home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre praia

praia do amor #praiadapipa


praia do amorpraia do amorpraia do amorpraia do amorpraia do amorpraia do amorpraia do amorQue feliz coincidência, o post da Praia do Amor ter ficado justo para o dia que uma prima minha está casando com um rapaz super querido. E todo casamento é um motivo pra reencontrar a família, por isso que, nesse momento, eu estou em Juiz de Fora, MG, perto do papai, dos avós e da família toda <3

A Praia do Amor fica aí embaixo dessa falésia, que eu não tive coragem de descer dessa vez :P Não por medo, mas por preguiça mesmo. É uma decida meio chata, por uma escada que mal existe. Você praticamente se arrasta pela falésia, é isso :P Aí dessa vez nós ficamos só no camarote, lá de cima, levando um vento na cara e vendo o mar. Pra quê mais? :)

Ao contrário do Chapadão, que dá pra ver nessa última foto, com os carros estacionados em cima, o topo da falésia da Praia do Amor é cheio de irregularidades, algumas plantas e um sobre e dece de areia, barro, pedra. Falando assim até parece que o lugar é uma derrota, né? Mas é isso que deixa ele ainda mais bonito :)

A tem algumas barraquinhas, mas funciona mesmo é na maré seca. Na maré alta a água vai lá em cima e quase não sobra areia para as cadeiras. Para chegar até lá, que pode ser andando ou de carro, você precisa atravessar um pequeno trecho de mato, como é o caminho da foto. E isso dificulta a volta se estiver escuro, porque realmente não dá pra ver um palmo a sua frente. Vai ver é por isso que é Praia do Amor, né? Depois do matinho escturo uma falésia ampla e cheia de, digamos, lugares escondidos. :P

Mas, assim como o Chapadão, vale uma visita. Não leva muito tempo, é uma vista diferente, é mais um lugar para sentar, olhar para o mar e relaxar. Simplesmente ficar olhando o horizonte e sentindo o ventinho na cara. Coisa linda :)

Então se você quiser uns minutinhos de paz, principalmente depois de um dia de praia, sobe lá na Praia do Amor perto do fim de tarde e aproveita. Mas volta antes do escurecer ;)


cores de sexta: os mosaicos do exótica #praiadapipa


cores de sexta exoticacores de sexta exoticacores de sexta exoticacores de sexta exoticacores de sexta exoticacores de sexta exoticacores de sexta exoticacores de sexta exoticacores de sexta exoticacores de sexta exoticacores de sexta exoticaA Exótica, pelo que eu entendi, é uma antiga boate da Pipa. Ela fica na rua principal, e quando você passa na frente não tem como não olhar. Mas ela é uma mistura tão grande de estilos, com umas paredes indianas, um teto meio chinês, umas inscrições árabes, que chega a ser bizarro. Bizarro não, “exótico” :P

Mas se você parar pra olhar direitinho, é cheio de coisas bonitas. As cores são lindas, as formas, os desenhos. Fiquei com vontade de fazer alguns desses mosaicos de quadros aqui em casa. Mas você só vê se parar uns minutinhos aí na frente. Se você simplesmente passar vai ver uma confusão de cores e abandono. E não vai ser bonito.

Mas tudo depende de como a gente olha as coisas, né? Com que olhos a gente vê as coisas. Então, se você estiver na Pipa e passar em frente ao Exótica, dê 5 minutinhos da sua atenção para essa quase ruína, e veja com outros olhos. É quando você repara na cobra que vai de um lado a outro e forma a muretinha. Em como são complexos os mosaicos. Reparou na primeira foto? É quando você vê cada detalhe. E enxerga ali algo bonito :)

E é isso que eu desejo para essa sexta-feira, um olhar mais bonito e colorido sobre as coisas :)


boobalai sanduicheria bar #praiadapipa


boobalai sanduicheria barboobalai sanduicheria barboobalai sanduicheria barboobalai sanduicheria barboobalai sanduicheria barboobalai sanduicheria barboobalai sanduicheria barboobalai sanduicheria barboobalai sanduicheria barO Boobalai Sanduicheria Bar foi o nosso xodó da Pipa. Nós chegamos na sexta-feira, meia noite, deixamos as coisas na pousada e fomos dar uma andada. A noite da Pipa é sempre agitada, mesmo quando a cidade está tranquila, como no fim de semana passado. Então, entre um bar badalado e outro, entre aqueles jovens bêbados e em clima de paquera e azaração, eu e Paolo estávamos nos sentindo uns velhos.

Sério gente, eu me vi bem ranzinza, reclamando do barulho eletrônico que saia de uns bares e de ter que passar apertada no meio da multidão. Então, pra relaxar, vimos que tinha um bar um pouco mais distante do foco da badalação, e resolvemos correr pra lá. Ele fica na esquina da rua principal com a Rua dos Bem-Te-Vis.

