que você descubra o mais rápido possível.

fica bem, beijos.

zenzi

Espero que isso não aconteça de novo!
fique na paz!
aproveite esse tempinho frio pra descansar e colocar os pensamentos em ordem!
tenho certeza que com o carinho da sua família e dos seus amigos o estresse vai todo pra longe!
beijo grande!

Anna Sandes

Muita luz e saúde pra vc!! Adoro seu blog!

Abçs

Laura Vidaurreta

Nossa, linda, que susto!!!
Muita harmonia, paz, tranquilidade pra vc!!! Menina boa da terra não pode ficar assim, não! A gente tb fica com o coração parado vendo-a sofrer!!!
beijos

Sofia

quase perco o fôlego lendo Terrinha =/
fico bem em saber que você já está se sentindo melhor, mas esses acontecimentos realmente nos fazem repensar uma série de coisas e comprotamento nossos né? eu tive uim princípio de depressão quando tvaa em SP, vim embora porque sabia que mais um pouco e eu me afogava!
fica bem, porque tu é uma pessoa muito importante pro mundo e ele é melhor com você aqui!

te cuida, viu?

beijoss

Alice O.

Nem te conheço e fiquei com vontade de chorar lendo seu texto. Saiba que vc é uma pessoas muito positiva pra mim, uma pessoa do bem e que faz um trabalho maravilhoso. Foque nisso.

Paula

eu chorei. chorei porque me enxerguei ali no seu lugar. chorei porque eu precisei de um susto desses também para entender que stress pode matar. no meu caso uma enxaqueca tensional terrível, que me fazia tremer e não saber o que eu estava fazendo ali e só chorar. curou com remédio até rápido. depois veio o medo daquilo se repetir. e pra mim foi tão ruim, tão terrível, que eu pensei “tenho que me educar pra essa dor não voltar”. minha sorte é que naquele momento eu tive pessoas em quem me apoiar, porque acho que meu maior medo por estar aí sozinha (entenda-se: sem mãe) era isso, de ficar doente e não ter quem me amparar. depois de ser “salva”, tive que me educar a usar a tecnica do “tô pouco me fodendo”. é tipo, eu vejo as coisas acontecendo, as pessoas falando, os assuntos surgindo e vejo que se aquilo pode me estressar, eu simplesmente vou deixar aquilo de lado. sei que nem com tudo podemos fazer isso, obviamente. mas normalmente damos importância demais a coisas e pessoas, que simplesmente não valem o trabalho. e fazer isso é difícil. tô aprendendo aos poucos.

pô. falei pra caralho. mas pense que o ideias é um dos 3 blogs que eu comento. então quando isso acontece, falo pra caralho mesmo.

mas ó. fica aqui meu abraço (que ainda não te dei pessoalmente, já que não nos “despedimos”) e o desejo de que tudo fiquei bem. que fique bem não porque eu ou as pessoas que sempre te visitam aqui e que te querem bem, dizem. mas porque você quer, pode e merece.

um beijo no <3, terrinha.

brisa dalilla

O lado “bom” de uma experiência assim é que ou você muda ou você muda. É uma chance para recomeçar e se renovar. E todo mundo pode mudar. “Pain makes people change”. E a nova Anna será bem melhor (pra ela mesma), tenho certeza :)

Filipe Levi

Tenho isso desde os meus 17 anos, hoje com 51.
Frequentemente tenho esta “COISA”. No meu caso só alivia com Rivotril.
Acredito que você tenha “Síndrome do Pânico”, pelo menos é o meu diagnóstico.
Procure em bom psiquiatra e boa sorte.
LIVRE-SE DISSO!

Augusto Villela

Anna
Entendo que as vezes a gente não tem como evitar o estresse, é normal ficar ansiosa sim, especialmente quando tem trabalho envolvido. Não se culpe. A gente só tem que tomar cuidado é com o acúmulo. É bom a gente parar pra priorizar o que realmente importa (só não precisava ser um susto tão forte né?) Fica bem, gente torcendo por isso vc já sabe quem de monte!

