home sobre mim sobre o blog mídia kit

uma palavra sobre tolerância


Faz um tempo que eu tenho pensado muito na palavra tolerância. Acho que é por estar pensando mais nas pessoas ao meu redor e vendo quanto elas são diferentes. Eu sou uma pessoa muito difícil de conviver, eu sei disso. E sei que exijo muita tolerância e paciência das pessoas. E por estar pensando mais sobre isso ultimamente, tenho me tornado, aos poucos, uma pessoa mais tolerante em vários sentidos.

Nós convivemos o tempo todo com pessoas diferentes da gente. Na escola, na faculdade, no trabalho. Ficamos, namoramos e casamos com pessoas diferentes da gente. Quando crescemos aprendemos que nossos pais são bem diferentes um do outro e totalmente diferentes da gente. Que nossos irmãos não são assim tão parecidos e começamos a perceber a diferença entre os primos, tios, avós. Como as pessoas são diferentes ainda que pareçam tão semelhantes.

E essas diferenças podem aflorar em vários momentos. Em diferentes situações. Pessoas que sempre foram amigas podem discordar de algo pequeno como sua opinião sobre gatos, ou sobre motociclistas, ou sobre aquele filme. E nós passamos a vida tendo que aceitar e conviver com essas diferenças.

As vezes nós podemos escolher com que diferenças nós queremos conviver. E assim nós nos juntamos com pessoas que são parecidas com a gente ou aquelas que nós aprendemos a gostar até dos “defeitos”, que muitas vezes são apenas diferenças toleradas. Mas as vezes nós temos que conviver diariamente com pessoas totalmente diferentes da gente, e que as vezes têm “defeitos” que nos incomodam a ponto de nos agredir. E que nada mais são do que diferenças que nós não toleramos.

E algumas delas nós vamos passar a vida sem conseguir tolerar mesmo, porque para isso nós teríamos que passar por cima de princípios que são mais fortes do que nós. Mas, as vezes, tudo é uma questão de reflexão. E quando a gente para pra pensar, de preferência num momento feliz e de cabeça fria, a gente vê que muitas coisas podem ser facilmente toleráveis. Que essas diferenças sempre vão existir mas que elas não precisam nos agredir tanto assim. Afinal, nós também somos portadores de “defeitos” pelos quais somos irredutíveis. E nós também sugamos uma boa dose da tolerência das pessoas ao nosso redor.

As vezes precisamos da tolerância para suprir uma expectativa. Já viram quantas vezes nós pensamos “mas não podia ter sido desse jeito?” ou “mas porque ela não falou assim…”. E isso tudo é reflexo de uma expectativa pessoal que nós criamos em torno de uma conversa, de uma situação. E nem sempre as coisas acontecem ou as pessoas falam como a gente quer ou esperava. E isso não quer dizer que essas coisas aconteceram errado, foi apenas diferente. E a sabedoria está em diferenciar e tolerar isso para o seu próprio bem.

E pensando sobre isso, descobri que essa é a palavra mágica da convivência. Porque pra conviver em harmonia a gente não precisa amar todo mundo ao nosso redor, mas a gente precisa respeitar. E o princípio do respeito está em tolerar as diferenças.

Então, por hoje, pare 5 minutos e olhe as pessoas ao seu redor. Você vai conseguir rapidamente apontar um ou dois defeitos de cada uma delas. E você também vai poder ver que é capaz de tolerar esses defeitos no dia a dia. Em prol da boa convivência, da boa vizinhança, da boa risada que faz o nosso dia ser mais feliz. Porque pessoas tolerantes sorriem mais, vocês sabiam? Não? Então experimentem tolerar mais os “defeitos” das pessoas com quem você convive e veja por você mesmo.

Porque a tolerância é a chave das pequenas doses de alegria do dia a dia.


13 comentários sobre o assunto

Me caiu como uma luva :)
Bom dia!!!!

Neusa Medrado

Muito bom o texto.
Que tenhamos todos mais tolerância e que sejamos sempre, mais toleráveis.