Quando chegamos, me agradei logo pela música, tocava Red Hot Chilli Peppers. O Boobalai é pequeno, não tem mesas, apenas espaço para cadeiras altas no balcão, que rodeia o bar. Sabe que adorei esse esquema? Adorei também os quadros do lugar. Gente, fiquei com muita vontade de ter o de Elis, Janis e Bob. Com certeza teria eles aqui em casa. E não me importaria de ter a prateleira de bebidas também não, viu? :P

Então fui dar check in no Foursquare e vi que tinha uma dica falando do petisco de picanha e resolvemos experimentar. E pode crer, é uma delícia. A picanha estava macia, as torradas choradas no azeite e o molho barbecue e rosé estavam ótimos. Super pedida pra acompanhar a cerveja gelada. Ficamos lá até um pouco mais tarde, ouvindo as músicas legais, bebendo cerveja e trocado uma ideia com o dono, que é um argentino gente boa.

No sábado, depois da praia, a gente estava curioso para experimentar a salada que eles tinham falado que serviam durante o dia. E acertamos de novo. A salada estava uma delícia. Alface, tomate, cenoura e beterraba raladas bem fininha, tomate seco bem suculento e umas flores de muçarela de búfala. Tudo com um molho de mostarda por cima. Boa pedida, gente. Principalmente se for acompanhada de um suco de abacaxi que eles fazem lá, bem forte e gostoso.

E de “sobremesa” Paolo pediu o açaí, que vem com uma textura de quase sorteve, coberto com banana e granola. Eu não gosto de açaí, viu? Mas esse daí eu comi todinho junto com Paolo, porque tava delícia. Saímos felizes e satisfeitos, e tivemos que fazer um esforço para não ir lá de novo no domingo, pra dar chance de conhecer outros lugares. Mas tenho que dizer, me arrependi. Era melhor ter ficado lá mesmo :P

Então é isso. O Boobalai foi o nosso grande achado da Pipa. Tudo de comer estava bom. Tudo de beber estava bom. O lugar é aconchegante, o atendimento é simpático, o clima é bacana, adorei tudo. Indico e pretendo voltar ;)

 


baía dos golfinhos #praiadapipa


baia dos golfinhosbaia dos golfinhosbaia dos golfinhosbaia dos golfinhosbaia dos golfinhosbaia dos golfinhosbaia dos golfinhosbaia dos golfinhosA Baía dos Golfinhos, ou Praia do Curral, é a minha preferida da Pipa, sem dúvidas. É o melhor banho, porque as águas são tranquilas, quase não tem onda, não tem pedra e é funda, ou seja, você precisa saber nadar pra poder entrar lá. Além disso, é mais vazia que as outras, o que deixa ela ainda melhor. Dessa vez que a gente foi até tinham colocado umas barraquinhas, mas nada que tivesse muita gente.

Para chegar lá você precisa descer na Praia do Centro e andar cerca de 1,5km para a sua esquerda. O ideal é ir com a maré secando porque com a maré cheia não dá pra passar por conta das pedras. É para ir sempre com cuidado e olhando para o chão, para não tropeçar numa pedra que esteja mais escondida. As paredes enormes das falésias são lindas, com suas cores que mudam o tempo inteiro. Um cartão postal :)

Aí, ao chegar na Baía dos Golfinhos, é só traquilidade. Mas como não tem uma sombra por lá, é bom ter cuidado com o tempo que você vai passar e o fator do seu protetor solar ;) Ah, e os golfinhos, claro. Eles são lindos e aparecem sempre por lá. Se chegar um barco por lá então, aí é que eles chegam junto mesmo. E chegam em bando, pulam, nadam e dançam pra quem quiser ver.

No sábado, não tinham muitos, mas no domingo eles estavam se exibindo, viu? Tinham vááários! Claro que tirar foto deles é muito difícil, afinal, você nunca saber quando e onde eles vão aparecer. Por isso as fotos que eu tirei são tão tímidas e mal dá pra ver as barbatanas. Mas tenho que dizer que não fiquei muito tempo tentando tirar foto porque corri pra água pra ficar pertinho deles.

E eles ficam pertinho mesmo, e pulam quase do seu lado. É uma coisa linda. É um misto de medo e de prazer, afinal, um bicho daquele tamanho nadando ao seu redor é um pouco assustador. Mas fazer parte de um espetáculo desse de cima do palco, é um puta privilégio :)

Paolo, que também é cultura, explicou o porquê dos golfinhos ficarem sempre a nossa volta, principalmente quando tem barco por perto. Eles estão distraindo as pessoas, se exibindo, enquanto um outro grupo protege as fêmeas e os filhotes do bando. Então eles ficam tentando “levar” a gente para longe de onde estão as fêmeas e os filhotes. Não é lindo?

Então eu diria que se você tem pouco tempo na Praia da Pipa, se agarre com a tábua de marés e vá para a Baía dos Golfinhos. Leve bastante água e ande, nade e tome sol por lá. Que vale super a pena ;)

E era lá que eu gostaria de estar agora, tenho que dizer :P Bom feriado pra vocês, gente :)

 



© 2017 - ideias de fim de semana