Patricia Menezes

Me identifiquei muito com o que tu disse:
“Porque eu sou assim, nervosa, agoniada, angustiada ansiosa….”
também sou assim… me preocupo demais, me estresso demais, fico angustiada, ansiosa, nervosa… pior que eu estou vendo a hora de acontecer algo do tipo comigo… espero que não, não quero isso para mim =/

Ulli

Anna, numa ocasião de minha vida, cheguei ver essa luzinha, é horrível. Estava dormindo e de repente acordei com uma agonia ocasionada por uma baixa de pressão, e com essa baixa de pressão cheguei a vê-la, foi horrível. Mas, essas coisas acontecem pra justamente vc parar e arrumá-las de acordo com as suas prioridades. Gosto muito de fazer comparações e, às vezes pensando, tento fazer da minha vida um GAVETEIRO. Sendo, a 1ªgaveta algumas pessoas e problemas, a 2ª…e assim sucessivamente. E, com isso percebi que ficou melhor assim. Sou ansiosa, inquieta, imediatista. E, hoje aos 40a percebi que nada vale mais que o nosso sossego, pq com ele vc evita tudo. Então Anna, desejo a vc tudo de bom e muita saúde! Qd li tive um susto, mas me tranquilizei pq graças à Deus tudo tá voltando ao normal! Bjs! Ana Dayse.

Ana Dayse Soares

Estava a dias sem ler seu blog,que eu amo,mas a correria era grande,e cadê o tempo,e agora que abri levei um susto,e realmente,parece que tinha acontecido com uma amiga muito próxima.Se cuida menina,tão nova,inteligente,uma amiga perfeita,me ajuda tanto,me faz tanta companhia.Seja um pouquinho egoísta…E mesmo vc levando esse susto,serviu de bronca pra mim,e vou parar um pouco agora , e cuidar de mim.Vamos né???Beijos….

ana barata

oi ana,

também estou passando por este “mal do século”… o médico me receitou 4 coisinhas básicas e simples…

I – caminhar
II – trabalho manual
III – comida suadável
IV – família\amigos

… apesar da minha vida super agitada e 24h ser pouco pra tudo… estou tentado fazer um pouquinho de cada e está dando certo (meu açúcar e colesterol até abaixaram um pouquinho… rs)

melhoras procê

Jac

(obs.: é a primeira vez que entro no seu blog e adorei! ele é lindo e fofo, parabéns!)

Jac Aleixo

Também é a primeira vez que entro aqui, entrei por causa de um post no ricota não derrete, me encantei dmeais. Adicionei seu blog para eu ler no reader e comecei a ler e vi que vc mencionou e fui ler o que tinha acontecido.
Passei por uma crise de stress esse ano tenho 25 (quase a sua idade), estou terminando a faculdade, tenho um filho de 8 anos, estou comprando meu apartamento e por enquanto continuo morando com a minha mãe.
Depois de dias de stress num domingo mal conseguia sair da cama meu corpo doia muito, só estava eu e o meu filho em casa, se eu sentava eu chorava, se fosse trocar de roupa chorava, meu estomago doia. Meu filho fez sozinho torradas com quequeijão e me levou na cama para comer, não conseguia almoçar o marmitex que meu namorado me trouxe, me dava ânsia…
Pedi para o meu filho ficar brincando no parquinho do prédio e passei o dia todo mal na cama, só a noite consegui omer, no outro dia fui trabalhar normalmente e só comi uns pedacinhos de melancia antes de sair (sempre comopão integral e café) estava contando histórias para uma classe, distribui os livros para as crianças e avisei a professora q não estava bem, sai correndo e fui vomitar. Marquei um gastro e meu estômago queimava, ele disse q eu tive uma crise de stress que eu era muito nova e qu a minha vida não poderia ser assim, deu conselhos e conversou bastante comigo. Já fazia um tempo que eu estava fazendo terapia, e agora eu penso se não fosse a terapia e esse susto acho que coisaspiores poderiam ter acontecido. Passei a engolir menos as coisas e dar menos import}ância para o que não merece minha importância. Preciso melhorar muito ainda, mas acho que já comecei!
Espero que fique bem, sou ansiosa também, sou tudo isso que vc se descreveu. Mas não podemos acabar com nós mesmas né?