Lari Dardengo

Oi Anna, há quase 1 ano passo por aqui todos os dias, mas nunca comentei nada. Porém, hoje eu tenho que abrir meu coração: você é linda!!! Linda em todos os sentidos que possam existir.
Seus textos são lindos, uma delícia de ler, uma leveza de se sentir. E o texto de hoje veio de encontro com o que estava pensando e sentindo alguns minutos atrás.
Definitivamente, ser tolerante também não é fácil e às vezes permitimos nos machucar exatamente por tolerar certas coisas e pessoas, mas quando nos deitamos e fazemos o balanço do dia, o saldo acaba sendo positivo e dormimos em paz.
O difícil é que algumas pessoas abusam de nossa tolerância, pois acham que estamos sendo condescendentes.
Grande beijo

Janaina

Nossa, eu também sempre passo por aqui porque gosto da “sua casa na web”. Esse texto foi demais: lúcido, ponderado, perfeito. Vou tomar a liberdade de fazer um post sobre ele no meu blog. Parabéns! Um abraço

Elizabeth

Oi Ana,

Adorei seu texto. Tem coisas que a gente sabe, mas é bom lembrar.
Sou adepta da política da boa vizinhança, porém penso que muitas vezes quem mais sofre com a nossa eventual intolerância são as pessoas que mais gostamos, pois queremos que elas sejam melhores e perfeitas.
Foi muito bom dar essa parada e respirada simbólica que o post propõe.

Bjus

Tanara

Olá, tudo bem? Muito bom teu texto!!! Impressionante como conseguiste expressar de forma tão simples situações da vida que às vezes são tão, mas tão complicadas!! Muito obrigada pelas tuas palavras!! Seu texto foi esclarecedor e fez meu dia melhor!!
Beijokas.

Mari

Anna, eu também sou uma das suas leitoras “quietinhas” e é a primeira vez que vou comentar. olha só: pensa aí se não existe um peso enorme no verbo tolerar… E tolerância, portanto, acaba me soando assim. Eu não quero me sentir impelida a tolerar algo ou, pior, alguém. E ser tolerada, então, deve ser muito desagradável (embora seja inevitável).
Fiz um pacto de toda vez que vir ou pensar em tolerância (palavra bem comum atualmente), fazer um pacto silencioso e trocar por respeito. Respeitar as diferenças é assim, para mim, mais fácil e mais honesto. O respeito é que me me faz admirar características de alguém, por exemplo, que eu simplesmente sei que jamais será meu amigo porque nossas diferenças são inconciliáveis; mas, no mais, poderemos ser excelentes colegas de trabalho,por exemplo. E a vida segue. Com respeito, sobretudo, às minhas próprias limitações.
Um beijão pra você (gente fina, elegante e sincera…tudo de bom!).

Alexsandra

Obrigada

Taninha

Obrigada, só isto, que eu tenho para falar.

Taninha

Ola Anna na maioria das vezes me considero uma pessoa tolerante.Mais algo que acho fundamental e o respeito ao outro , e amar ,acredito eu (sem utopia) faz toda diferença quando se trata de tolerar.Trabalho com uma pessoa que todos os dias de manhã chega mal humorada e por um motivo ou outro acabávamos nos estranhando,ao descobrir que ela tem muita dificuldade em se relacionar logo que acorda passei a dar um tempo a ela e espera o bom humor dela chegar pra começar a ter algum tipo de comunicação com ela e isso melhorou bastante nossa convivência.
Bjs e um belo dia !

Negra Jack

Olá Anna.. conheci seu blog há 3 dias na verdade, através do Small da minha xará Carol que sempre fala tão bem de você e, já te inclui nos meus favoritos do dia. Já dei uma boa fuçada noas suas postagens e vou te dizer, adoro a maneira como você expressa os comportamentos, situações e sentimentos do dia a dia que, para nós é tão difícil as vezes de apenas entender. Tolerância é uma palavra que admito não existia no meu vocabulário, até eu ler seu texto. Sou uma pessoa muito, mas muito difícil de conviver e como disse acima a Tanara, acabamos por sobrecarregar as pessoas mais próximas, que mais amamos, nossa falta de tolerância.
Esclarecedor, brilhante, revelador.. o tipo de texto que muda qualquer pessoa.
Obrigada e parabéns pelo talento!
Beijos, Carol

Carolina Fernanda

Oi Anna ;) sei que escreveu este texto há meeeeeses, mas eu precisava agradecer as palavras, pois ao publicar algo tão real e pessoal ja esta fazendo uma enorme diferença no dia de alguém, no comportamento de algum “estranho’. Por isso resolvi comentar, conheci seu blog há alguns dias e estava “passeando” em suas imagens e encontrei o texto. Como tb escrevo ;) e penso q se consigo tocar UMA pessoa ja fiz meu trabalho. Agradeço de coração colocar a palavra tolerância em meu vocabulário e atos. Fica bem, curta o domingão. Pessoas como vc são o que move o lado bom da vida. bjs Lu

Lu

    Nossa, Lu. Muito obrigada pelas palavras e pelo carinho. Que coisa tão bonita. São de trocas de boas energias assim que se vive uma vida melhor. Obrigada, muito obrigada.

    Anna Terra

Deixe sua mensagem



© 2017 - ideias de fim de semana