home sobre mim sobre o blog mídia kit

roteiro noronha parte final


Entre a correria do dia-a-dia eu terminei dando um tempo nos posts de Noronha, né? Mas vou resumir aqui o final da viagem pro roteiro ficar completo. :)

fortinho do boldróPôr do sol no Fortinho do Boldró

O meu aniversário terminou assim. Com um lindo pôr-do-sol no Fortinho do Boldró. Agora um detalhe interessante. Na alta estação, que é final/começo do ano, o sol se põe lá no meio do morro dos irmãos, fazendo aquele cartão postal que a gente já conhece tão bem. Mas no meio do ano não, ele se põe de lado. Não menos bonito, claro, porque o poente é sempre uma poesia no céu, né? Então vale a pena em qualquer época do ano :) Ainda mais se você tem o amor e amigos queridos do lado.

A descoberta mais gostosa do dia foi que o bar de lá do Fortinho tem uma cerveja gelada, um atendimento atencioso e uma isca de peixe, meu amigo, que isca de peixe. Sério, foi o petisco mais comentado da viagem. Empanada com gergelim e um shoyozinho pra acompanhar vão muito bem, obrigada. Além disso, tem uns sucos gostosos e uma coxinha de galinha frita na hora bem gostosa. Então a dica é não se acanhar a hora de experimentar por lá, até porque os preços são bem ok. A isca de peixe foi R$28, a Devassa é R$5 e a coxinha, se eu bem me lembro, custa uns 4 dinheiros. Vale o lanche ;)

Ah, e o detalhe. Lá não aceita cartão, mas o parceiro te dá um papel com o valor pra tu passar lá no Xica da Silva, um restaurante na Vila dos Remédios. Sim, isso mesmo. Na confiança. E a gente pensando que não se fazem mais vendedores como antigamente, né? E foi assim que a gente saiu de lá. Com um papel escrito pra pagar a conta no restaurante.

 

xica da silvaXica da Silva

Preciso dizer o quão mortos nós chegamos na pousada depois do roteiro intensivo? Não, né? A promessa era tirar um cochilo e sair pra continuar comemorando meu aniversário. Uma horinha, hein gente? Só pra recarregar as energiazzzzzzzzzzzzzzz. E pronto. Dormimos demais, perdemos a hora e acordamos com uma disposição de 4 preguiças no inverno. Mas a fome apertou e a gente instigou um saída.

A gente já tinha ido lá no Xica da Silva pagar a conta do outro bar e o lugar pareceu bem agradável. Com preguiça de pensar muito e com muitos restaurantes já fechados, paramos por lá mesmo. É bonito, organizado, o atendimento é gentil e o preço é uma facada. Tudo bem que muita gente não vai se importar de pagar 60 pilas num prato individual em Noronha, né. Mas é que gente, eu não tô acostumada a um cardápio nesses nível não hahaha. Mas era aniversário, era Noronha e tudo ia valer a pena. E valeu.

A comida estava gostosa, a cerveja estava gelada e a noite terminou preguiçosa e agradável. Ou seja, meu aniversário foi mais que perfeito. Amor, amigos, obrigada pelo presente da companhia de vocês <3

 

baia do suestebaia do suesteBaía do Sueste

No nosso último dia em Noronha, que era metade de um dia na verdade, a gente foi dar uma mergulhada na Baía do Sueste. Como a gente já tinha devolvido o buggy, pegamos um taxi e fomos pra lá. A ilha é pequena e os valores do taxi são tabelados. Não acho caro, sabe? Parece que a maior distância dá 22 reais. E pra quem tá dividindo por 4, como foi o nosso caso, foi ótimo. O taxista deixou a gente lá e marcamos uma hora pra ele buscar. Mamão com açúcar :)

A Baía do Sueste estava bem diferente de quando eu fui no final do ano. Estão reformando, aí tiraram o quisque que tinha lá. Então podem ir preparados pra não ter nenhum suporte de bebida ou comida, ao mesmo até a reforma ficar pronta. E também não tem mais o aluguel dos equipamentos, só do colete salva-vidas que é de uso obrigatório. Como é uma área de preservação, você não pode pisar nos corais. E como tudo lá é praticamente coral, tem que usar o colete. Ele custa R$10 por 2 horas.