Se cuida!

beijos

Paula

Sempre leio seu blog e, mesmo de longe e sem te conhecer, te acho uma pessoa tão linda e doce. Seus posts são sempre cheios de delicadeza, otimismo e felicidade. Acho que por isso te desejo tão bem mesmo sem te conhecer.

Espero que tenha sido apenas um susto e que já tenha passado.

Beijos.

Amanda Schuab

Olá!
Estou um pouco atrasada nesse comentário, mas fiquei sem conseguir acessar sua página por uns tempos…
Há pouco mais de um ano também tive um xilique desses e senti muito medo. Acho que não sou tão ansiosa quanto você diz ser, mas sou um pouco. E, assim como você, tenho o coração povoado de pessoas que considero muito importantes. Acho que algumas deveriam ser “recolocadas” nesse ranking, mas, enfim, coração decide essas coisas sozinho. Sempre vivi dando mais importância para os outros que para mim, e, às vezes, os outros nos trazem decepções doííííídas…
Bem, foram dois novos “outros” que, de tanta importância que lhes dou, me fizeram ver que preciso, sim, com urgência, rever o tal ranking do coração. Tenho dois filhotes de 3 e 1 ano. E, quando pensei que, por causa da dor causada por outros “outros”, eu tive uma crise hipertensiva que me fez ter medo de morrer. Pensei que meus filhotes, tão novinhos, podiam ficar sem mim, decidi que eu tenho que ficar mais no topo do ranking do meu coração. É difícil. Tenho que me lembrar desse susto e de meus dois anjinhos para reajustar a importância da dor que os outros podem me causar. E, aí, faço como meu filhote me ensinou: cheiro a florzinha e sopro a velinha (jeito que ele aprendeu a respirar fundo quando fica nervoso na escola) até me recompor. Continuo vivendo para os outros, mas agora são outros mais importantes, que me fazem querer mais vida.
Adoro sua página! Parabéns!
Na hora do xilique, pense que você é importante para deixar beleza na vida de gente como eu.
Beijo carinhoso e fique bem!

Milene

Ando numa tristeza sem fim… estou depressivo! As vezes acho que meu coração também vai parar, desde que senti uma taquicardia forte no início de setembro. Meu cardiologista me acalmou, pediu alguns exames, disse que estava tudo bem, porém precisava fazer uma dieta rigorosa. Em um mês emagreci 10 kg… pesava 127 kg. Cortei refrigerantes, massas, e comidas fora de hora… como de 3 em 3 horas. Minhas taxas antes altas, agora estão ótimas. Mesmo assim como andava muito triste, ainda estou, procurei um neurologista que identificou uma depressão, passou dois remédios que não tomo por medo de fazer mal ao coração. Vivo todos os dias com a sensação de que meu coração vai parar a qualquer momento. Muito triste viver assim! Peço desculpas pelo desabafo, e que Deus me ajude!
Boa dia a todos!

Paulo

eu estou mais que atrasada nesse comentário. Mas é que estava procurando algo sobre estresse, e caiu na sua página. Sabe, tive uma crise de estresse m 2010, e de lá pra cá meu corpo não para de doer. Diagnosticaram fibromialgia. Mas estou desesperada, pq isso não passa. To depre, ansiosa, irritada. E u era uma pessoa super calma , alegre. Só não to pior, por conta do meu alto astral.To desesperada. Parece que isso não vai ter fim. Me ajude!!!!!!!!!!!!!!
bjos e fique com Deus.

Elisa Biancardi Toledo

entrei por acaso, indicado pela minha irma. Amei! Amei seus posts, ja virei sua fã…..principalmente as duas ultimas frases…e tambem ja tive um “troço” destes…. me fez pensar…bjos

Jusineia

Engraçado parecia que você esta contando a minha história , isso aconteceu comigo da mesma forma , é a pior sensação do mundo , hoje tomo rivotril contínuo pra controla esses sintomas que são os piores sensações do mundo !!

amanda

Leia o livro “O poder do Agora” e seja livre de si mesmo.

Seja livre

Sei bem o q é isso. Convivo com isso todos os dias, mas comigo tem um porém, eu infartei tem 3 anos e acho q isso piorou na minha cabeça. Tá f…de aguentar.

Silvana

Deixe sua mensagem



© 2017 - ideias de fim de semana