home sobre mim sobre o blog mídia kit

Todos os posts sobre japaratinga

rotina das férias na praia


Acordar com o nascer do sol.

Alongar o corpo inteiro com essa vista. Caminhar na beira da praia até onde der vontade. As vezes com Chica do lado. As vezes ensaiando uma corridinha. As vezes pela água. Catar algumas conchinhas. As vezes entrar no mar, e voltar pra casa.

Preparar um café da manhã. Acordar o maridão. Instigar uma saída para comprar algo pro almoço. Comprar peixe e frutos do mar que ficam descongelando até irem pro tempero. Abrir uma cerveja. Preparar um petisco. Tirar umas fotos. Beber até dormir.

Acordar de novo. Preparar o almoço que virou jantar. Comer e ter vontade de dormir de novo. Ficar observando as estrelas ficando mais fortes. O céu com milhares delas. Apagar as luzes para ver ainda melhor. Fazer desejos para estrelas cadentes. Ter ainda mais vontade de ir deitar. Ligar o notebook para assistir algum filme ou seriado. Dormir antes do final.

Acordar com o nascer do sol.


mirante do farol


Depois de atravessar a balsa Japaratinga – Porto de Pedras, antes daquelas casas que eu mostrei aqui, tem uma subida para o Farol, que sempre promete lindas vistas. A entrada é proibida, segundo uma placa da qual esqueci de tirar foto :P Mas está em todos os roteiros, então arriscamos.

A subida na estreita rua de paralelepípedos é meio tensa, mas a vista lá de cima compensa. Até minha mãe que morre de medo de altura adorou o passeio :) Assim que desembarcar da balsa é só perguntar em qualquer lugar “onde é a subida pro farol?” e qualquer pessoa vai explicar, é fácil fácil.

Eu gosto de visitar mirantes, gosto de vistas panorâmicas e tudo isso. Pra mim, é aquela paradinha na viagem, que você está fazendo sem se preocupar com hora pra nada, que você fica só parado e contemplando a beleza do lugar. É ver de outro ângulo, que costuma deixar as coisas ainda mais bonitas :D Eu recomendo para quem for visitar Japaratinga e arredores :)


lanche de férias: patê de salsicha


Eu sou dessas que tenta ter uma alimentação minimamente saudável. Procuro frutas e verduras orgânicas, não uso aqueles tabletes de caldo pronto pra cozinhar, controlo o sódio e blá blá blá. Mas tenho que confessar meu ponto fraco: salsicha. Sim, eu sei do que é feita e como é feita a salisicha. Sei que é nojentinho. Sei que não é saudável. E também sei que é uma delícia. Eu amo cachorro-quente de rua com aquela salischa de segunda. Eu amo macarrão com salsicha. Eu amo ralar a salischa pra rechear cachorro-quente de festa. Enfim, eu amo essa coisa nojentinha aí :P

E então, na preguiça das férias e buscando um petisquete pra acompanhar uma cervejinha, resolvi fazer uma mistureba junk food que pode parecer um nojinho mas que ficou muito bom :D Peguei salsicha, cortei em rodelas e joguei no copo do mixer. Juntei ketchup, mostarda e requeijão, temperei com pimenta e azeite e bati tudo. Não adianta fazer cara feia, podia ser pior… Podia ser com maionese :P

Para a torradinha eu peguei pães de forma, tirei a casca e cortei em quatro quadradinhos. Coloquei numa assadeira os quadradinhos e as cascas, reguei com azeite e queijo parmesão ralado e forno. Ficam crocantes e vão super bem com qualquer pasta ;)

Então se você não tem frescura, experimente que não vai se arrepender :P


depois de atravessar a balsa


Eu sei que o que todos esperam depois de uma semana em Japaratinga são fotos de praias lindas e tudo aquilo. Mas eu resolvi mostrar um lado para o qual pouca gente olha. As cidades de praia são geralmente muito pobres, vilas de pescadores que vão sendo invadidas pelo turismo. É onde você encontra muita gente que vive do que pesca e do que planta. É gente que pesca lagosta e polvo não pra colocar num cardápio de restaurante, mas pra colocar na panela porque é o que tem para alimentar a família toda. Quando tem.

São pessoas humildes, que vivem em pequenas vilas, em casas simples, as vezes até sem água encanada. São pessoas que convivem com turistas passeando em seus carrões, ficando hospedados nas pousadas de luxo que contrastam com suas casas de taipa. Pessoas que vivem da sazonalidade das temporadas, que dependem da maré e do clima para sobreviver. Que tomam banho de sabão e tudo dentro do Rio, porque é a água doce que tem. E a água de beber vem da cacimba pública da cidade.São pessoas que devemos respeitar quando visitamos a terra delas, e não simplesmente passar de óculos escuros por isso tudo e ir direto para a praia, curtir a água cristalina e a areia branquinha. Turismo pra mim tem todos esses lados. Vamos olhar mais por onde passamos.

Essas fotos eu tirei de dentro do carro, enquanto a gente atravessava as cidadezinhas que nós encontramos depois da balsa Japaratinga – Porto de Pedras. São várias vilas pequenas, que guardam lindas praias. É para ir de manhã cedo, pingando de praia em praia, e só voltar pra casa de noite, depois de um lindo pôr-do-sol :)



© 2018 - ideias de fim de semana