Lá você tem a opção de ir com um guia, que vai nadando e pode ir te puxando com uma bóia. Ele vai te levar para o foco das tartarugas, que são a grande atração de lá. “Quem não vê tartaruga não paga o passeio” é o que todos os guias dizem. Eu não lembro direito do preço, mas acho que é R$40 por pessoa um passeio de uma hora. E se for mais gente ele vai dando um desconto progressivo, como é típico de todo bom negociador.

Mas eu como estava indo pela terceira vez, fui me garantindo que conhecia o caminho das pedras. Quando a gente pisou no mar vimos logo dois caçõezinhos beeem no raso. Tipo, com água na canela, sabe? Coisa linda eles novinhos nadando. A esperança era que a mãe estivesse por perto pra gente ver um tubarãozão como eu vi da última vez. Um tubarão do meu tamanho escondido embaixo de uma pedra, coisa linda de se ver.

Então fomos nadando, nadando, nadando e eu me sentindo a própria guia. A água da Baía do Sueste não é transparente como a das outras praias. Como é muito raso por conta dos corais, as ondas terminam levantando muita areia e a visão fica um pouco turva. Além disso, as algas também colaboram pra não ser aquela transparência toda. Mas é como se você mergulhasse num aquário. Vários peixinhos e, gente, MUITAS tartarugas.

Eu fiquei tão feliz, mas tão feliz quando consegui mostrar pra Manoel e Peu a primeira tartaruga que fiquei com a alma lavada e pensando “opa, eles já não tem motivo pra não pagar o passeio pra guia aqui” hahaha :) E então começamos a nadar e ver várias, MUITAS, as vezes três de uma vez só. Coisa linda, espetáculo da natureza. E quando nos demos conta, estávamos loooonge. Nadamos um bocado, viu? É bom ficar esperto pra quem tem menos fôlego. Mas a verdade é que vale muito ir dar essa mergulhada de snorkel na Baía do Sueste. :)

 

praia da conceicaopraia da conceicaopraia do meioPraia da Conceição e Praia do Meio

Saindo da Baía do Sueste o taxista levou a gente até a Praia da Conceição. Mas terminou que só demos uma passada mesmo. A mazela do dia anterior e da natação que fizemos durante a manhã deixou a gente numa mazela só. E como o mar estava mais agitado, nem animamos de entrar.

Fizemos uma caminhada passando pela Praia do Meio pra chegar de volta a Praia do Cachorro. Comemos o mesmo peixe na folha da bananeira do primeiro dia, demos um mergulho de despedida e pronto. Foi só voltar pra pousada e correr pra não perder a hora do avião.

 

A volta

Um detalhe muito importante para a volta: tem um papel que você recebe quando paga a taxa de preservação ambiental que você tem que apresentar na saída. Tem lá “checkout”, e você deve fazer isso antes de ir para a sala de embarque. Então a sequência é fazer o checkin, despachar as bagagens, fazer o checkout e ir pra sala de embarque. O aeroporto é pequeno, então as vezes tem fila em cada um desses pontos. Aí é bom ficar esperto pra não perder a hora. A gente mesmo chegou super em cima. Mas tudo deu certo e nós curtimos Noronha até o último minuto. :)

 

Valeu!

E pra terminar essa sequência de posts deliciosa, eu quero agradecer de novo a Arena Pernambuco pelo super presente de aniversário e Dia dos Namorados. Foi uma das melhores viagens da minha vida, com certeza <3 Agradecer a Manoel pela companhia, amor e carinho de todos os dias. Que venham muitos destinos pra gente desbravar <3 E também a Lu e Peu pela companhia e alegria de sempre. Valeu cada minuto, de coração. Obrigada mesmo! :D


4 comentários sobre o assunto

Adorei acompanhar essa série gostosa de posts, Terrinha. Deu vontade de fazer as malas agora mesmo e partir para esse paraíso! Espero ir muito em breve à Noronha e aproveitar várias dessas tuas dicas.

Boa sexta pra tu :*

Rapha Aretakis

Coisa mais linda esse lugar!! Tbm quero.

Lainha

Que delícia de viagem, Ana!! Fiquei morrendo de vontade de conhecer Noronha, certamente é um lugar que já entrou na minha lista de roteiros!
Adorei o roteiro intensivo!!
Beijos

Maia

Deixe sua mensagem



© 2017 - ideias de fim de semana